thumbnail Olá,

Meia são-paulino comenta momento da Seleção brasileira e afirma ter a cabeça no São Paulo

POR ANDRÉS ROMÁN

O talento que os torcedores do Paris Saint-Germain poderão acompanhar de perto muito em breve vai dando seus primeiros passos no sentido de agarrar uma das vagas da Seleção de Mano Menezes: o meia Lucas Moura foi escalado nos compromissos recentes da canarinho, e já fica em evidência para o mundo todo antes mesmo de desfilar seus dribles, gols e velocidade no Parc des Princes.

Mas ele ainda defende as cores do São Paulo até o final da temporada, e recusa a ideia de colocar sua disposição apenas no futebol europeu. Ao Goal.com América Latina, Lucas falou sobre o momento da Seleção brasileira, as cobranças sobre seu talento e projetou a experiência de se juntar às estrelas do novo milionário do futebol mundial.

Goal.com: Por que são feitas tantas críticas à Seleção?

"Há um pouco de impaciência. Estamos jogando bem, e a partida contra a Argentina foi muito complicada. Ficaram atrás da linha da bola a todo o momento, esperando atrás. Corremos muito e tentamos criar espaços com estes movimentos, e acabamos premiados no último minuto, com o pênalti marcado por Neymar.

Goal.com: Como se muda este cenário?

"Não é o melhor momento da Seleção brasileira. Mano Menezes está tentando encontrar a melhor forma de fazer a equipe funcionar há algum tempo. Antes, você sabia qual era a cara do time, com jogadores como Roberto Carlos, Ronaldo, Rivaldo, Cafu. Hoje, isso não acontece, é algo que ainda está se buscando.

Goal.com: E o que deve ser feito sobre isso?

"Não é uma tarefa fácil, precisamos recuperar a confiança da torcida. Isto será fundamental para chegarmos bem na Copa"

Goal.com: Jogadores como você e Neymar são cobrados no sentido de render na Seleção tudo aquilo que conseguem nos clubes.

"Não dá para comparar as duas coisas. No clube você trabalha com os companheiros o tempo todo, enquanto na Seleção isso só acontece por alguns dias. Tudo é diferente, há mais pressão na Seleção, as responsabilidades são muito maiores... Nosso objetivo é conseguir conseguir reproduzir aquilo que já fazemos nos nossos clubes também no Brasil.


Goal.com: Há quem diga que a transferência para o PSG pode mudar sua maneira de jogar...

"Cada vez que entro em campo, seja pela Seleção ou pelo São Paulo, é para dar meu melhor. Não gosto de perder, sempre penso na vitória. Quando a transferência foi confirmada, sabia que seria uma responsabilidade ainda maior para ir bem. Sempre disse que gostaria de conquistar uma Copa Libertadores antes de deixar o São Paulo."

Goal.com: Como você vê a transferência para o PSG?

"É uma boa oportunidade, para crescer como jogador, como pessoa. Fico muito ansioso por essa experiência, de poder dividir o campo com jogadores como Ibrahimovic, Thiago Silva, Van der Wiel, Lavezzi e Pastore me motiva muito"