thumbnail Olá,

O atacante da Udinese marcou 100 gols nos últimos quatro anos, deixando para trás estrelas como Cavani, Falcão, Ibrahimovic e Van Persie

Por Matteo Ronchetti

As melhores coisas vêm nas melhores embalagens, enquanto muitas outras ficam melhores com o tempo. Antonio Di Natale já foi comparado a um bom vinho, mas o centroavante da Udinese nem precisa de tais superlativos. Tal é o seu histórico de gols em tempos recentes que ele pode ser descrito, simplesmente, como um dos melhores atacantes do mundo.

Apesar de ganhar a vida em um clube provinciano com aspirações ofensivas muito menores do que clubes de maior renome, Di Natale alcançou a fenomenal marca de 100 gols nas últimas quatro temporadas, deixando na vergonha alguns dos jogadores mais comentados do futebol. Depois dos 29 gols na temporada 2009-10, ele conseguiu uma consecutiva coroa Capocannoniere (a chuteira de ouro da Itália) com mais 28 no ano seguinte. Temporada passada foram 23 e, até agora, 20 gols garantiram a manutenção da sua consistência diante das traves e ajudaram a Udinese a brigar um pouco além das suas possibilidades.

MAIORES ARTILHEIROS NA EUROPA NOS ÚLTIMOS 4 ANOS
161 - Lionel Messi
145 - Cristiano Ronaldo
100 - Antonio Di Natale
91 - Radamel Falcão
88 - Edinson Cavani
85 - Zlatan Ibrahimovic
82 - Robin van Persie
80 - Luis Suarez
76 - Wayne Rooney
75 - Mario Gomez
*Tallies correct as of 10/05/13
Os números são extraordinários. Somente Lionel Messi e Cristiano Ronaldo - com 161 e 145 gols respectivamente - podem exibir marcos melhores no mesmo período. O argentino anotou um total de 34, 31, 50 e 46 tentos nas últimas quatro temporadas com o Barcelona, enquanto o português do Real Madrid conseguiu 26, 40, 46 e 33 nas correspondentes campanhas. Os recordes da dupla são realmente incomparáveis, especialmente dado o relativo poder dos seus clubes em comparação ao restante dos times na liga espanhola. Mas o mesmo serve para Di Natale e as dificuldades que o cercam, fazendo suas quatro temporadas seguidas marcando 20 gols ou mais um dado ainda mais notável. Junto de Messi e Ronalo, ele é o único jogador nas maiores ligas europeias a ter atingido tal marca.

Na Serie A, ninguém chegava a esta marca em 51 anos, desde que José Altafini marcou o mesmo número de 20 gols por temporada. Antes dele, Istvan Nyers, Gunnas Nordahl (em sete temporadas consecutivas) e Giuseppe Meazza (cinco temporadas) também passaram da marca. Mas não só Di Natale é apenas o quinto jogador a conseguir marcar com tamanha consistência na Itália, ele também está deixando para trás alguns dos maiores atacantes do futebol moderno.

Radamel Falcão Garcia, que custou ao Atlético de Madrid 47 milhões de libras, não está assim tão atrás, mas ainda tenta alcançar Di Natale. Durante suas passagens por Porto e Atlético, ele anotou mais de 91 gols por temporada nos campeonatos nacionais. Até Edinson Cavani, que está pegando fogo há três temporadas com o Napoli, vê sua média cair graças à última temporada que passou no Palermo, quando marcou apenas 13 vezes. Zlatan Ibrahimovic - que passou por Barcelona, Milan e Paris Saint-Germain no período - marcou 15 gols a menos que Di Natale, enquanto Robin van Persie anotou 82 vezes, graças, em parte, a uma lesão em 2009-10 que o tirou de ação, ainda no Arsenal, por um longo tempo, e fez com que marcasse apenas nove gols no ano.

A média do holandês para esta temporada ainda é impressionante visto que ele só participou de 16 partidas, mas mesmo assim não chega ao nível do atleta da Udinese. Ainda mais abaixo na lista temos nomes como Wayne Rooney (76), Mario Gomez (75) e Robert Lewandowski (71). Diferenças ainda mais gritantes aparecem entre o matador italiano e Sergio Aguero (66), Carlos Tevez (58) e Francesco Totti (49).

Seria duro, entretanto, tentar comparar o histórico de campanhas na Europa com o de Raúl, com o ex-capitão do Real Madrid tendo dividido seu tempo nas últimas temporadas entre Schalke e Al Sadd. O espanhol marcou 42 gols nos últimos quatro anos, incluindo somente nove no Qatar. A temporada 2009-10 foi quando as coisas começaram a sair dos eixos para o grande camisa 7, mas com Di Natale foi exatamente o oposto. Aos 35 anos, ele não mostra nenhum sinal de estar diminuindo o ritmo. Só podemos esperar que ele continue mantendo a bola no ar por muito mais tempo ainda.

Relacionados