Jato, festa privada e dinheiro para criança podem provar corrupção na escolha dos Mundiais de 2018 e 2022

CompartilharFechar Comentários
O jornal alemão Bild vai publicar nesta semana novidades inéditas que podem afundar a FIFA em mais uma crise

Detalhes inéditos do relatório de 403 páginas feito por Michael Garcia, a respeito das alegações de corrupção nos bastidores das escolhas das sedes para as Copas do Mundo de 2018 e 2022 serão publicados nesta terça-feira (27).

O relatório, feito de maneira independente por Garcia, investigador de ética, a pedido pela FIFA foi repleto de controvérsia no seu lançamento em 2014. Garcia pediu demissão quando o seu extenso trabalho foi reduzido a 42 páginas - além de livrar o Qatar de qualquer ligação corrupta.


VEJA TAMBÉM:


No entanto, o jornal alemão Bild diz ter em mãos o relatório com detalhes que incluem o pagamento de 2 milhões de dólares para uma menina de 10 anos, filha de um dirigente da FIFA. O veículo germânico também fala de uma festa, no Rio de Janeiro, entre executivos da máxima entidade do futebol, com direito a um jato privado da federação qatari, na véspera dos votos para decidir as sedes dos Mundiais de 2018 e 2022 há mais de seis anos.

Em novembro de 2014, o superior no comitê de ética da FIFA, Hans Joachim Eckert, voltou a garantir que não houve corrupção no pleito. Se as reportagens do Bild provarem o contrário podem levar a FIFA novamente para uma grande crise de corrupção.

Próximo artigo:
Mercado da bola: os principais rumores de Corinthians, São Paulo, Flamengo e os grandes clubes do Brasil!
Próximo artigo:
Aloisio admite ter balançado com sondagem do São Paulo, mas explica motivo de ter escolhido seguir na China
Próximo artigo:
"Divórcio" entre Cristiano Ronaldo e Florentino Pérez está cada vez mais evidente
Próximo artigo:
Bruno Aguiar lamenta não ter tido sequência no Goiás e espera definir seu futuro nos próximos dias
Próximo artigo:
Flamengo anuncia oficialmente Marlos Moreno como reforço para 2018
Fechar