thumbnail Olá,

Presidente diz ter a última palavra na contratação do argentino, mas negócio corre risco de não ser concluído dentro de sua gestão

O presidente Arnaldo Tirone corre contra o tempo para anunciar o meia Juan Riquelme ainda durante sua gestão, que será encerrada com a eleição da nova diretoria alviverde na segunda-feira. Como as conversas estão bastante adiantadas, o cartola se arrisca em determinar o andamento das negociações, e diz que qualquer decisão contrária do Conselho de Orientação Fiscal (COF) do clube não terá relevância no desfecho da transferência.

No início da próxima semana, o pleito entre os candidatos Décio Perin e Paulo Nobre decide o novo mandatário do Verdão.

"Está 50% fechado", disse, em entrevista à Rádio Jovem Pan.

"Não deve dar tempo de concluir até segunda-feira, mas o importante é que ele quer jogar no Palmeiras e levar o time de novo para a Série A."

"O COF pré-autorizou a contratação do Riquelme há 20 dias, agora não adianta mudar. Até segunda-feira, a caneta é minha."

Mesmo com o risco de bater de frente com o Conselho, Tirone diz que jamais tratou o negócio de maneira irresponsável, e aproveitou para defender sua gestão nos últimos dois anos, apesar do rebaixamento à Série B na última temporada.

"O COF orientou para levar uma viabilização financeira da contratação, como ocorre em todos os clubes. Em nenhum momento sinto receio de ser punido porque não vou fazer nenhuma irresponsabilidade como não fiz em dois anos. Não vou fazer nenhuma loucura. Eu e minha diretoria fomos responsáveis com o clube. Mas não sou mágico e Superman para resolver todos os problemas do clube em dois anos", concluiu.

Relacionados