thumbnail Olá,

Colecionando polêmica: genialidade e controvérsia andando lado a lado com Luis Suárez

Que o atacante uruguaio do Liverpool é um craque não há dúvidas, mas o gosto pela polêmica atrai tantas manchetes quanto o futebol. Relembre alguns casos

COPA DO MUNDO DE 2010: MÃO NA BOLA CONTRA GANA
Luis Suárez já chegou na África do Sul como um dos destaques da seleção uruguaia pelos gols marcados com a camisa do Ajax. Entretanto, a primeira grande manchete mundial do atacante, que teve grande participação na ótima campanha Celeste, terminando na quarta colocação geral na Copa, em 2010, foi depois da partida pelas quartas-de-final do torneio, contra Gana. Já no apagar das luzes, quando o jogo se encaminhava para a prorrogação, a última seleção do continente africano ainda na Copa teve uma ótima chance de marcar o gol que, muito provavelmente, teria garantido a equipe pela primeira vez numa semifinal de Copa do Mundo. Por instinto ou não, Suárez, que estava em cima da linha, colocou a mão na bola e fez uma defesa de deixar qualquer goleiro com inveja. O jogador recebeu o vermelho direto e os ganeses tiveram um pênalti a seu favor. Suárez deixou o campo em prantos, certo de que aquele era o fim da linha para o Uruguai. Ledo engano... Gyan mandou a bola no travessão e reacendeu a chama celeste. A partida acabou indo para os pênaltis e Gana foi eliminada da Copa.
APETITE INSACIÁVEL: O CANIBAL DO AJAX, 2010
A mordida de Suárez em Ivanovic pode ter deixado muitos impressionados, mas não foi surpresa para quem acompanha a carreira do jogador há algum tempo. Em novembro de 2010, quando ainda estava no Ajax, a expulsão do companheiro Rasmus Lindgren deu início a uma confusão em campo, já nos minutos finais da partida contra o PSV. No meio do empurra-empurra, o meia Otman Bakkal acabou pisando no pé do 'Pistolero', que, revoltado, revidou de maneira inusitada: com uma mordida no pescoço do adversário. O juiz não viu a cena, a Suárez saiu de campo sem ser punido. Uma enorme discussão teve início na imprensa holandesa sobre o caso do 'Canibal do Ajax' e qual deveria ser a sua punição. O clube ainda utilizou Suárez na partida seguinte, que era válida pela Liga dos Campeões, mas, por conta própria, aplicou uma suspensão de dois jogos sobre o jogador, além de uma pesada multa, que foi convertida para a caridade. A federação de futebol holandesa não ficou satisfeita e deu mais sete partidas de suspensão ao uruguaio. Inicialmente, Suárez disse apenas que fez tudo 'no calor do jogo', mas, alguns dias mais tarde, divulgou um pedido de desculpas formal a Bakkal. O adversário não quis comentar o assunto, mas afirmou que os dois fizeram as pazes.
O CASO EVRA I: RACISMO EM 2011
Talvez a polêmica mais grave de Suárez, o caso de abuso racial pelo qual foi considerado culpado em 2012 ainda não deixou a memória dos britânicos. Desde o começo da sua carreira no Liverpool, Suárez tornou-se uma figura que dividia opiniões: por um lado, era claramente um dos maiores talentos no campeonato inglês, por outro, envolvia-se em pequenas brigas em campo e era visto como um 'cai-cai', sempre tentando cavar faltas e pênaltis e reclamando de forma acintosa com os árbitros. Em outubro de 2011, entretanto, ele foi acusado de algo muito mais sério. Durante uma partida entre o Liverpool e o Manchester United em Anfield, o lateral dos Red Devils, Patrice Evra, acusou Suárez de ter se dirigido a ele de forma pejorativa, chamando-o de 'negrito'. O caso foi parar nos tribunais desportivos e Suárez, declarado culpado, foi condenado a oito jogos de suspensão, além de uma multa de 40 mil libras. O atacante admitiu ter usado a palavra, mas negou que tenha sido de forma ofensiva. Evra não quis saber de conversa. O Liverpool, que se recusou a punir o jogador internamente, afirmando acreditar na inocência dele, foi severamente criticado pela imprensa.
