thumbnail Olá,

Flamengo busca na Série B reforços para não cair, justamente, para a Série B. Goal.com apresenta Renato Santos e Cleber Santana, zagueiro e meia vindos do Avaí.

Muitas tentativas de grandes reforços vieram e nada veio. A janela se fechou e Dorival admitiu procurar bons jogadores de divisões inferiores, porta aberta para os destaques da Série B, ou, quem sabe, até da Série C. Depois de muita recusa, muita novela, troca troca envolvendo Flamengo, Avaí, São Paulo e Boavista, finalmente o Fla deve apresentar hoje Renato Santos e Cléber Santana, jogadores que vieram da 2ª divisão para evitar justamente que o Fla caia para lá. Longe de dar certezas à torcida, os reforços são pura esperança. Vindos do Avaí, time que não é destaque na Série B do Brasileiro (ocupa a 9ª posição, a 9 pontos do G-4), os jogadores chegam sem a certeza de serem titulares. Um mais conhecido, outro nem tanto, Goal.com apresenta os novos jogadores do Mengão.

Da Série B, contra a Série B

Renato Santos NOME
Cleber Santana
25 anos IDADE
31 anos
Zagueiro (canhoto) POSIÇÃO
Meia
Avaí ÚLTIMO CLUBE
Avaí
Vitória CLUBE REVELADOR
Sport Recife
Marllon, Frauches, Gonzalez, Welliton DISPUTA VAGA COM
Adryan, Thomás
Brasileirão da Série C (2011), Campeonato Catarinense (2012) e Campeonato Paulista A2 (2007) TÍTULOS
Campeonato Paulista (2006 e 2007), Campeonato Catarinense (2012), Campeonato Pernambucano (2001, 2002, 2003), Campeonato Baiano (2004, 2005) e Copa do Nordeste (2000)


Renato Santos - zagueiro em ascensão, mas falta sucesso em times grandes

Renato Santos é paulista de São Bernardo, mas encontrou uma chance no futebol na Bahia, mais especificamente no Vitória, o primeiro clube rubro negro de sua carreira. Como profissional, no entanto, voltou ao estado de São Paulo onde se destacou como um jovem zagueiro do Paulista no Paulistão de 2005, quando foi vice-campeão, batendo o Palmeiras de Vágner Lova na semifinal. O Corinthians, quase rebaixado naquele Paulistão, quis contar com o jovem no elenco, e até hoje, o jogador só teve esta oportunidade de vestir a camisa de um time grande.

Oportunidade que não aproveitou pois logo foi emprestado para o Juventus (onde foi campeão Paulista da Série A2), Grêmio Barueri, Botafogo-SP e Boavista, de Portugal, onde teve sua primeira experiência internacional. O Penafiel, outro time luso, resolveu apostar em Renato, comprando o passe do jogador, onde ficou por duas temporadas até ser descoberto pelo futebol catarinense. No Joinville, Renato foi parte fundamental do time campeão brasileiro da Série C, em 2011.

O Avaí resolveu tirar o jogador do time rival, e o pôs no elenco para 2012. No Brasileirão da Série B, Renato era titular incontestável até o momento.  Só não atuou em uma partida de todos os jogos desde a 12ª rodada do time no campeonato. Sofreu uma lesão na 3ª rodada, que o deixou afastado por 8 jogos, a mesma que o deixará fora de condição de jogo no início de trabalho no Fla.  Renato Santos marcou um gol pelo Avaí na Série B, contra o Boa Esporte, na vitória por 2 a 1 e não foi expulso na competição. Em 17 partidas, foi amarelado somente duas vezes.


Cleber Santana - experiência e meio campo, o Flamengo clama

O Flamengo atualmente precisa de duas coisas que Cléber Santana já provou ter: experiência e habilidade. O meia de 31 anos já passou por grandes clubes brasileiros, como Santos e São Paulo e já jogou em um grande clube europeu, o Atlético de Madrid, talvez o melhor time espanhol na atualidade depois dos gigantes Barça e Madrid. Além disso, Cleber, mesmo vendo o seu futebol decair, é um desses meias de rara habilidade, que pode ser o 10 que falta no elenco do Fla, mesmo que Adriano vá usar o número da camisa. Chega para ser titular em uma posição carente e recheada de garotos. Uma esperança para Dorival Júnior.

Cleber é um jogador vitorioso. Nos primeiros sete anos de carreira, ganhou seis títulos estaduai. Só não ganhou em 2005, quando foi jogar no Kashiwa Reysol, do Japão. Foram três pelo Sport (2001, 2002 e 2003), um pelo Vitória (2004) e dois pelo Santos (2006 e 2007). Foi no time da Vila Belmiro, inclusive, que Cléber apareceu para o mundo, com belas atuações em um Santos pré Neymar. Chamou a atenção do Atlético de Madrid, e jogou o campeonato espanhol em três temporadas, tendo passado também pelo Mallorca, outro time da primeira divisão galega. Na primeira temporada, atuou 23 vezes e ajudou o Atlético a voltar para a UEFA Champions League, competição que não disputava há 12 anos.  Pelo Mallorca, marcou gol da vitória contra o Barcelona na rodada final da Liga e também balançou as redes do Santiago Bernabeu, contra o gigante Real Madrid.

De volta ao Brasil, o São Paulo foi o destino do jogador, e foi lá que Cléber viu seu futebol decair, tanto que no ano seguinte foi emprestado ao Atlético-PR e caiu para a Série B com o time paranaense. O São Paulo reemprestou o jogador, desta vez para o Avaí, onde o jogador reencontrou o bom futebol. Campeão catarinense com o Avaí, o jogador foi eleito o melhor jogador do campeonato e foi o líder do time de Florianópolis na conquista. Marcando sete gols, sendo dois na final diante do rival Figueirense. Na Série B deste ano, titular absoluto, Santana jogou 24 dos 25 jogos do Avaí e marcou oito gols.

Um exemplo no rival

Jobson, atacante que agora está de volta ao Botafogo, dificilmente serve como exemplo para alguém. O polêmico jogador , no entanto, tem no passado algo que possa servir. Para o Flamengo, voltar no tempo e observar o rival Botafogo pode ser exemplo para superar a má fase com as contratações da Série B. Deu certo no alvinegro, pode voltar a acontecer no bairro vizinho.

O ano era 2009 e o Botafogo vivia situação semelhante a do Flamengo, com campanha ruim no Brasileirão, troca de treinadores e dificuldade em contratar reforços. Do Brasiliense, que na época disputava a segundona, veio o desconhecido Jobson, atacante com passagens pelo futebol asiático. Desacreditado, foi um dos destaques da reta final do Brasileirão, colocando o até então titular Victor Simões no banco, marcando 4 gols em 12 jogos, sendo três nas duas partidas finais, vitórias contra São Paulo e Palmeiras, que livraram o Fogão da degola. Após o campeonato, Jobson foi pego no exame antidoping por uso de cocaína, sendo suspenso após admissão de uso de crack. Até hoje o jogador ainda não reencontrou o bom futebol depois de passagens por Bahia, Atlético-MG, Botafogo e Grêmio Barueri.

Relacionados