thumbnail Olá,

O CSKA Moscou, da Rússia, chegou a oferecer mais de 6 milhões de euros pelo camisa 10

Apesar de o atacante Guilherme ter sido alvo de propostas e sondagens, o jogador não pretende deixar o Atlético. O CSKA Moscou, da Rússia, chegou a oferecer mais de 6 milhões de euros pelo camisa 10, de acordo com a Rádio Estadão/ESPN. Outra proposta oficial ainda chegou para a diretoria alvinegra na semana passada. As conversas não tiveram prosseguimento. Um clube francês ainda fez uma sondagem pelo atacante.

Mas o empresário de Guilherme, Sérgio Suarez, garante que o atacante continuará no Atlético. “Nesse período sempre tem muitas pessoas fazendo contatos. Mas o Guilherme está muito feliz e adaptado no Atlético. Ele está focado em ajudar o clube a ser campeão brasileiro neste ano. Tomara que não tenha mais nenhuma lesão e que possa jogar bem. Nós fazemos um planejamento de carreira para ele de médio prazo. Não adianta sair do país só para fazer dinheiro. Não trabalhamos dessa maneira”, afirmou.

O camisa 10 do Galo, que foi fundamental na campanha do título invicto do Campeonato Mineiro, e vive boa fase em 2012, confirma que não deixará o clube. Além disso, revela que está muito feliz com o apoio do torcedor alvinegro, algo que ele temeu que não conquistaria, já que foi revelado pelo Cruzeiro.

“Foi uma boa temporada minha lá (no CSKA). Não fiquei sabendo de nada efetivamente. Mas, antes que o presidente não aceitasse, teria que saber se eu queria ir. Estou feliz aqui e tranquilo. Consegui algo que juro para você que achei que não ia conseguir, que era o torcedor do meu lado, me apoiando. Foi a minha maior conquista aqui até o momento, ter o carinho da massa. Para mim, foi até mais importante que conquistar o Mineiro. Não sei se teve essa procura (do CSKA), se me interessa. Quero é terminar o ano aqui bem e, quem sabe, ser campeão”, ressalta Guilherme, questionado sobre a proposta russa.

Guilherme foi comprado pelo Atlético por 6 milhões de euros, do Dínamo de Kiev, da Ucrânia. O Galo é dono de 60% dos direitos econômicos e o os outros 40% são divididos entre os parceiros: 25% para o BMG e 15% para a Traffic. Na temporada 2009/2010, ele defendeu o CSKA Moscou, onde deixou uma boa impressão para torcida e dirigentes.

Relacionados