Vazou a carta que o presidente do Lyon enviou ao dono do PSG após as chegadas de Neymar e Mbappé: “Não posso me calar”

CompartilharFechar Comentários
Jean-Michel Aulas mostrou a sua preocupação com a disparidade de forças na Ligue 1, mas disse que torce por título do clube na Champions

As chegadas de Neymar e Kylian Mbappé por valores recordes ao Paris Saint-Germain incomodaram muita gente, inclusive a UEFA, que vai investigar se as transações não feriram o Fair Play Financeiro da entidade.

Quem falou em defesa de seu clube, também, foi o presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas. E o jornal francês L’Equipe teve acesso a uma carta escrita pelo dirigente, que foi enviada para Nasser Al-Khelaifi, o chefão do PSG.

No conteúdo, Aulas deixa claro que vê um lado bom nos investimentos do PSG. Entretanto, garantiu que não vai se calar em relação a um possível desequilíbrio dentro da liga francesa. Confira os principais trechos abaixo!

“Em primeiro lugar admiro, sem dúvidas, o que você tem conseguido, ainda que com meios muitos superiores a outros”, começou. “O ponto em que existe debate está na quantidade dos recursos utilizados para fazer do PSG não apenas o primeiro clube francês, mas também o melhor da Europa”.


VEJA TAMBÉM:


“Clubes como Lyon, Saint-Étienne, Marseille, Rennes, Nice, Lille ou Toulouse são privados da oportunidade de ter os mesmos recursos, que são muito mais valiosos agora (...) Sem contar o PSG, o orçamento médio da Ligue 1 está na ordem de 60 ou 70 milhões de euros!”.

“Já não existe nenhuma possibilidade para clubes de um nível secundário competir esportivamente com o PSG (...) Obviamente, gosto da chegada de Neymar e todos os outros talentos que foram contratados pelo PSG, assim como a permanência de Kylian Mbappé na França. Isso vai impulsionar a afluência aos estádios, e, espero, a promoção da Ligue 1 no estrangeiro”.

Kylian Mbappe Neymar Paris Saint-GermainPSG fez as duas contratações mais caras da história (Foto: Getty Images)

“Provavelmente seja um sonho inalcançável que uma parte dos grandes patrocinadores do Qatar, assim como fizeram com o aeroporto de Doha e como fez o Bayern de Munique, ajudem os clubes franceses para aumentar as chegadas, o que provavelmente poderia equilibrar ou regular o Campeonato Francês”.

“Eu não posso me calar. Pela minha posição nas instituições francesas e europeias, assim como por ser um acionista importante de um clube rival ao seu (...) Tenho o máximo respeito por você, e quero que, em algum momento, o PSG ganhe a Champions League. Assim, os pontos aumentariam no ranking da UEFA para que, finalmente, a França consiga que um quarto time participe da Champions”.  

Próximo artigo:
Man. United 2 x 1 Tottenham: Red Devils viram clássico e vão à final da Copa da Inglaterra
Próximo artigo:
"Wenger foi demitido pelo Arsenal", dispara Wright
Próximo artigo:
Premier League 2017/18: artilheiros, garçons e classificação completa
Próximo artigo:
"Juventus está melhor psicologicamente que o Napoli", diz Allegri
Próximo artigo:
Guardiola pede contratação de Lewandowski, diz jornal
Fechar