Como uma expulsão injusta quase abreviou a carreira do aniversariante Diego Costa no futebol

Comentários
Atacante conseguiu reversão da punição e mostrou o seu futebol para olheiro que o levaria do Barcelona Capela ao Braga, de Portugal


REPORTAGEM ESPECIAL - Por Jaqueline Lima e Rodrigo Hoschett


Aniversariante do dia, Diego Costa deu os seus primeiros passos no futebol em Lagarto, Sergipe, sua cidade natal, antes de seguir sua jornada em São Paulo, no modesto Barcelona Capela. No clube paulista, o atacante se destacou desde a sua chegada e, mesmo com apenas 15 anos, já era considerado um jogador espetacular por Paulo Sérgio Moura, presidente do Barça.

“O Diego é muito especial, muito especial mesmo. A vida dele foi fadada de acontecimentos de luz, tudo que aconteceu com o Diego, do começo até hoje, sempre tinha uma estrela brilhando na testa dele", lembrou Paulo em entrevista exclusiva à Goal Brasil .

"Eu mesmo apostei tudo que eu precisava em cima do Diego porque dava pra perceber que ele era um menino muito diferenciado de todo mundo.”

Paulo Sérgio Moura, presidente do Barcelona Capela SP Paulo Ségio Moura, presidente do Barcelona Capela, primeiro clube de Diego Costa (Foto: Rodrigo Hoschett / Goal Brasil)

“Fisicamente, psicologicamente, profissionalmente, um jogador espetacular, naquela idade mesmo ele já era espetacular. Ele era tipo três, quatro anos além da capacidade dos outros meninos, e olha que ele pertencia a um grupo muito forte e ele superava de longe. Ele um menino difícil de marcar, o adversário colocava três, quatro, cinco pra marcar e não seguravam de jeito nenhum"

"Ele era um menino de ambiente, ele fazia o ambiente, muito brincalhão, então todo mundo gostava dele. Foi uma pessoa que aqui brilhou do começo ao fim, então não tinha como não notar o Diego”, acrescentou.

O destaque no Barcelona Capela deu a Diego Costa a chance de dar um salto na sua carreira e rumar para o futebol português, que já tinha olhos em seu talento. Mas o inesperado aconteceu: expulso - injustamente - em uma partida, ele viu o sonho ficar distante, e até a carreira do futebol foi posta em xeque.

No entanto, o esforço do clube foi o suficiente para reverter a punição pouco antes da chegada de um olheiro, e, mesmo sem conseguir recuperar o ritmo de jogo, o atacante mostrou o seu futebol e garantiu sua passagem para o Braga.

“Nós convidamos um pessoal de Portugal, da Gestifute. Nós tínhamos conhecimento, uma amizade com Jorge Mendes na época e ele indicou o Sr. Armando Silva, e ele veio aqui dar uma olhada no Diego. Em um determinado momento foi marcado a passagem para o Silva vir para o Brasil, e justamente nesse período, o Diego sofreu uma punição por expulsão e pegou um gancho de 180 dias de suspensão", conta Paulo Sérgio.

"O Diego chegou pra mim e disse ‘eu falei pra você, Paulo, que eu não queria ser jogador, eu não quero, isso é pra mostrar pra você que eu não vou ser jogador’. Ali foi a gota d'água pra ele, ele não queria mais, desistiu de jogar bola”.

Barcelona Capela SP Camisas do Barcelona Capela, primeiro clube de Diego Costa (Foto: Rodrigo Hoschett / Goal Brasil)

“Faltando três, quatro dias pra esse pessoal chegar nós conseguimos junto à Federação, porque nós tínhamos todos os jogos gravados, e pela filmagem, deu pra constatar que ele não agrediu, ele foi agredido e a Federação reverteu por falha da arbitragem e eu liguei correndo pra ele ir pro jogo. Ele chegou sem treinar, mas ele era titular absoluto do clube com 16 anos e não tinha como deixa-lo de lado"

"Conversei com o treinador e chegamos à conclusão que ele ia jogar só meio tempo, e, chegando na virada do jogo, o treinador colocou ele. O olheiro, nos cinco minutinhos que viu ele jogando, falou ‘obrigado, estou indo embora, não quero mais ver nada, já vi o que quero e é ele que eu quero’. A gente conta essa história pra ver realmente a estrela, ele é predestinado em tudo”, acrescentou.

EMBED Archive pic Diego Costa Reprodução

"Ele chegou em uma idade de juvenil, e no mesmo dia o técnico do Braga B o viu treinando e o levou. Lá, ele teve uma ascensão pra profissional em um dia só, de uma condição de juvenil ele passou a ser titular com o Jesualdo [Ferreira] que era treinador do time principal do Braga na época”.

A partir daí, a história já é bem conhecida. Aquele jovem do Sergipe, quem diria, ficou a um breve instante de seguir no esporte, e empilhar gols Europa afora.


VEJA TAMBÉM:


Próximo artigo:
Futebol na TV: confira a programação de sexta-feira, 21 de setembro
Próximo artigo:
Libertadores 2018: confira quando o seu time vai entrar em campo!
Próximo artigo:
Palmeiras na Libertadores: maiores artilheiros, goleadas e participações
Próximo artigo:
Bruno Henrique e Dudu comemoram vitória do Palmeiras, mas mantém os pés no chão
Próximo artigo:
Colo Colo 0 x 2 Palmeiras: Verdão busca resultado fora e encaminha classificação
Fechar