thumbnail Olá,

Os aurinegros enfrentarão um período crítico para permanecer em sua trajetória atual e devem agir de maneira decisiva, ou correm o risco de falhar seriamente.

ESPECIAL

"Estamos precisando de umas férias, mas vamos estar ativos no mercado de transferências para garantir que estaremos competitivos nesta próxima temporada", disse Jurgen Klopp, enquanto refletia sobre o que ele chamou de resultado de “m*rda” na final da Champions League contra o Bayern de Munique.

Tem sido uma temporada longa e exaustiva para o BVB com muitos altos e baixos. As vitórias sobre o Real Madrid, a euforia da vitória nos minutos finais sobre Málaga e sua chegada ao cenário mundial estiveram lado a lado com o vice-campeonato da Bundesliga, 25 pontos atrás do Bayern, além da sua derrota revoltante em Wembley e a tranferência de Mario Götze para os rivais bávaros.

E com seu craque e artilheiro da equipe, Robert Lewandowski, podendo seguir o caminho de Götze rumo à Allianz Arena. Parece que só há razões para para a tristeza e a melancolia no Signal Iduna Park.



Brilhantes Conselheiros | Watzke e Zorc devem pensar a reconstrução com Kloppp

Dito isto, tem sido uma temporada de refência para o Borussia Dortmund poder construir para os próximos anos. Klopp confirmou seu status como um dos maiores treinadores da Europa, ganhando uma série de invejáveis admiradores no mundo em seu caminho e a filosofia do clube recebeu aplausos generalizados.

A campanha na Champions League, juntamente com as saídas de Götze e, provavelmente, Lewandowski, irá dar-lhes poder financeiro que eles nunca possuíram em sua história, enquanto eles já estão em uma posição de prestígio para atrair novos bons jogadores.
NÚMEROS
JOGADOR
Weidenfeller
Lewandowski
Reus
Schmelzer
Piszczek
Gundogan
Götze
Jogos
49
49
48
46
46
44
44


E não poderia vir em melhor hora. A segunda metade do jogo contra o Bayern expôs a sua principal lacuna na Bundesliga: eles são capazes de enfrentar qualquer time no mundo do futebol, mas falta um auxílio. Depois de uma temporada que durou mais do que o esperado, eles estavam exaustos, enquanto os bávaros estavam revigorados, depois de terem tido o luxo de descansar suas estrelas para a maioria de seus últimos jogos da Bundesliga devido ao seu elenco superior.

Lukasz Piszczek cuidou de um problema no quadril durante meses e não estará disponível mais uma vez até novembro, no mínimo, com BVB adiando a cirurgia até o final da temporada. Eles simplesmente não tinham outra escolha pois não têm reforços para substituí-lo.

É uma história similar no outro lado da defesa, também. Marcel Schmelzer é o único jogador capaz de jogar à esquerda e quando um tem parceiro de posição ausente, Kevin Grosskreutz ou Jakub Blaszczykowski, alas de ofício, são improvisados em papeis defensivos.

Julian Schieber tem falhado para fornecer um suporte confiável para Lewandowski, e implantação de Grosskreutz em uma infinidade de posições, além da falta de uma boa sequência de jogos, viu sua forma escorregar dramaticamente para baixo.

Reforços são uma obrigação, especialmente se BVB querem ser tão competitivos como nesta temporada, assim como Klopp prometeu. Por isso, sua atenção deve se voltar para trazer grandes nomes para substituir Götze e Lewandowski e sua exposição recente os relacionaram com uma série de jogadores.

Enquanto alguns nomes parecem fantasiosos, o Ajax afirmou que não houve uma abordagem em relação a Christian Eriksen, que admitiu que não seria contrário a uma mudança para a Alemanha, enquanto Edin Dzeko do Manchester City é um alvo confirmado, com seu clube atual não sendo avesso a uma venda.

"Estamos precisando de umas férias, mas vamos estar ativos no mercado de transferências para garantir que estaremos competitivos nesta próxima temporada"

- Klopp

Outra preocupação imediata é garantir que outras nomes importantes não saiam da equipe. A saída de Götze foi habilitada por não haver uma multa rescisória; Marco Reus, sua maior ameaça no ataque, depois do jogador de 20 anos de idade, e Lewandowski, também tem um valor de €30 milhões ou €35 milhões.

O diretor do clube, Hans-Joachim Watzke, insiste que o Dortmund não oferecerá mais contratos sem cláusulas de recisão e conversas com Reus são uma necessidade, pois está estendendo contrato atual da Ilkay Gundogan, que expira em 2015.

Quanto à possibilidade de eles poderem desafiar Bayern no próximo ano, ainda não se sabe. Os bávaros estarão no auge, após a sua conquista (provável) da tríplice coroa. Mas como Pep Guardiola dará sua cara à equipe alemão, não há respostas.

Dortmund estará no papel que eles apreciam jogar - a dos oprimidos. Com dois de seus craques saindo e seus principais rivais chegando com folga sobre eles em uma temporada histórica, ninguém está esperando muito do BVB. Mas o retrospecto dos aurinegros nesta situação é favorável. Eles se saíram melhor quando ninguém esperava nada deles. Basta lembrar de 2010/11, quando nem mesmo Klopp teria previsto um triunfo na Bundesliga.

A jornada do BVB ainda não acabou. Mats Hummels, Piszczek, Schmelzer, Roman Weidenfeller, Blaszczykowski, Sven Bender e, o mais importante, Klopp estão nele para o longo curso. Mas a incapacidade de agir nesta janela de tranferências pode ser fatal. O Borussia Dortmund pode não sobreviver ao verão europeu.

Relacionados