Neymar vai, enfim, para o Barcelona. Mas e agora?

Atacante, que pode trocar Santos por Barcelona em breve, precisaria se adaptar a papel que ainda não desempenhou em sua carreira. A opinião vem da Espanha
Uma novela, com todos os elementos comuns ao gênero. Foi assim que o mundo do futebol assistiu aos capítulos finais da passagem de Neymar pelo Santos, cujo epílogo começou na sexta-feira, com a reunião que confirmou sua saída do clube praiano, até domingo, em uma despedida emocionante no empate sem gols com o Flamengo, a última vez que representou o branco e preto do Peixe antes de sua ida para o Barcelona.

Agora que o Brasil observa seu principal em atividade em sua aventura na Europa. Muitas questões começam a surgir: será isso o que faltava para ele se tornar o tão esperado líder da Seleção? Ele chegará ao topo do mundo? E a parceria com Messi, como vai funcionar?

Ter certeza de qualquer uma destas respostas seria um erro grosseiro, como qualquer afirmação definitiva sobre aquilo que acontece nos gramados. Com relação a seu papel no Barcelona, porém, é possível traçar um esboço de como será.

Com a palavra, Pilar Suárez, correspondente do Goal para o Barcelona:

Neymar vai precisar se adaptar ao estilo de jogo do Barça e, como qualquer jogador que chega ao clube, participar do jogo de toques curtos que é praticado lá. O brasileiro tem sido acompanhado de perto ao longos dos três últimos anos pelo clube, e é tido como a peça ideal para se encaixar à metodologia da equipe de Tito Vilanova, onde se explora muito os ataques rápidos pelos lados do campo. A titularidade imediata, porém, está fora de cogitação.

NEYMAR EM NÚMEROS
Muito se fala sobre a compatibilidade de Neymar com Messi na mesma equipe. Acredito que sim, ambos podem jogar juntos, o argentino não decide quem joga ou não, mas também é verdade que o sistema do Barça é moldado para ter em Messi a figura central do ataque, e Neymar deve continuar servindo a esse propósito, taticamente falando.

'La pulga' está jogando em uma posição mais recuada em relação às últimas temporadas, o que dá a ele mais possibilidades de jogada. Assim como Pedro faz hoje, Neymar deverá acompanhar o argentino.


Neymar não é o 'plano B' do Barcelona, mas pode ajudar a aliviar a pressão que há hoje sobre Messi, e eventualmente, reduzir um pouco desta 'Messidependência'.

Ele é capaz de se adaptar ao estilo de jogo praticado pela equipe, isso é certo, mas o mais importante é quão rápido ele conseguirá evoluir em termos de mentalidade. Para jogar na Europa, em grandes torneios, é preciso saber aguentar a pressão, algo que Robinho, por exemplo, não conseguiu fazer no Real Madrid.



O Barcelona é moldado em função de Messi, e Neymar deve continuar seguindo a esse propósito


- Pilar Suárez, Goal Espanha

O fator nacionalidade é algo que pesa contra seu favor, já que os torcedores devem esperar muito de um grande reforço vindo do Brasil.

Algo semelhante aconteceu com Cesc Fabregas e Alexis Sánchez, que até hoje não conseguiram ganhar o respeito da torcida. É um dos problemas que Neymar certamente terá de enfrentar, e a ajuda de amigos como Dani Alves certamente será fundamental para guiá-lo em sua caminhada.