thumbnail Olá,

Atacante se apresenta no Internacional no início da semana

Negociado com o Internacional, o atacante Rafael Moura teve seu último final de semana como jogador do Fluminense. Através de carta, o 'He-Man' destacou as melhores lembranças de suas passagens nas Laranjeiras (uma delas em 2007), como os companheiros, comissão técnica e diretoria.

Veja o pronunciamento na íntegra:

Olá, pessoal!
Na última sexta-feira, chegou ao fim um dos períodos mais especiais da minha carreira. Quando retornei ao Fluminense, no início do ano passado, queria deixar uma impressão diferente da minha primeira passagem por aqui, em 2007. Voltei mais maduro, experiente e motivado a fazer o melhor possível. O carinho com que fui recebido e tratado por todos nas Laranjeiras, desde o primeiro dia, foi enorme e isso se refletiu dentro de campo. Muito também por conta do grupo fantástico do qual eu tive a honra de fazer parte. Além de ser um plantel de qualidade, existe um companheirismo muito grande entre todos os jogadores, coisa que eu nunca tinha visto igual.

Por isso, gostaria de agradecer a todos meus colegas de time - aos quais eu também posso chamar de amigos - que deixo aqui no Rio de Janeiro para encarar esse novo desafio na minha vida. Em especial, os parceiros de vídeo game; meu companheiro de quarto nas concentrações, o roqueiro mal-humorado Rafael Sóbis; e o nosso capitão Fred, que foi fundamental para a minha vinda no ano passado e um dos grandes amigos que eu fiz no futebol.

Além dos meus companheiros, preciso agradecer também ao Rodrigo Caetano e ao Sandro Lima, que foram sempre muito transparentes e corretos durante todo esse processo de transferência; ao presidente Peter, um cara muito bacana, que dirige o clube com maestria, procura ver o lado humano do jogador e se preocupa bastante com isso; ao doutor Celso Barros, um apaixonado pelo clube, que faz tudo o que pode pelo Fluminense e não mediu esforços para que eu retornasse; aos departamentos de marketing, jurídico e médico; à assessoria de imprensa; e todos demais funcionários, que sempre nos trataram como filhos. Meu muito obrigado também à comissão técnica, com a qual espero trabalhar novamente no futuro. São profissionais muito competentes comandados pelo Abel, que, além de um grande treinador, é um cara de um caráter irretocável, pelo qual eu sempre terei um imenso respeito e amizade.

Saio do clube no mesmo dia 10 de agosto de cinco anos atrás, mas consciente de que fiz o meu melhor em cada momento que entrei em campo e também porque todos os interesses do Fluminense foram atendidos. E não poderia ser diferente. Vivi muitos momentos especiais com essa camisa tricolor durante esses 19 meses. Nunca vou me esquecer da emoção de marcar o gol do título carioca contra o Botafogo no Engenhão lotado e de ouvir a torcida gritar o meu nome. Aliás, torcida que sempre me incentivou e apoiou durante todo esse tempo. Meu carinho e respeito por esse time são eternos. Foram 68 jogos e 27 gols que estarão para sempre guardados na minha memória.

Um forte abraço e saudações tricolores,
Rafael Moura

Como se atualizar com as notícias do futebol mundial fora de casa? Com http://m.goal.com - sua melhor fonte de cobertura para celulares do futebol.
          

Relacionados