thumbnail Olá,

Em 2003, um jogo inesquecível, com hat-trick de Ronaldo, garantiu os merengues na semifinal do torneio. Os times de hoje são melhores? O que aconteceu desde então?

Por Tauan Ambrosio

Manchester United e Real Madrid voltam a se encontrar na Champions League dez anos após uma das partidas mais memoráveis da história do torneio, repleto de grandes craques e embates inesquecíveis. Após ter perdido o primeiro jogo por 3 a 1, na Espanha, o United venceu por 4 a 3 no Old Trafford, mas o hat-trick de Ronaldo garantiu o Real naquela semifinal pelo placar agregado de 6 a 5.

Um jogo histórico, assim como promete ser o encontro desta terça-feira entre os dois lados pelas oitavas de final, novamente no estádio que é chamado de Teatro dos Sonhos.


O jogo

Quarta-feira, dia 23 de abril de 2003. Nesta data, no Old Trafford, ícones da história do futebol mundial protagonizaram as quartas de final da Champions League 2002-03. De um lado, o Manchester United de Giggs, Beckham e Van Nistelrooy; do outro o Real Madrid de Roberto Carlos, Zidane, Figo e um Ronaldo em uma de suas fases mais esplendorosas. No jogo de ida, 3 a 1 para os espanhóis no Santiago Bernabéu.

Quando o árbitro italiano Pierluigi Collina deu início à partida, demorou somente 12 minutos para Ronaldo, usando a camisa 11, abrir o placar para os blancos. A resposta do time da casa veio dos pés de quem também sabia fazer gols como poucos: Ruud van Nistelrooy, que posteriormente também jogaria com a camisa do time de Madri. O holandês igualou tudo aos 43’, dando ao torcedor inglês a esperança da classificação.

No início do segundo tempo, Ronaldo voltou a colocar os merengues na frente, mas dessa vez a vantagem duraria apenas dois minutos, pois Helguera acabou fazendo um gol contra e reequilibrando o encontro de gigantes. Honrando o apelido de Fenômeno, Ronaldo completou seu hat-trick aos 59’. Tudo parecia perdido para os Red Devils. Mas o time de Alex Ferguson não desistiu.

E a luta pela classificação ganhou contornos dramáticos quando David Beckham, que havia tido problemas com Alex Ferguson e se tornaria jogador do Madrid na temporada seguinte, saiu do banco de reservas e entrou em campo. Em menos de dez minutos o camisa 7 já voltava a igualar o marcador, aos 71’, em belíssima cobrança de falta que o próprio jogador revelou ter sido sua melhor com a camisa do United.

Faltando cinco minutos para acabar a partida, Beckham virou o placar para o time vermelho e, até o apito final, os jogadores do United lutaram pela classificação para as semifinais.

Os comandados de Alex Ferguson não conseguiram a vaga, apesar da vitória por 4 a 3, mas das arquibancadas veio o reconhecimento pelo empenho e pelo grande espetáculo. Naquele dia, os torcedores ingleses tiveram orgulho da luta de seus ídolos no gramado. E os torcedores do futebol puderam reverenciar uma das grandes atuações de Ronaldo.

Quando o Fenômeno foi substituído por Solari, todos no estádio de Old Trafford se levantaram e o aplaudiram. Entre eles, um russo chamado Román Abramovich sentiu-se inspirado por aquele espetáculo. Meses depois ele compraria o Chelsea.

O Real Madrid não chegou à final naquela campanha: foi eliminado pela Juventus, que seria vice-campeã, perdendo a final para o Milan. No entanto, aquela noite de abril, em 2003, entrou para a história. Ainda naquela temporada, tanto o Real Madrid quanto o Man.United conquistaram os seus respectivos campeonatos nacionais.

 

Semelhanças de ontem e hoje

Assim como em 2002/03, o primeiro jogo foi realizado no Santiago Bernabéu. Naquela partida, vencida por 3 a 1 pelo time espanhol, quem abriu o placar foi Luís Figo. No empate em 1 a 1 do último dia 13 de fevereiro foi outro o português que balançou a rede pelo Real Madrid: Cristiano Ronaldo, ídolo também do... Manchester United!

Dez anos depois, dois jogadores do United que estavam em campo devem voltar a atuar contra o Real Madrid no Old Trafford: o zagueiro Rio Ferdinand e o interminável craque Ryan Giggs, que fará seu milésimo jogo com a camisa dos Red Devils. Obviamente Sir Alex Ferguson estará acompanhando tudo do banco de reservas, de onde comanda o time vermelho há mais de duas décadas. Pelo Real Madrid, quem poderia reviver a emoção daquele jogaço seria Iker Casillas, mas o goleiro está lesionado e não vai jogar.

A principal esperança de gols do Manchester United vinha da Holanda. Atualmente, também. Artilheiro do time no Campeonato Inglês, Van Persie pode ser decisivo a favor dos ingleses. Do lado espanhol, a esperança continua tendo o mesmo nome e até mesmo idioma, apesar do sotaque. Ronaldo é o nome escrito atrás da camisa 7 de Cristiano, mesmo número com o qual brilhou também pelo United. E é por isso espera-se uma recepção calorosa da torcida inglesa, que nunca esqueceu o ídolo, protagonista do título europeu em 2008.

