thumbnail Olá,

Ben Hayward, exclusivo para a Goal.com, analisa a situação de José Mourinho, treinador do Real Madrid, após a mais nova controvérsia com o goleiro titular da seleção espanhola

ANÁLISE
Por Ben Hayward | Especialista em Futebol Espanhol

A tensão estava borbulhando por baixo da superfície. Mesmo com o Real Madrid de José Mourinho quebrando o recorde de 100 pontos em uma temporada no Campeonato Espanhol passado para sagrar-se campeão e terminar com um período de dominância doméstida do Barcelona, as críticas ao treinador continuaram. Agora, podem ser vistas e ouvidas diariamente.

O Real de Mourinho começou 2012 com uma liderança folgada no Espanhol mas uma derrota decepcionante para o Barça, em casa, pela Copa do Rei trouxe vaias dos torcedores nas arquibancadas do Santiago Bernabéu no jogo seguinte, contra o Athletic Bilbao, e uma dura avaliação por parte da imprensa.

Sob a luz da derrota por 2 a 1, o Marca revelou uma rixa nos bastidores entre Mourinho e dois dos líderes do elenco, Sergio Ramos e Iker Casillas, começando com uma discussão a respeito dos treinos de defesa em escanteios. O português culpou Ramos pelo gol marcado por Carles Puyol. O defensor, em resposta, afirmou que ele e Pepe tinham trocado de função na marcação porque o Barça estava usando um sistema de bloqueio ao estilo do basquete para afastar alguns dos jogadores do Madrid nas bolas paradas. "Você nunca foi jogador, então jamais entenderia," Ramos teria dito ao treinador, enquanto Casillas também reclamou da avaliação feita pelo técnico.

O Real empatou o segundo jogo com o Barcelona na Copa do Rei, melhorando consideravelmente na partida do Camp Nou, e seguiu campanha para assegurar o título da Liga com estilo ao fim da temporada.

O TUMULTUOSO 2012 DE MOU

RIXAS COM RAMOS E CASILLAS NO TREINO
JAN 20
O Marca uma rixa entre Mourinho e dois dos líderes madridistas e o técnico acaba vaiado após uma derrota em casa.
RAMOS FORA CONTRA O CITY
SET
18
Ramos fica no banco durante jogo da UCL e mais tarde desafiou o técnico ao demonstrar apoio a Ozil, substituído.
CRÍTICAS À CANTERA
OUT 27 O português sai em ataques à base do clube e ao treinador do time juvenil, Alberto Toril.
MUITAS DESCULPAS PARA DERROTA
NOV 25
Mourinho aceita a responsabilidade pela derrota para o Sevilla, mas depois culpa todo mundo, até jogadores, para fracasso diante do Bétis.
BRIGA COM JORNALISTA ESPANHOL
DEZ 16 O técnico chama Anton Meana, da Radio Marca, o questiona sobre suas fontes e faz várias ofensas.
CASILLAS FORA CONTRA O MÁLAGA
DEZ 22 Mourinho deixa o capitão do time no banco e o Real acaba derrotado pelo Málaga por 3 a 2.
Mas uma parte da mídia da capital continuou contra Mourinho e a relação espinhosa do técnico com a imprensa não mudou em nada a partir da nova temporada. Os problemas com Ramos e Casillas também não.

O defensor enfrentou o técnico no vestiário após a derrota para o Sevilla no dia 15 de setembro e se viu no banco de reservas quando os comandados de Mourinho conseguiram virar o placar e vencer o Manchester City por 3 a 2 pela Liga dos Campeões três dias depois.

"Sinto muito," o português disse à imprensa após a dramática virada madridista. "Todos vocês tinham as suas histórias já escritas e agora terão de mudar tudo. Eu sabia o que vocês iriam escrever, mas nós vencemos, então vocês não podem. Que azar."

Provocador em cada vitória, Mourinho então conseguiu irritar a imprensa e seu próprio clube ao criticar a cantera e o técnico do Real Madrid B, Alberto Toril, em outrubro, alegando que o Real Castilla estava mais preocupado com seus próprios interesses na Segunda Divisão do que em formar jogadores para a equipe principal. Ele também alegou que muitos dos jogadores do time B eram muito velhos ou simplesmente não eram bons o suficiente. Pode até ser verdade, mas os comentários aborreceram a todos.

Enquanto isso, Sergio Ramos voltou a desafiar o treinador na vitória de 5 a 1 sobre o Deportivo La Coruña ao aparecer no segundo tempo com uma camisa de Mesut Ozil por baixo da sua, num gesto de apoio ao alemão que havia sido substituído.

Mourinho deu pouca importância ao fato, ao menos publicamente, mas culpou seus jogadores depois da derrota para o Bétis em novembro, saindo em ataque também aos árbitros e a um calendário supostamente injusto que havia feito com que o seu time tivesse menos tempo para descansar depois dos jogos da Liga dos Campeões no meio de semana.

Então, na última semana, o repórter da Radio Marca, Anton Meana, surgiu como o jornalista que Mourinho havia chamado de lado para um interrogatório, querendo saber quais eram as suas fontes. Mourinho negou que seu treinador de goleiros, Silvino Louro, tivesse chamado Meana de 'um jornalista de m***a' e ninguém comaprado aos 'membros top da delegação do Real', alegando ainda que 'dois ou três jogadores' estavam vazando informação para a imprensa de dentro do vestiário. A história completa foi publicada pelo Marca, um jornal que, ao fim de uma temporada sem troféus em 2010, fez coro peça contratação de Mou.

Entranto, neste domingo, depois de mais uma derrota do Real, desta vez para o Málaga de Pellegrini (a quem Mourinho substituiu em Madrid), com Casillas no banco, o Marca chamou Mourinho 'ridículo' na sua capa. O jornal também fez uma enquete no site perguntando se o clube deveria demitir o técnico depois dos eventos da noite de sábado. Mais de 80% dos leitores responderam que sim.

Mourinho foi publicamente defendido pelo presidente Florentino Perez apenas dias atrás, mas as últimas declarações do português de que "a Liga é quase impossível" para o Real neste ano, com o Barcelona liderando com larga vantagem, não devem ter agradado ao mandatário. Assim como a tentativa de isolar Casillas.

José Antonio Camacho foi rapidamente mandado embora em 2004 depois de deixar David Beckham e Raúl no banco contra o Espanyol, enquanto Bernd Schuster foi demitido em 2008 (antes do retorno de Perez à presidência, em 2009) ao defender que era 'impossível' derrotar o Barcelona no Camp Nou.

Mourinho pode muito bem ser o próximo.

Relacionados