thumbnail Olá,

Alarmados com a diminuição da presença de público visitante por conta dos preços, clubes pensam em tornar viagens gratuitas

EXCLUSIVO
Por Wayne Veysey | C
orrespondente chefe

Clubes da Premier League estão formulando uma propostaradical de destinar £16 milhões (R$56 milhões) para oferecer viagens de graça para os torcedores em jogos dora de casa, a Goal.com revela.

A iniciativa com custo estimado entre £500 mil e £800 mil (Entre 1.7 e 2.8 milhões de reais) por clube foi proposta como uma solução para aumentar o público dos times visitantes.

A ideia partiu do Stoke City na última reunião realizada entre os acionistas da Premier League, e os detalhes foram revelados para a Goal.com.

O problema de ocuapação dos espaços destinados aos times visitantes tem estado constantemente em pauta na Premier League nos últimos anos e um grupo especializado, Attendance Working Group, foi formado em maio de 2012 devido ao alarme disparado pelos preços dos ingressos e custos de viagem.

Nesta semana, o Manchester City devolveu quase um terço dos 3000 ingressos disponibilizados pelo Arsenal para o jogo de domingo, na Premier League, depois que a torcida dos Citizens não respondeu bem aos preços de £62 por ingresso.

Ainda que a presença de público ainda seja forte, com uma taxa de ocupação geral de cerca de 95%, a Premier League está atenta à importância da torcida visitante comparecer aos jogos longe de casa. "Estamos em um nível saudável no momento e queremos manter desse jeito," disse uma fonte.

O chefe executivo do Stoke, Tony Scholes, propôr duas iniciativas na reunião do dia 15 de novembro sobre a situação.

A primeira foi que os clubes concordassem que os ingressos para visitantes jamais custem mais do que o ingresso mais barato reservado para a torcida da casa. A segunda e mais revolucionária proposta é que os clubes concordem em prover uma determinada quantia para garantir viagens gratuitas para todos os torcedores.

Scholes disse aos acionistas da Premier League, que incluem representantes dos 20 clubes e o presidente da Football Association, David Bernstein, que o preço de disponibilizar ônibus gratuitos não seria maior do que £800 moil por ano para cada clube, ainda que o custo atual esteja mais perto de £500 mil.

Scholes argumentou que o custo de £10 a £16 milhões para dar o pontapé inicial no plano seriam compensados pelo marketing positivo que a ação geraria, particularmente diante do aumento nas cotas de TV que os clubes devem receber na próxima temporada e da discussão sobre a introdução de um teto salarial na Premier League.

Apesar de algumas fontes da Premier League afirmarem que a proposta do Stoke City ainda está em um estágio muito primitivo, é uma das coisas sendo atualmente consideradas pelo grupo responsável, que inclui memebros dos clubes e da liga, para manter e melhorar a presença de público visitante nos jogos.

Os valores propostos pelo Stoke serão revistos e passarão por 'considerações futuras'. Um relatório completo deve ser apresentado aos acionistas dentro de pouco tempo.

Relacionados