thumbnail Olá,

Confronto contra Emelec serve para Flu acabar com mau retrospecto de não conseguir viradas em mata-matas da Libertadores, coisa que só conseguiu apenas uma vez

POR YURI GONÇALVES


Nesta quarta-feira, o Fluminense recebe o Emelec em São Januário e precisa reverter a derrota sofrida no Equador por 2 a 1 para se classificar às quartas-de-final da Copa Libertadores da América. O Tricolor das Laranjeiras precisa apenas de um simples 1 a 0 para conseguir a vaga.

Entretanto, Goal.com analisou o histórico da equipe carioca na competição sul-americana, retrospecto nada animador, pois nas quatro vezes em que disputou as fases de mata-matas no torneio, em apenas uma o Flu conseguiu a virada.


               2008 - O ANO EM QUE SONHO VIROU PESADELO





Washington, o Coração Valente. O gol dele aos 46 do segundo tempo fez com que o Flu revertesse pela única vez um resultado de mata-mata na Libertadores




FLUMINENSE X SÃO PAULO - Quartas-de-final - A ÚNICA VEZ

O ano 2008 foi em que o clube carioca chegou mais perto do título da competição sul-americana. Em primeiro lugar na primeira fase do Grupo 8 com 13 pontos, quatro vitórias, um empate e uma derrota apenas, o Flu fez a melhor campanha dentre os classificados para a próxima fase.

A equipe comandada pelo técnico Renato Gaúcho tinha destaques como o zagueiro Thiago Silva, o volante Arouca, os meias Conca e Thiago Neves e os atacantes Washington e Dodô.

Nas oitavas, eliminou Atlético Nacional-COL e nas quartas encarou o poderoso São Paulo. Na ida, o Tricolor Paulista venceu em casa por 1 a 0 com um gol marcado por Adriano, o Imperador.

Mas a partida de volta foi especial. Mesmo vencendo por 2 a 1 (gols de Washington-FLU, Dodô-FLU e Adriano-SPO), o Fluminense estaria eliminado por causa do gol fora de casa dos paulistas. Entretanto, aos 46 minutos do segundo tempo, o milagre: Thiago Neves cobrou escanteio e Washington cabeceou sem chances à Rogério Ceni, 3 a 1 e logo depois, fim do jogo para delírio da torcida no Maracanã. Flu nas semifinais.

FLUMINENSE X LDU - Final

Empolgado pela campanha que fez na 1ª fase, a superação contra o São Paulo e a classificação sobre o temido Boca Jrs fizeram com que a equipe de Renato Gaúcho fosse considerada favorita ao título da Libertadores sobre a até então desconhecida Liga Deportiva Universitária de Quito (LDU), do Equador.

Porém, o sonho do Fluminense foi se destruindo logo no primeiro jogo. Na altitude de Quito no estádio Casablanca, os brasileiros tiveram um péssimo desempenho e perderam por 4 a 2. Na partida de volta no Maracanã, o Tricolor conseguiu a façanha de vencer por 3 a 1 no tempo normal. Mas na decisão por pênaltis, melhor para Guerron e companhia que fez 3 a 1 e conquistou o título da competição sul-americana em pleno solo brasileiro.


                       
                           2011 - A CAMPANHA IRREGULAR





FLUMINENSE X LIBERTAD - Oitavas-de-final

O campeão brasileiro de 2010 teve uma Libertadores sofrida em 2011. Liderados pelo técnico Muricy Ramalho, o meia Conca e o atacante Fred, o Fluminense era favorito, mas tropeçou bastante na 1ª fase onde a classificação correu risco de ir por água a baixo. Só definiu a passagem na última rodada ao vencer o Argentinos Juniors por 4 a 2 na Argentina.

No duelo das oitavas, superou o Libertad por 3 a 1 no Engenhão. A vaga estava encaminhada devido a vantagem de até perder por um gol, só que o tento sofrido fora de casa foi crucial.

No Paraguai, o Tricolor das Laranjeiras teve uma atuação abaixo do rendimento esperado e perdeu por 3 a 0 resultando na eliminação precoce no torneio sul-americano.


                  2012 - PROVOU DO PRÓPRIO VENENO


FLUMINENSE X BOCA JRS - Quartas-de-final

Se em 2008 os acréscimos jogaram a favor do Flu contra o São Paulo, o mesmo não pode se dizer no ano passado diante do Boca Jrs. Após passar por Internacional em dois duelos difíceis nas oitavas (0 a 0 e 2 a 1), o Flu enfrentou os xeineses nas quartas-de-final.

Em partidas da 1ª fase, o Flu superou o Boca em La Bombonera por 2 a 1, mas perdeu no Engenhão por 2 a 0. A promessa era de uma disputa equilibrada e, de fato, isso se concretizou. Na ida, em Buenos Aires uma derrota por 1 a 0 e na volta a vaga escapou nos acréscimos.

Até então com o resultado de 1 a 0, graças a gol marcado por Carlinhos, a decisão seria nos pênaltis. Só que em um lance de contra-ataque dos argentinos aos 45 minutos do segundo tempo, Diego Cavalieri ainda evitou o gol ao desviar a bola na trave, mas Santiago Silva aproveitou a sobra e colocou nas redes, empatando e selando a eliminação brasileira do torneio.





Santiago Silva foi o autor do gol do empate e da classificação do Boca sobre o Flu no Engenhão aos 45 do segundo tempo




CONSIDERAÇÕES:

Vale lembrar que o Fluminense disputou a Libertadores dos anos 1971 e 1985, mas em ambas foi eliminado na 1ª fase.

Relacionados