Mancini está triste com a saída de Balotelli

Em declaração à imprensa inglesa, o técnico do Manchester City lamentou: “Era como um dos meus filhos”
Um dos principais apoiadores da carreira de Mario Balotelli, o italiano Roberto Mancini está triste com a saída do jogador do Manchester City. O técnico do clube inglês disse que o compatriota era “como um dos meus filhos”. A declaração foi dada nesta terça-feira, mesmo dia no qual o atacante foi confirmado como novo reforço do Milan.

Segundo a imprensa italiana, o Milan pagará 20 milhões de euros (R$ 54,5 milhões), mais eventuais 3 milhões de euros (R$ 8,1 milhões) em bônus, para tirar Balotelli do Manchester City.

A saída fez Mancini lamentar. Referindo-se ao atacante como um “filho”, o treinador disse que a notícia é “difícil” porque o jogador “poderia ser importante nos próximos 14 jogos”, nos quais o clube tenta conquistar o bi do Campeonato Inglês.

Por outro lado, o técnico disse que “é importante” para Balotelli retornar à Itália, onde “pode melhorar e se tornar um dos melhores jogadores do mundo”.

O treinador ainda negou que tenha ficado cansado com o comportamento controverso do atleta, que se envolveu em muitas polêmicas nos quase três anos em que defendeu o City. No início de janeiro, por exemplo, Mancini e Balotelli iniciaram uma ríspida discussão durante treinamento da equipe, sendo que o jogador acabou expulso da prática devido a uma suposta entrada mais dura dada em um dos colegas, o volante Scott Sinclair.

O italiano disse que pode ter ficado irritado com o atacante em certos momentos, mas o definiu como “um garoto agradável” que era “amado” por todos os seus companheiros no clube inglês.
Balotelli, 22 anos, recebeu as primeiras chances na Inter de Milão em 2006, quando Mancini era justamente o técnico da equipe italiana. O centroavante se transferiu para o Manchester City em agosto de 2010 por 22 milhões de libras (R$ 69 milhões, segundo a cotação atual), voltando a ser comandado pelo treinador italiano. Agora, retorna a seu país natal.