Sonho em investir na educação, Beckham brasileiro, time de músicos, atletas do exército... As curiosidades do Neymar Jr's Five

CompartilharFechar Comentários
Torneio terá sua decisão neste sábado (8) no Instituto Neymar Jr, na Praia Grande, em São Paulo

Maior campeonato de futebol amador do mundo, o Neymar Jr’S Five está tendo nesta sexta (7) e sábado (8) sua fase final da segunda edição disputada no Instituto Neymar Jr, na Praia Grande, em São Paulo.

53 países estão disputando o título do campeonato que leva o nome do jogador do Barcelona e da Seleção Brasileira e que é organizado pelo seu instituto e pela a Octagon Brasil, agência de consultoria e marketing.

Entre as equipes finalistas que sonham em viajar para a Espanha para encontrar Neymar pessoalmente e assistir a um jogo do Barcelona no Camp Nou, existem várias curiosidades.


VEJA TAMBÉM:


 A equipe De Rock FC, da Nigéria, sonha em fazer história e ganhar visibilidade na competição para conseguir dinheiro para ajudar a investir na educação do país. Sem dinheiro, os representantes do time se dedicam há outras profissões. Alguns deles são pescadores, dançarinos e outros empresários.

Os jogadores do De Rock FC são de Port Harcourt, do Estado de Rivers, que possui mais de 1.5 milhão de habitantes, e que é uma cidade conhecida por estimular a leitura.

Do Naxional, representante das Filipinas no Neymar Jr’s Five, vem o David Beckam brasileiro. Isso mesmo. Nascido em Brasília, filho de pai japonês e mãe brasileira, Daniel Matsunaga é uma estrela local. Famoso nas redes sociais, envolvido em temas artísticos e de boa aparência e desempenho em campo, o capitão do time já joga profissionalmente no Kaya F.C. A equipe também conta com outro jogador nascido no Brasil, o Hector.

Neymar Jr's Five
(Foto: Wilf Thorne/Red Bull Content Pool)

O Kapela Weselna, time polonês que está disputando o torneio, é formado por músicos que tem uma banda de casamento, enquanto os atletas do Shabab Muaither, do Catar, fazem parte da Seleção Nacional de Futebol do Exército do Catar. Já a equipe da Malásia é toda de jogadores que estão na seleção do país.

Mais artigos abaixo

Já o Firefly, das Ilhas Maurício, deverá chamar atenção por conta de um costume do país de lixar os dentes e colocar no local um similar de prata ou ouro. É comum ver atletas desse jeito.

Há ainda muitos outros times com histórias curiosas, como o Football Ragners, da Hungria, que passou por várias dificuldades financeiras até conseguirem o título nacional e vão ter a oportunidade de sair do país e conhecer o Brasil, e o FCB Remontada, do Kuwait, que ganhou esse nome em alusão à vitória de 6 a 1 do Barcelona diante do PSG.

Próximo artigo:
Campeonato Brasileiro 2017: os artilheiros e garçons da temporada
Próximo artigo:
Fla: no radar de Real e Barça, onde Lincoln se encaixaria melhor?
Próximo artigo:
Champions League: os mais indisciplinados da temporada 2017/18
Próximo artigo:
Os números, gráficos e a evolução do Flamengo no Brasileirão
Próximo artigo:
Tite já convocou 60 jogadores: veja quem são os recordistas do treinador
Fechar