Paulinho não é a contratação dos sonhos do Barcelona, mas será muito útil e importante para Valverde

CompartilharFechar Comentários
Titular da Seleção Brasileira, meio-campista não deve ter mesmo status no Barça, mas é um bom reforço para os Blaugranas

O Barcelona sonhou com Marco Verratti, Ander Herrera e Saúl Ñíguez, mas acordou com Paulinho. O clube catalão ainda tentou de tudo para não pagar muito caro pelo brasileiro, mas diante das consecutivas negativas do Guangzhou Evergrande e a necessidade de contratar um meio-campista, o jeito foi pagar a multa rescisória de 40 milhões de euros (cerca de R$ 149,9 mi) e levar o jogador para a Espanha.

A contratação foi anunciada na manhã desta segunda-feira (14), um dia depois da derrota em casa, por 3 a 1, para o rival Real Madrid na Supercopa da Espanha. O tempo de contrato é de quatro temporadas e Paulinho terá multa rescisória de € 120 milhões (R$ 449,7 mi). 

Após brilhar no Corinthians e decepcionar no Tottenham, o brasileiro, em dois anos no Guangzhou Evergrande, foi bicampeão chinês e da Supercopa da China, ganhou a Liga dos Campeões da Ásia e a FA Cup local, marcou 25 gols e deu cinco assistências em 95 jogos. Titular absoluto e peça fundamental no time de Felipão, vinha brilhando no atual líder e hexacampeão da Chinese Super League.

Paulinho, no entanto, obviamente não foi contratado pelo Barcelona pela excelente fase na China, mas sim pelo brilhantismo na Seleção Brasileira. Titular absoluto com Tite, ele é peça fundamental na reconstrução do escrete canarinho, que saiu do descrédito para a euforia, com o ótimo, ofensivo e bonito futebol apresentado pelo time tupiniquim, acompanhado de excelentes resultados e da vaga já garantida na Copa do Mundo de 2018.

Paulinho Uruguai Brasil Eliminatorias 23032017Paulinho Brazil 2016(Fotos: Pedro Martins/MoWa Press e Getty Images)

No 4-1-4-1 com variações de Tite, Paulinho atua na frente de Casemiro e ao lado de Renato Augusto, e como era nos tempos de Corinthians, com o mesmo treinador, se destaca por ajudar na marcação mas, principalmente, pelas infiltrações como elemento surpresa no campo de ataque, armando e definindo jogadas. Não à toa, o meio-campista brilhou em algumas das melhores atuações recentes da Seleção, marcando um gol na vitória por 3 a 0 sobre a Argentina, no Mineirão, anotando um hat-trick na goleada por 4 a 1 sobre o Uruguai, em pleno Centenario, e dando duas assistências no triunfo sobre o Paraguai, por 3 a 0, em Itaquera.

Inegavelmente, Paulinho vive ótima fase e é bom jogador, no entanto, sua contratação não foi bem vista pela maioria da torcida blaugrana e por alguns jornalistas. Existem pontos para se criticar, mas o brasileiro também é um bom reforço para o Barça.

É natural que exista um descontentamento. Grandes nomes, excelentes jogadores, que já estão atuando em alto nível na Europa em grandes clubes há alguns anos, como os citados no começo do texto, eram desejados pela diretoria e torcida azul-grená, mas nenhum deles veio. É verdade que Philippe Coutinho e Ousmane Dembélé ainda podem chegar, mas o mercado do Barça nesta janela de transferências é um desastre até aqui e está marcado pela saída de Neymar. Além disso, o time ainda perdeu para o Real Madrid em pleno Camp Nou no domingo (13).

2017-05-23-Guangzhou Evergrande-Paulinho(Foto: Getty Images)

Diante disso, pagar € 40 milhões por um jogador de 29 anos, que estava na China e não foi bem em sua passagem anterior pelo futebol europeu, é realmente um absurdo, e as críticas aumentam pelo fato de o atleta ser a quarta contratação mais cara da história do Barcelona.