 

Escalações

Real Madrid 2002-03: Casillas; Salgado, R.Carlos, Hierro, Helguera; Zidane, McManaman (Portillo), Figo (Pavón), Makélelé e Guti; Ronaldo (Solari).

Real Madrid 2012-13*: Diego López; Varane, Sergio Ramos, Coentrão, Arbeloa; Khedira, Ozil, Xabi Alonso (Pepe), C.Ronaldo; Benzema (Higuaín) e Di María (Modric).

Man.United 2002-03: Barthez; Rio Ferdinand, O’Shea, Wes Brown e Silvestre (Phill Neville); Verón (Beckham), Nicky Butt, Ryan Giggs e Roy Keane (Fortune); Van Nistelrooy e Solskjaer.

Man.United 2012-13*: De Gea; Rafael, Phil Jones, Rio Ferdinand e Evra; Evans, Carrick, Kagawa (Giggs) e Rooney (Anderson); Welbeck (Valência) e Van Persie.

*jogo de ida, no dia 13 de fevereiro de 2013, no Santiago Bernabéu.


Comparação: 2002-03 x 2012-13

Goleiros

Casillas ainda é do Real Madrid, mas não vai jogar graças a uma contusão. Diego López é bom goleiro, mas o titular, ainda novo, já era um fora de série. O United tinha Barthez, campeão do mundo pela França. No entanto, o carequinha nunca foi muito confiável. De Gea fez seu melhor jogo pelo United contra o Real Madrid, semanas atrás, e tem futuro promissor.

As defesas

A zaga madridista dez anos atrás era bem melhor nos nomes, a começar com Hierro e Roberto Carlos. Salgado e Helguera completavam a linha defensiva. Sérgio Ramos, Varane, Coentrão, Arbeloa e Pepe (que entrou no decorrer do último jogo, no Bernabéu) são os atuais. O United continua contando com Ferdinand, que dez anos depois continua sendo um grande zagueiro. O toque de classe de Evra já faz dessa linha defensiva, que ainda tem Rafael e Phil Jones, melhor do que a de 2002-03.

Meio de campo

Briga de 'cachorro grande'. Zidane, Makélelé e Figo fizeram história em Madri e, apesar de Khedira, Ozil, Alonso e Di María serem excelentes, seria uma heresia dizer que a meia cancha atual do Madri é melhor do que aquela. A história se repete no United, embora a comparação seja muito mais equilibrada. Verón era o “cão de guarda” que falta hoje para a proteção da zaga e Beckham, que entrou mais tarde, teve seu auge como jogador usando a camisa dos Red Devils.

Ataque

A briga dos Ronaldos. Quem foi melhor? O Fenômeno já começava a ter problemas com a balança naquela época, mas sua superação e faro de gol falam por si só. Cristiano é um atleta completo, corre como se estivesse em Olimpíada e tem grande habilidade. Além do mais é constante, chuta muito bem com as duas pernas e tem um fundamento que sempre fez falta ao xará brasileiro: sabe fazer (muito bem) gols de cabeça. Raul, grande artilheiro merengue, estava contundido em 2003. Higuaín e Benzema são homens de área que levam também muito perigo.

O duelo holandês: Van Nistelrooy ou Van Persie? Disputa muito equilibrada, mas fico com o primeiro por todo o seu histórico. Van Persie tem sido o principal jogador do United nesta temporada e o título inglês já está quase garantido muito por sua causa, mas o saudosismo resolve a favor de Nistelrooy.

No entanto, não duvido que, daqui a alguns anos, eu mude de ideia em relação à importância destes holandeses para o United. Solskjaer foi um jogadoraço, mas Rooney já foi mais protagonista em Manchester e é um incansável guerreiro em campo. O Shrek ganha essa.

 

O que aconteceu desde então?

O Real Madrid montou depois o chamado “time galáctico”, com grandes nomes do futebol mundial. Não conseguiu glórias de nível continental. Nunca mais chegou a uma decisão de Liga dos Campeões e viu seu maior rival, Barcelona, emplacar uma sequência de três títulos de Champions League. Atualmente conta com grandes nomes, como C.Ronaldo e o técnico José Mourinho. O principal sonho ainda é voltar a levantar a “Taça Orelhuda”.

O United conseguiu desbancar seu maior rival, Liverpool, como maior campeão nacional na Inglaterra e chegou a três finais europeias. Venceu uma, contra o Chelsea, e perdeu as duas disputadas contra o Barcelona. Atualmente o time conta com um ataque de respeito, considerado pelo técnico Alex Ferguson até mesmo melhor do que o de 1999, temporada mais vitoriosa da história do clube, e está sempre chegando às fases mais decisivas da Champions (exceção feita à temporada passada).

Relacionados