thumbnail Olá,

Após o último encontro entre os clubes, ambos já perderam e reconquistaram seu espaço nos campeonatos domésticos, mas o objetivo agora é se firmar em nível continental.

Por Tauan Ambrosio

No dia 8 de dezembro de 2009, Juventus e Bayern se enfrentaram pela última vez no Estádio Olímpico de Turim, pela fase de grupos da Champions League 2009-10. O gol de Trezeguet, aos 19’ do primeiro tempo, deixava bem encaminhada a classificação juventina. O Alvinegro precisava somente de um empate para garantir sua vaga nas oitavas de final.

No entanto, o Bayern transformou a derrota parcial em goleada com o goleiro Butt (de pênalti), Olic, Mario Gómez e Tymoschuk. A Juventus foi eliminada do torneio e disputou a Liga Europa. O Bayern chegou à final, onde foi derrotado pelos italianos da Internazionale de Milão. O que aconteceu com bávarosbianconeros no hiato que os separou de 2009 até agora?

 

  JUVENTUS: Novo estádio simboliza o crescimento

A Juventus ainda vivia em 2009 um processo de reconstrução após o rebaixamento forçado de 2006, por causa do Calciopoli*. Nos dois primeiros anos após o retorno à Serie A (2007-08), a Velha Senhora chegou a animar seus torcedores mesmo sem a conquista de títulos, mas o desempenho fora da Itália ainda estava aquém das expectativas. Para piorar as coisas, a Juve sequer conseguiu vagas para as competições europeias nas temporadas de 2009-10 e 2010-11, quando chegou duas vezes seguidas na sétima colocação.

Várias mudanças aconteceram desde então – dos titulares na derrota para o Bayern, somente Buffon e Marchisio estão no clube. Dentre as principais, podemos destacar as chegadas do técnico Antonio Conte (ex-jogador e ídolo juventino) e do meia Andrea Pirlo. Mas o grande símbolo do ressurgimento bianconero foi a inauguração do Juventus Stadium. A empatia de jogadores e torcida com a nova casa foi imediata e, nela, a Juve conquistou o Campeonato Italiano de 2011-12 em grande estilo, sem perder sequer um jogo.

O único momento triste em meio a tanta festa foi a despedida do ídolo Del Piero, que apesar do explícito desejo de continuar no clube de seu coração, não teve seu contrato renovado. O camisa 10, capitão, jogador que mais vezes vestiu a camisa da Juve, deixou Turim rumo à Austrália, onde agora defende o Sydney FC.

O título italiano também trouxe a Juventus de volta para a Champions League. Após um início fraco, com três empates seguidos, os bianconeros mostraram poder de decisão nos jogos seguintes e conseguiram se classificar na primeira posição do Grupo E. A vaga nas quartas de final foi mais fácil, com um placar agregado de 5 a 0 sobre o Celtic nas oitavas. Já são três anos desde a última derrota em partidas de campeonatos europeus: o último revés foi para o Fulham**, no dia 18 de março de 2010, pela Liga Europa.

Agora, o bicampeonato italiano está muito bem encaminhado. A Juventus tem nove pontos de vantagem para o vice-líder Napoli. O scudetto continuará bordado na camisa preto e branca, que deseja alçar voos mais altos para conquistar a Europa pela terceira vez em sua história.

*Escândalo de manipulação de resultado de jogos envolvendo alguns dos principais clubes italianos. Como forma de punição, a Juventus teve o título revogado e foi rebaixada para a segunda divisão.

**Fulham 4x1 Juventus


  BAYERN: Após decepções, é a hora da afirmação

Apesar do vice-campeonato europeu, a temporada 2009-10 foi boa para o Bayern, que conquistou tanto a Bundesliga (Campeonato Alemão) quanto a Copa da Alemanha. No entanto, os anos seguintes não foram nada proveitosos para o time bávaro, que teve seu domínio local ameaçado pelo Borussia Dortmund, que acabou se sagrando bicampeão alemão.

O trauma foi maior ainda porque na temporada passada o Bayern, apesar de ter lutado e jogado bem em todas as frentes, não conquistou nenhum título: foi vice no Campeonato Alemão, Copa da Alemanha e Champions League, com a final sendo disputada na Allianz Arena, em Munique. Mais uma decepção para os torcedores e especialmente para os atletas alemães, que apesar de grande nível técnico ainda não conquistaram grandes taças (seja pelo Bayern ou pela seleção alemã).

Era inadmissível que um dos maiores e mais caros times da Europa ficasse nessa situação. Craques a contratar? Quais, se a equipe já conta com Lahm, Schweinsteiger, Robben, Ribéry e Cia.? Para a atual temporada, o grande acontecimento foi a chegada do volante espanhol Javi Martínez (que, suspenso, não vai jogar nesta terça), contratado junto ao Athletic Bilbao por 40 milhões de euros, a maior quantia já paga por um clube alemão. O próximo ano também gera expectativa, já que o técnico Pep Guardiola vai assumir as rédeas do clube. Enquanto isso, Jupp Heynckes, que anunciou sua aposentadoria após a atual temporada, segue tirando o máximo que pode de seus atletas.

Com os pés no chão e um discurso de humildade, o Bayern foi ganhando adversário após adversário na Alemanha. Tem vinte pontos de vantagem sobre o Borussia Dortmund e está a uma vitória de garantir antecipadamente o título alemão. Na Copa da Alemanha, os bávaros eliminaram o mesmo Borussia e estão nas semifinais, mas o sonho é a taça “orelhuda”, conquistada outras quatro vezes por craques do quilate de Gerd Muller, Franz Beckenbauer, Oliver Kahn e muitos outros.