thumbnail Olá,

Técnico reconhece dificuldade financeira do clube e fala em colaborar com a nova diretoria

A chegada da nova diretoria do Palmeiras pode significar o fim de um sonho recente da torcida e da comissão técnica: a contratação do meia argentino Juan Román Riquelme. O treinador Gilson Kleina, que deve conversar com os novos chefes nesta quinta-feira, sinalizou positivamente com a possibilidade de conter gastos com o futebol em 2013, o que significaria o fim das negociações com o sonhado camisa 10.

O ex-presidente Arnaldo Tirone pretendia acertar a transferência do armador antes da segunda-feira, quando Nobre foi eleito no Verdão. Agora, a decisão final ficará a cargo de Paulo Nobre.

"Sei que vamos falar da parte financeira. O clube tem pendências, uma dívida grande, e o Paulo Nobre [presidente] quer dar um passo de cada vez. Claro que todos estão querendo o Riquelme, mas vamos ver a situação", disse, em declarações publicadas pela ESPN Brasil.

"Ele tem uma incontestável qualidade técnica, mas o último campeonato que disputou foi há sete meses e precisamos ver sua condição clínica."

Kleina ainda se mostrou disposto a estabelecer uma boa relação com o novo mandatário e com o novo diretor-executivo, José Carlos Brunoro, anunciado nos últimos dias.

"Ele (mandatário) já tinha falado para mim que sua gestão seria profissional. Não tive ainda o privilégio de trabalhar com o Brunoro, mas sei que é um excelente profissional. Fiquei sabendo pelo presidente que vão trabalhar com os pés no chão e temos de entender, respeitar e estar junto. Temos de ser parceiros."

"(Brunoro) é um profissional que passou em uma era de grande investimento e vitórias no Palmeiras. Deve conhecer mais do que ninguém o clube e a tendência é de muita melhora”, concluiu o técnico.

Relacionados