thumbnail Olá,

Após ser contratado por mais de 100 milhões de reais, atacante brasileiro começa bem, mas ainda tem muito que provar na capital francesa para justificar o investimento.

Por Matheus Quelhas

O dia oito de agosto de 2012 pode ter sido amargo para a maioria dos são-paulinos (e ao mesmo tempo doce para os cofres do clube paulista), mas de qualquer forma ficará marcado na carreira de Lucas Moura, o "ex-Marcelinho" que virou simplismente Lucas, e havia começado a desfilar seu talento nos gramados brasileiros cerca de dois anos antes. Nesta data, a diretoria do São Paulo anunciava a venda do jogador que estava prestes a completar 20 anos para o PSG, pela quantia recorde no futebol brasileiro de 43 milhões de Euros (108 milhões de reais, à época).

Apesar do acerto, Lucas ainda ficaria no Brasil até o fim do ano, e durante o período ele mostrou profissionalismo e não decepcionou a torcida que já lamentava sua saída: foram 25 partidas pelo São Paulo, sete gols e sete assistências do jogador, que foi peça fundamental na conquista do título inédito da Copa Sulamericana, seu primeiro e único troféu no clube.

Após ser apresentado em Doha, no Catar pelo dono da equipe francesa, Lucas foi muito bem recebido pelo elenco, que na época contava com cinco brasileiros (Thiago Silva, Alex, Maxwell, Thiago Motta e Nenê), e não demonstrou nenhuma dificuldade para se adaptar ao ambiente, tampouco ao estilo de jogo praticado pelo time francês.

Sua estreia oficial ocorreu no dia 11 de janeiro deste ano, no empate em 0 a 0 contra o Ajaccio, pela Ligue 1, e lhe rendeu elogios da imprensa local e do técnico Carlo Ancelotti, que já dava pistas sobre como utilizaria o brasileiro, escalado no time titular já nesta partida.

Atualmente, o atacante já soma dez jogos com a camisa do PSG, sendo nove como titular, e segue afiado no quesito assistências: foram quatro até o momento.

Apesar de ter se tornado um xodó da torcida local, eleito o melhor jogador nos meses de janeiro e fevereiro (confira no vídeo ao lado), e de ter sido elogiado por astros do futebol mundial, como Ibrahimovic e David Beckham, o brasileiro ainda mostra alguma oscilação em suas atuações.

Suas duas partidas mais importantes na Europa até agora foram também as mais importantes da temporada para o PSG: os duelos contra o Valencia, pelas oitavas de final da Champions League.

OS NÚMEROS DE LUCAS NO PSG
10 É o número de partidas do brasileiro
9 Jogos como titular - ele só ficou no banco uma vez
4 Assistências desde sua estreia, sendo duas para Ibraimovich
0  Gols: o atacante ainda não balançou as redes oficialmente*
2   Eleito pela torcida o melhor do mês, em dois meses de clube
No primeiro jogo, grande atuação e assistência para o gol de Pastore, ajudando a equipe a sair vencedora do estádio Mestalla; já no retorno à Paris, o excesso de individualismo atrapalhou e o jogador acabou tendo uma atuação bastante apagada no empate que classificou os parisienses às quartas de final.

Outro fator que pode ter contribuído para a performance abaixo da média do atacante foi a ausência do craque Zlatan Ibraimovich, que havia sido expulso já nos acréscimos da primeira partida. A companhia do ex-Milan no ataque do time francês vem contribuindo e muito para o desempenho do brasileiro: metade de suas assistências foram para Ibra e todas saíram em jogos em que o sueco de 31 anos atuou.

Ainda é muito cedo para afirmar que a contratação milionária de Lucas foi acertada pelo time da capital francesa, mas é possível dizer que sua rápida adaptação e a personalidade segura surpreenderam principalmente a torcida, que já o elegeu o melhor jogador da equipe por duas vezes consecutivas, através do site oficial do clube.

Agora o jogador tem um grande desafio pelas quartas de final da Champions League, e independente do adversário poderá dar mais uma prova de que vale cada centavo investido em sua contratação.

Para isso contará com a ajuda não só de toda a equipe mas especialmente de Ibrahimovic, que retorna de suspensão e vem fazendo a diferença no recém-montado time do PSG.

* Na vitória por 2 a 0 contra o Olympique de Marseille, Lucas chutou da entrada da área aos 11 minutos da etapa inicial e a bola entrou desviada, mas o árbitro considerou gol contra do zagueiro N'Koulou.

Relacionados