thumbnail Olá,

Para derrotar o Santos na partida de ida das semifinais da Libertadores, o Corinthians contou com a boa movimentação dos homens de frente

POR FERNANDO H. AHUVIA – DIRETO DE SÃO PAULO

Atacar e defender com muito empenho, pressionar a saída de bola santista, valorizar a posse de bola e aproveitar as chances para fazer o gol na casa do adversário. Todos esses pedidos feitos pelo técnico Tite na véspera da partida foram seguidos a risca pelos jogadores do Corinthians.

O 4-2-3-1 habitual da equipe, sem um centroavante de ofício, mais uma vez deu certo. Nesta quarta-feira, a troca de posições entre Alex, Danilo, Jorge Henrique e Emerson foi o grande destaque da vitória do Timão sobre o Santos, por 1 a 0, na Vila Belmiro, em jogo válido pela partida de ida das semifinais da Copa Libertadores da América.

FORMAÇÃO SEM CENTROAVANTE DE REFERÊNCIA

Desde a primeira partida contra o Emelec, dia 2 de maio, pelas oitavas de final da Libertadores, o Corinthians vem atuando sem um centroavante de referência.

O esquema campeão brasileiro em 2011 foi alterado com a saída de Liedson do time. O camisa 9 não repetiu as boas atuações que teve com a camisa do Timão na última temporada e foi parar no banco de reservas. Como Elton não convenceu, Tite vem escalando o time sem um centroavante.

Isso tem proporcionado ao time interessantes variações táticas. Na vitória contra o Peixe, na noite desta quarta-feira, pela competição sul-americana os meias Alex e Danilo e os atacantes Jorge Henrique e Emerson se movimentaram bastante dentro de campo.

O "CARROSSEL" UTILIZADO POR TITE

Contra o Santos, o Corinthians atuou com Jorge Henrique, Danilo e Emerson na linha de três, enquanto Alex jogou como um falso centroavante. Durante o primeiro tempo, o camisa 12 inverteu de posição com Danilo. Já na volta do intervalo, o Sheik exerceu a função até ser expulso.

Dessa forma, o Timão conseguiu preencher o campo ofensivo, trocar passes com qualidade e aproveitar a principal chance que teve para marcar o gol da vitória com Emerson aos 31 minutos da primeira etapa em jogada foi feita pelo sempre decisivo Paulinho.

Outro fator que contribuiu bastante para o triunfo corintiano foi a ajuda do quarteto, que pressionou a saída de bola do time da baixada.

Relacionados