O valor, de fato, é muito alto e exagerado, e concordo que Saúl, Verratti e Ander Herrera seriam melhores opções que Paulinho, principalmente diante da cifra paga pelo brasileiro. No entanto, o Barça não conseguiu contratar os outros três, nem pagar menos pelo jogador da Seleção por conta do jogo duro do Guangzhou Evergrande, e o ex-corintiano é uma boa contratação para os Blaugranas.

Paulinho, afinal, pode ser tanto um bom titular quanto um bom reserva para Ernesto Valverde. Se o esquema 4-3-3 for mantido, o brasileiro disputará posição com Rakitic, e provavelmente ficará no banco, sendo uma boa opção para entrar em diversas partidas ou começar jogando quando o croata for poupado e entrar no rodízio que vai existir ao longo da temporada.

Valverde, porém, mostrou ao longo da pré-temporada que deseja adaptar a formação tática e variar em alguns momentos e partidas. Ele já utilizou o 4-2-3-1 e o 4-4-2 em alguns jogos. Os melhores momentos de Paulinho na carreira foram no Corinthians e na Seleção, ambos no 4-1-4-1 com variações, mas o brasileiro pode se adaptar muito bem aos dois esquemas, além de dar mais opções táticas para o treinador. Veja, abaixo, as possibilidades de escalação do Barça com Paulinho como titular.

4-1-4-1 GFX Barcelona Paulinho4-3-3 GFX Barcelona Paulinho4-4-2 GFX Barcelona Paulinho

Enquanto Coutinho e/ou Dembélé não chegam - se é que chegarão -, o Barcelona tem atuado no 4-3-3 com algumas variações ao longo das partidas. Deulofeu tem sido o substituto de Neymar. No entanto, se por um lado ele tem feito um bom papel sem a bola e sido importante taticamente, algo que não era antes e fez o Barça negociá-lo para ele ganhar experiência e evoluir antes de recontratá-lo, com a bola ele tem deixado a desejar. Valverde quase sempre coloca Denis Suárez em seu lugar no segundo tempo, como fez na Supercopa, e o time catalão melhora. No esquema atual, Paulinho seria reserva de Rakitic ou entraria no lugar do croata, como já mencionado anteriormente.

No entanto, com o ex-Guangzhou Evergrande, Valverde ganha uma opção interessante para poder variar o esquema e também o estilo de jogo blaugrana. Sergi Roberto, que deve usado mais vezes em sua posição natural no meio-campo nesta temporada, já que Aleix Vidal tem jogado bem na lateral-direita, não sobe ao ataque tão bem quanto Paulinho e não tem essa vocação como o brasileiro. Como Deulofeu não vem rendendo tão bem e contra o Real Madrid foi praticamente nulo, pode ser interessante utilizar o tupiniquim na equipe titular e modificar a formação tática, como nos quadros mostrados acima. É possível dar ainda mais liberdade para Messi e Suárez decidirem no ataque, e armar um 4-1-4-1/4-1-2-3/4-1-3-2 ou 4-4-2.

Nestas formações, Paulinho pode atuar pelo lado direito do meio-campo, subindo muito ao ataque e se infiltrando como elemento surpresa, como faz na Seleção Brasileira, além de ajudar na marcação. Busquets, como habitual, ficaria mais preso, sendo o primeiro homem na frente da linha de quatro defensiva e o responsável por dar a conhecida qualidade na saída de bola. O meio-campista tupiniquim dá mais possibilidades para Valverde armar sua equipe titular ou ter boas opções para modificar o panorama das partidas e o estilo e esquema de seu time durante os jogos. É claro, porém, que todas as formações levam em consideração o elenco atual azul-grená, descartando os reforços que devem chegar ao Barça até o fim da janela.

