thumbnail Olá,

Jogo pode definir título do Fluminense e rebaixamento do Palmeiras. Especial traz detalhes da partida e mostra o que tem de acontecer para algo ser definido neste Domingo.

POR FERNANDO H. AHUVIA (de São Paulo) e THALES MACHADO (do Rio de Janeiro)

Diz o dicionário da língua portuguesa que a palavra antônimo significa “que tem significado contrário ou oposto ao de outro”. Antônimos no Brasileirão, Palmeiras e Fluminense se enfrentam neste domingo, às 17h (de Brasília), em Presidente Prudente, com uma série de contrários que podem definir o campeonato. Tristeza e alegria, choro e sorriso, glória e vergonha, vitória e derrota são alguns exemplos. O maior destaque do jogo das palavras, no entanto, é a antonímia entre o título, que pode vir para o Flu, e o rebaixamento, que pode atingir o Palmeiras. Tudo em noventa minutos. Em comum, a ansiedade. Definitivamente, é a partida com a maior expectativa do Brasileirão 2012 até aqui.

Além disso, o confronto não depende dele mesmo. O Fluminense, nesta rodada, não conta só com suas forças para ser campeão e o Palmeiras, mesmo perdendo, ainda pode manter - as poucas - chances de permanecer na Série A. Os jogos entre Botafogo x Portuguesa, hoje, Vasco x Atlético-MG e Cruzeiro x Bahia, amanhã, ajudarão a definir a sorte ou azar de Tricolores e Alviverdes.

A Goal.com analisa, de São Paulo e do Rio de Janeiro, o confronto que pode selar a sorte de dois dos maiores clubes do futebol brasileiro.

Campanha Brasileirão/2012
Líder

18º colocado
73 PONTOS
33
21 VITÓRIAS
9
10 EMPATES
6
3 DERROTAS
19
56 GOLS MARCADOS
34
26 GOLS SOFRIDOS
45
30 SALDO DE GOLS
-11

Palmeiras: em busca de um milagre

O Palmeiras está a um passo de retornar para a Série B pela segunda vez em dez anos. Nas contas da comissão técnica, o Verdão precisa vencer os quatro jogos que restam no Campeonato Brasileiro para conseguir salvar o ano em que voltou a conquistar um título nacional depois de longos 12 anos. O problema, no entanto, é que o Alviverde paulista jamais ganhou quatro partidas seguidas neste Brasileirão. Com 33 pontos, o time comandado por Gilson Kleina tem sete a menos que Bahia e Portuguesa, os primeiros fora do Z-4. Diante disso, o Palmeiras pode voltar a segundona, caso seja derrotado pelo Fluminense e esses rivais diretos vençam suas partidas.

Apesar do título da Copa do Brasil, o fato é que o Palmeiras sofreu muito durante toda a temporada com a fragilidade do seu elenco, com as seguidas lesões de alguns jogadores e principalmente com atletas que não corresponderam o esperado dentro das quatro linhas. O meia Valdivia, por exemplo, voltou ao clube no meio de 2010 e, desde então, não repetiu as atuações de sua primeira passagem. Fora de forma, Daniel Carvalho foi barrado por Kleina e não seguirá na equipe em 2013. Contratação mais cara do ano (R$ 14,4 milhões), Wesley quase não jogou por conta de uma grave lesão no joelho direito. Para o próximo ano, a diretoria alviverde já admitiu que terá dificuldades para contratar reforços, caso o Verdão realmente seja caia para a Série B.

Mas mesmo com o péssimo momento do Palestra, dois jogadores se destacaram e são os únicos poupados das duras críticas dos torcedores palmeirenses. Aos 36 anos, Marcos Assunção é o principal líder do elenco. Exímio cobrador de faltas, o volante, as voltas com dores nos joelhos, tem jogado no sacrifício. Já o atacante argentino Hernán Barcos, que alcançou a sua meta de 27 gols na temporada, é a grande esperança na luta contra a degola.

O clima dentro do clube nesta semana também foi bastante conturbado. Além da derrota no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que decidiu manter a vitória do Internacional por 2 a 1 em jogo válido pela 33º rodada do Campeonato Brasileiro, alguns jogadores chegaram a ser ameaçados por integrantes de torcidas organizadas.

Por conta do clima da partida, 270 policiais trabalharão no duelo em Presidente Prudente. Maior torcida organizada do Palmeiras, a Mancha Alviverde está proibida de frequentar os estádios de futebol por tempo indeterminado. A decisão foi tomada pela Federação Paulista de Futebol (FPF) depois da confusão de torcedores com a polícia militar no empate com o Botafogo, no último domingo, em Araraquara. Ainda assim, a expectativa é que aproximadamente 40 mil torcedores compareçam ao Prudentão.


