thumbnail Olá,

Um dos principais nomes dos Red Devils desde que chegou a Old Trafford, há nove anos, Rooney agora está desesperado para ser negociado

Por Greg Stobart

A relação de Wayne Rooney com o Manchester United chegou a um ponto insustentável.

Fontes próximas ao jogador fizeram saber que ele está "confuso e com raiva" depois de alguns comentários feito pelo novo comandante do United, David Moyes, sugerindo que ele é segunda opção para Van Persie.

Rooney, que abandonou a pré-temporada do Manchester United pela Austrália e Ásia com um problema no músculo da coxa, está revoltado com o escocês e sente que não tem mais futuro para ele em Old Trafford.

"De forma geral, minha ideia para Wayne é que, se por qualquer motivo Robin van Persie sofrer uma lesão, vamos precisar dele," disse Moyes no fim de semana. "Quero ter o máximo de opções possível."

Rooney expressou sua raiva para a hierarquia do United e segue convencido de que não pode mais continuar no clube. Como revelado em maio pela Goal, Chelsea e Arsenal competem pela sua assinatura.

O conflito entre Rooney e os Red Devils deve ficar ainda mais tenso nas próximas semanas, depois que o jogador submeter um pedido oficial de transferência.

A posição oficial do clube é de que Rooney não será vendido, mas os comentários de Moyes são vistos como calculados justamente para provocar a estrela inglesa, que ainda tem dois anos no seu contrato mas sente que está no pico da sua carreira depois de nove anos no Teatro dos Sonhos.

Rooney ficou ainda mais nervoso com Ed Woodward, diretor executivo do United, que revelou que o clube não irá oferecer um novo contrato a ele e está preparado para deixá-lo cozinhando até o acordo atual acabar.

Woodward disse: "Não há renovações de contrato a serem discutidas. Não vou sentarcom nenhum jogador para falar sobre isso e não temos nenhum prazo para fazê-lo. Se ficaríamos com medo de deixar o contrato correr até o fim? Claro que não."

Rooney está cada vez mais frustrado com seu status rebaixado em Old Trafford, que culminou com a sua barração antes do jogo mais importante do time na última temporada: o duelo pelas oitavas-de-final da Champions League, contra o Real Madrid.

Ao contrário das informações que diziam que a relação desgastada de Rooney e Sir Alex Ferguson era o motivo central para o seu desejo de deixar o clube onde chegou em 2004, fontes afirmam que o jogador se opõe mesmo a trabalhar com Moyes, que foi seu primeiro técnico profissional e com quem ele já teve uma briga pública, logo depois de deixar o Everton.

Relacionados