Paulinho: "Neymar é grande, mas o melhor é Messi"

CompartilharFechar Comentários
O meia brasileiro disse que seu compatriota pode ser o melhor dentro de "Três o quatro anos", mas que agora mesmo o número 1 é o argentino

Paulinho, meia brasileiro do Barcelona, assegurou que Neymar pode ser o melhor do mundo dentro de "três ou quatro anos", mas esclareceu que Lionel Messi, atualmente, está acima da estrela do PSG.

"Ter a oportunidade de jogar com Neymar na Seleção Brasileira e de Messi no Barcelona é um privilégio, tenho dois melhores do mundo ao lado e isso é uma grande alegria", disse o ex-jogador do Tottenham em entrevista coletiva antes do jogo contra o Olympiacos. 

No entanto, Paulinho deixou claro que Messi está acima de seu compatriota. "São distintos, a técnica, a tranquilidade e a finalização de Messi são impressionantes, mas os dois fazem a diferença e eu me dedico a tentar fazer o melhor aos dois; Neymar é outro grande jogador, mas quero deixar claro que o melhor é Messi", sentenciou, antes de esclarecer que "Neymar pode ser o melhor do mundo em três ou quatro anos". 

O brasileiro continuou com os elogios para Messi. "O especial é jogar junto a ele, é um jogador que enfrentei contra pela seleção e é um privilégio estar ao seu lado, é imprevisível o que pode fazer e, além disso, está me ajudando muito e isso me faz melhorar. Me ajuda desde que cheguei e segue fazendo isso". 

2017-07-09 2016 Neymar Paulinho
(Foto: Getty Images)

Sobre a saída de Neymar para o PSG: "Não falei com Neymar sobre sua decisão de deixar o Barcelona, é sua decisão e confio em sua palavra, tomou essa decisão pensando em sua família, mas não se ele se arrepende ou não porque não conversamos". 

Ao mesmo tempo, Paulinho disse que se sente "completamente adaptado, embora tenha sido difícil porque há muitas estrelas nesta equipe, mas os companheiros me ajudam e se portam muito bem comigo no momento de entender o jogo e poder conectar com eles". 

"Estou tranquilo e confiante porque tenho o apoio dos companheiros. Quando cheguei ao Barcelona notei certa desconfiança, mas nunca chegou a me afetar, tento somar e tenho a confiança das pessoas que apostaram em mim", confessou.

O brasileiro finalizou: "Tenho liberdade tanto na seleção como no Barcelona, o técnico me permite subir e dar assistências e gols, é minha função e minha maior característica, estamos explorando qual é a melhor forma de melhorar meu rendimento".

Próximo artigo:
Flamengo tenta anular pena na Conmebol por torcida na Libertadores
Próximo artigo:
Real Madrid observa e ainda tem dúvidas para contratar Neymar, diz jornal
Próximo artigo:
Jornal: Real Madrid passará por revolução na próxima temporada, e reforços dependem de CR7
Próximo artigo:
Exclusivo! Brasileiro passou pela base de Santos e Corinthians antes de realizar o sonho de jogar a Champions e se tornar ídolo na Bélgica
Próximo artigo:
Com boa atuação, Jonas carimba vaga na Libertadores e deixa Ronaldo e Rômulo para trás
Fechar