Paulinho FC Barcelona GFX

Quanto ao estilo, o Barcelona, como se sabe, possui a filosofia de troca de passes, manter a posse e trabalhar bem a bola, com paciência, em busca de espaços. No entanto, Luis Enrique fez adaptações ao estilo, e muitas vezes mostrou um time mais vertical, objetivo, que inclusive atuou nos contra-ataques em alguns momentos. Valverde, em seu início de trabalho, mantém a forma de jogo de seu antecessor e tenta dar um pouco de sua cara ao time. No Athletic Bilbao, ele usou o 4-2-3-1 na maioria das vezes, e a equipe do País Basco apostava em um jogo veloz e vertical, usando muito os lados do campo e meio-campistas se infiltrando como elementos surpresas.

Ou seja, Paulinho pode sim, se encaixar no estilo de Valverde e do Barcelona. O treinador gosta de meio-campistas com as características que o brasileiro possui, e o Barça, apesar do estilo de toques e posse, muitas vezes é mais vertical e veloz. Não à toa, Rakitic sobe ao campo de ataque pelo lado direito com frequência para armar jogadas, finalizar e marcar gols. Paulinho faz muito bem isso e também pode dar mais opções táticas aos Blaugranas.

Outra questão é que a Seleção, apesar do esquema tático diferente: o 4-1-4-1 com algumas variações, tem muitas semelhanças em relação ao estilo de jogo do Barcelona. Tite aposta em uma equipe que tem a bola, troca muitos passes e trabalha bem a posse em busca de espaços e com paciência, mas também é muito vertical e veloz em alguns momentos, além de saber a hora de variar entre a marcação pressão na saída rival para recuperar a posse rapidamente e esperar no campo de defesa para sair em rápidos contra-ataques. O Barça evoluiu com Luis Enrique neste sentido e adaptou seu estilo tiki-taka, como mencionado anteriormente, fazendo muito disso, e Valverde dá mostras de que manterá isso e tentará acrescentar mais elementos.

Paulinho Uruguai Brasil Eliminatorias 2018 23032017(Foto: DANTE FERNANDEZ/AFP/Getty Images)

O Brasil, não à toa, é o segundo time com maior média de posse de bola das Eliminatórias Sul-americanas para a Copa de 2018 (61,3%, atrás apenas do Chile, com 62,07%), e o esquadrão que mais troca passes (7420) e toca na bola (10239). Paulinho tem papel fundamental nisso. A equipe tupiniquim é mais vertical e objetiva em alguns momentos que o Barcelona, é verdade, mas os Blaugranas também o fazem muitas vezes. Existem semelhanças e diferenças, e o meio-campista brasileiro se encaixa bem na equipe de Valverde e dará mais opções para o treinador, seja como titular ou como opção no banco.

Paulinho chega ao Barcelona com muita pressão pelo alto valor investido nele, o fracasso anterior no futebol europeu e o momento ruim dos catalães, tanto em campo quanto no mercado, mas pode dar certo e é uma boa contratação, por mais que por uma cifra exagerada. É claro, porém, que vários fatores podem beneficiar ou atrapalhar o rendimento do meio-campista. Ele tem um estilo de jogo que deve lhe ajudar a ter uma adaptação mais fácil ao Barça e ao Campeonato Espanhol, mas seu time vive momento ruim e precisa de reforços e moral. Paulinho chega para ajudar e ser importante nos Blaugranas, mas não para resolver os problemas do clube.

Próximo artigo:
Tabela histórica da Champions League: quantos gols tem Cristiano Ronaldo e Messi
Próximo artigo:
Estado Islâmico faz ameaça em relação à Copa do Mundo de 2018
Próximo artigo:
Presidente do Grêmio xinga juiz do próximo jogo: "careca vagabundo"
Próximo artigo:
Zidane e Navas elogiam o desempenho do Real, mas consideram empate contra os Sprus justo
Próximo artigo:
No show do futebol entre City e Napoli, o Brasil mostrou o seu excelente momento
Fechar