Como foi da outra vez...
2002 - Ano trágico para o Verdão

Há 10 anos, o Palmeiras foi rebaixado pela primeira vez para a Série B do Campeonato Brasileiro. Em um ano trágico, o Verdão chegou a última rodada precisando vencer o Vitória fora de casa. No entanto, o time comandado por Levir Culpi perdeu por 4 a 3 e acabou caindo junto com as equipes do Gama, Portuguesa e Botafogo. O time alviverde terminou a competição em 24º lugar, com apenas seis vitórias, nove empates e dez derrotas.


Fluminense: para corar um 2012 quase perfeito
  
A semana nas Laranjeiras foi, tipicamente, uma semana que antecede um título. A dúvida do torcedor que lotou todos os treinos da semana do time parece ser só quando o troféu virá. Com o Atlético-MG a nove pontos de distância, o Flu sabe que só uma tragédia tira o tetracampeonato brasileiro. A questão é se o grito de campeão já poderá ser solto amanhã, em Presidente Prudente, ou se será adiado para a próxima rodada, quando o time enfrenta o Cruzeiro em casa, no Engenhão. Durante os treinamentos da semana, nas Laranjeiras ou na Escola de Educação Física do Exército, na Urca, houve muita presença da torcida, muita pressão em cima do treinador Abel Braga e muita ansiedade. Com isso, o Fluminense só quer poder gritar, para aí sim, coroar o ano quase perfeito.

Quase porque a Libertadores bateu na trave. A decepção do ano ficou por conta da não conquista da torneio sul americano, uma bela campanha interrompida no último minuto do segundo jogo das quartas de final, quando Santiago Silva, do Boca Juniors, fez o gol que eliminou o Tricolor carioca da competição.

Mas, ainda no primeiro semestre, veio o título da Taça Guanabara e a vitória na final do Carioca contra o Botafogo com show de Deco. No Brasileirão, o protagonismo passou para o artilheiro Fred e para o paredão Cavalieri e com uma campanha que vem batendo recordes.

No Rio, o clima é de expectativa e pré festa para os torcedores tricolores. A diretoria tricolor nega que qualquer comemoração esteja preparada, mas já se sabe que a Adidas, fornecedora de material esportivo do clube, produziu uma camisa comemorativa para o título. A Ambev, outra patrocinadora do Flu, prepara peças publicitárias e festas para comemoração.

Somente pouco mais de 4 mil torcedores do Fluminense terão a honra de dizeram que viram o tetra in loco, caso o título saia mesmo neste domingo. Ao contrário da expectativa da diretoria Tricolor, que esperava contar com a ajuda do Palmeiras para ter ao menos 13 mil ingressos disponíveis, o clube paulista só disponibilizou  4437 entradas, 10% das 44370 postas à venda, como diz o estatuto do torcedor. De qualquer maneira, o clube oferece um pacote aos cariocas que quiserem ir até o interior paulista ver o time com todo o conforto. Através do programa “Vou ver o Flu”, o clube cobra R$1290 dos sócios e R$1470 dos não sócios por um pacote que inclui ingresso, ida e volta do Rio de Janeiro para Presidente Prudente de avião e um evento antes do jogo em um resort no interior de São Paulo. Se vai valer a pena, só o resultado do jogo, junto ao resultado de Vasco x Atlético-MG, vai dizer.


Como foi da última vez...
2010 - Tricampeão contra outro alviverde
O Fluminense sofreu um pouco mais em 2010 para chegar ao título do Campeonato Brasileiro. O time só conseguiu conquistar o título na última rodada, mais especificamente no segundo tempo do jogo final, contra outro alviverde paulista, o Guarani. O 1 a 0 com gol de Emerson Sheik foi suficiente para a torcida tricolor soltar o grito de campeão 26 anos depois do último título. Curiosamente, o vice campeão naquele ano foi o Cruzeiro, outro time mineiro treinado por Cuca, que hoje é treinador do Atlético-MG.

Partida pode definir o futuro das duas equipes
Fluminense campeão:
Palmeiras rebaixado:
 

Se vencer o Palmeiras, o Fluminense precisa torcer por um tropeço do Atlético-MG contra o Vasco, domingo, em São Januário. Em caso de empate, o Tricolor necessita de uma derrota do Galo e tropeço do Grêmio com o São Paulo no Olímpico.


Caso perca para o líder, o Palmeiras estará rebaixado se a Portuguesa derrotar o Bahia, sábado, no Engenhão, e o Bahia ganhar do Cruzeiro, domingo, no Independência.

Relacionados