thumbnail Olá,

Tricolor já começa a pensar na disputa do Campeonato Brasileiro

POR FERNANDO H. AHUVIA - DIRETO DE SÃO PAULO

Eliminado do Campeonato Paulista e da Copa Libertadores da América em apenas quatro dias, o São Paulo só voltará a jogar no dia 26 de maio, contra a Ponte Preta, em Campinas, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Apesar de contar em seu elenco com uma mescla de jogadores experientes e promissores, o Tricolor acabou decepcionando. Goal.com analisa as principais estrelas que deixaram o time do Morumbi na mão nas duas competições do primeiro semestre de 2013.

LÚCIO: EXPULSÕES BOBAS E ATUAÇÕES IRREGULARES


Titular da Seleção Brasileira na conquista da Copa do Mundo de 2002, tricampeão alemão com o Bayern de Munique e vencedor da Champions League, do Mundial de Clubes e do Campeonato Italiano pela Internazionale de Milão. Apesar do currículo vencedor, o zagueiro Lúcio, contratado no início do ano para comandar a defesa do São Paulo, ainda não correspondeu.

Desde o seu retorno ao futebol brasileiro, depois de uma carreira sólida na Europa, o ‘xerife’ vem sendo alvo de pressão da torcida são-paulina por conta de expulsões bobas e atuações irregulares.

No jogo de ida das oitavas de final da Libertadores contra o Atlético-MG, Lúcio foi expulso ainda no primeiro tempo e prejudicou o Tricolor. O time do Morumbi, que era melhor e vencia por 1 a 0, acabou sofrendo a virada. O problema é que essa não foi a primeira vez que o jogador recebeu o cartão vermelho vestindo a camisa do clube. No clássico contra o Palmeiras, pelo Campeonato Paulista, o experiente defensor tentou acertar uma cotovelada em Valdivia e foi para o chuveiro mais cedo.

Para quem acompanha o futebol europeu, contudo, já sabia que Lúcio não vinha atuando nos últimos jogos. O atleta de 35 anos não ficou nem meio ano na Juventus-ITA. Nesse período, ele disputou apenas quatro partidas por conta da confiança do técnico Antonio Conte em Chiellini, Bonucci e Barzagli.

LUIS FABIANO: TEMPERAMENTO SEGUE ATRAPALHANDO

Considerado ídolo por alguns e destemperado e sem capacidade de poder de decisão para outros. O sentimento da torcida do São Paulo por Luis Fabiano divide opiniões. Independente disso, a realidade é a de que o atacante ultimamente vem decepcionando a grande maioria dos fãs são-paulinos.

Apesar de continuar sendo o artilheiro do Tricolor na temporada, com 13 gols, o Fabuloso vive um momento conturbado na sua segunda passagem pelo clube. De temperamento complicado, o camisa 9 continua se envolvendo em confusões que acabam prejudicando a equipe.

Luis Fabiano, que já havia ficado de fora da decisão da Copa Sul-Americana do ano passado, voltou a ser punido com cartões por reclamações. O fato gerou revolta em grande parte da torcida, principalmente por conta da expulsão no confronto com o Arsenal-ARG, em que pegou gancho de quatro jogos.

Depois de balançar as redes contra o Oeste, pelo Paulistão, Luis Fabiano não comemorou sob a justificativa de que estaria com problemas pessoais. Pouco tempo depois, ficou afastado da equipe por algumas rodadas por conta de uma lesão. O Fabuloso retornou no jogo contra o Corinthians e voltou a ser contestado por conta do pênalti desperdiçado.  Na última quarta-feira, contra o Atlético-MG, ele até deixou a sua marca, mas não conseguiu evitar a goleada do Galo e a consequente eliminação do São Paulo na competição continental.

LÚCIO: EXPULSÕES BOBAS E ATUAÇÕES IRREGULARES

Após um longo período de negociações, Paulo Henrique Ganso finalmente acertou sua transferência do Santos para o São Paulo em setembro do ano passado. No entanto, apesar dos quase R$ 24 milhões investidos pela diretoria, o meia demorou muito para deslanchar e não conseguiu evitar as eliminações do Tricolor no Campeonato Paulista e na Libertadores.

No início da temporada, Ganso começou entre os 11, mas o baixo rendimento da equipe e do próprio meia fizeram o comandante Ney Franco reeditar o esquema 4-2-3-1, consagrado com Lucas, e acabou sobrando para o Maestro sair do time.

A fraca campanha do São Paulo na Libertadores, porém, fez com que o meia voltasse a atuar com frequência os 90 minutos das partidas. Na importante vitória do Tricolor sobre o Galo pela última rodada da fase de grupos, Ganso assumiu a responsabilidade de armar as jogadas (Jadson estava suspenso) e fez sua melhor exibição pelo clube do Morumbi.

Mesmo tendo voltado a se destacar pelos passes precisos e a responsabilidade de organizar o meio-campo, Paulo Henrique Ganso teve atuação apagada nos dois últimos jogos do São Paulo. Contra o Corinthians, pela semifinal do estadual, o Maestro acabou errando sua cobrança de pênalti, enquanto contra o Atlético-MG quase não tocou na bola.

Relacionados