thumbnail Olá,

Goal.com América Latina conversou com o herói corintiano

POR ANDRÉS ROMÁN

Altivo, de passo firme. A expressão mostra o momento que vive. Não fala em meias-palavras, tanto fora quanto dentro de campo. É o maior momento de sua carreira profissional. Nem seu passado coberto por escândalos o impediram de chegar ao topo da América como a maior figúria da conquista do Corinthians. O atacante Emerson teve sua noite de glória contra o Boca Juniors, quando marcou os dois gols que entraram para a história do clube.

Com passagens por Japão, França e Catar, o Sheik colecionou conquistas por onde passou: campeão brasileiro com Flamengo (2009), Fluminense (2010) e Corinthians (2011), o herói do Timão foi o entrevistado por Goal.com América Latina.

Goal.com: O que representa para você a conquista da Copa Libertadores?

"Eu venho pensando: 'Por que estou aqui?' O Corinthians tem mais de 100 anos de vida, muitos jogadores passaram por aqui e não tiveram a mesma sorte. Pedi a Deus por este momento. É muito bom estar aqui, é bom atingir os objetivos, ser campeão para esta torcida e para este clube. É algo que não tem preço."

Goal.com: As coisas foram quase perfeitas para você...

"Aqui, ninguém ganha sozinho: é o grupo que vence. Quando falo do grupo, não falo apenas dos jogadores e da comissão técnica, mas também todos os empregados do clube. O departamento de futebol inteiro pode se considerar, também, campeão."

Goal.com: Uma conquista destas é ainda mais especial, levando em conta todas as críticas que recebe?

"É algo que me emociona. Já comentei muitas vezes sobre tudo o que aconteceu, e isto é como um prêmio. Muita gente me critica e diz que não sou profissional. Mas estou muito feliz e demonstro a todos que sou, sim, profissional. Sou campeão da Libertadores, e isso me enche de alegria."

Goal.com: Quais foram os méritos do Corinthians para sair campeão?

"Lembro há alguns meses do nosso querido Duílio (Alves, diretor adjunto de futebol) dizendo que, no Corinthians, não se pode jogar com nome. Ele chegou até a elevar o tom da fala nessa hora, mas isso é muito real: 'Precisam ralar muito para jogar aqui."

Goal.com: Essa frase serve para você?

"Em todos os clubes nos quais joguei, consegui isso por méritos e pelo nome que construí. Meu esforço é visível, e creio que o do grupo também. Também serve para o Tite (treinador). É um prêmio para todos."

Goal.com: Imaginou que as coisas ocorreriam dessa forma?

"Gosto dos grandes desafios. Me sinto bem quando fico sob pressão, como na final contra o Boca. Não falei nisso antes, mas sonhei na noite anterior que faria um dos gols que dariam o título da Copa ao Corinthians."

Relacionados