O CASO EVRA II: O APERTO DE MÃO DA DISCÓRDIA, 2012
Quis o destino que o primeiro jogo de Suárez depois da suspensão fosse justamente contra o Manchester United, desta vez em Old Trafford. Guardando rancor de Evra por tê-lo acusado de racismo, Suárez se recusou a apertar a mão do jogador no começo da partida, o que causou um novo rebuliço em torno do caso. Evra ficou revoltado e tentou, em vão, forçar o gesto. Os donos da casa acabaram vencendo o jogo por 2 a 1, e Evra fez questão de comemorar como se fosse um título, na frente do uruguaio.
QUEM FALA O QUE QUER, VÊ O QUE NÃO QUER: DAVID MOYES, 2012
O técnico do Everton, David Moyes, certamente aprendeu que criticar Suárez abertamente antes de enfrentá-lo provavelmente não é algo muito sensato. Apesar de polêmico, é preciso lembrar que o atacante é também um dos jogadores mais perigosos da Premier League quando o assunto é bola rolando. Em outubro de 2012, o comandante dos Toffees falou, em coletiva antes do clássico de Merseyside, que jogadores 'cai-cai' como Suarez estavam 'acabando com o futebol'. O Liverpool foi ao Goodison Park e Moyes teve que pagar a língua. Suárez marcou dois gols e comemorou o primeiro "mergulhando" na frente da treinador. O Everton acabou empatando, mas Suárez poderia ter saído de lá com um hat-trick, não fosse por um gol mal anulado. Após a partida, Moyes disse não ter ficado chateado com a comemoração e entendeu que era bem-humorada. O senso de humor do técnico não impediu que Suárez conquistasse mais algumas manchetes que não destacavam apenas seu faro de artilheiro.
APETITE INSACIÁVEL: O CANIBAL DO LIVERPOOL, 2013
Num ano sem glórias para os Reds e sem chances de com chances mínimas de alcançar uma vaga em uma competição europeia na próxima temporada, o grande orgulho da torcida estava em Luis Suárez. Em um ano incrível, mesmo com os altos e baixos dos companheiros, Suárez abria caminho para conquistar o prêmio de jogador da temporada, e estava começando a mudar a opinião até dos seus mais severos críticos. No último domingo, entretanto, suas chances foram pelo ralo, e ele deve, inclusive, ter feito seu último jogo em 2012-13. Numa partida em que ele saiu de vilão a herói, marcando um gol aos 51 minutos do segundo tempo para empatar em 2 a 2 o duelo com o Chelsea, depois de colocar uma mão atrapalhada na bola na própria área e dar um pênalti de presente aos visitantes, Suárez ficou marcado não pelo seu 23º gol no campeonato, 30º por todas as competições, mas sim por mais um episódio de 'canibalismo'. Durante uma disputa na grande área dos Blues, ele se revoltou com a marcação de Ivanovic e tentou morder o braço do defensor. O juiz, Kevin Friend, não viu o lance, mas as câmeras de TV captaram tudo. Logo após a partida, Suárez divulgou um pedido de desculpas e disse que entraria em contato com Ivanovic para pedir perdão pelo seu gesto. O Liverpool aplicou uma pesada multa no jogador, mas negou qualquer possibilidade de se desfazer dele, como muitos comentaristas britânicos julgaram ser adequado. Suárez foi criticado pela sua patrocinadora, a Adidas, pelo presidente da federação inglesa, por antigos jogadores do Liverpool e até pelo primeiro ministro inglês, David Cameron. A FA anunciou que os três jogos de suspensão que seriam aplicados automaticamente caso ele tivesse sido expulso não serão o suficiente, dando a entender que o período de afastamento de Suarez deve se estender até a próxima temporada.

Relacionados