thumbnail Olá,

Movimentação de Marcelo, Neymar e Oscar confunde a marcação adversária e gera boas jogadas ofensivas

Foi por ali que o Brasil criou grandes jogadas nos escassos grandes momentos da equipe desde que Mano Menezes assumiu o comando da Seleção. Não poderia ser diferente nestes últimos dois amistosos, especialmente na partida contra os Estados Unidos, com o retorno de Neymar. O lado esquerdo do ataque do Brasil é certamente um ponto forte da equipe e conta com alguns padrões de movimentação interessantes para confundir a marcação.

UM PONTO FORTE DESDE A ESTREIA

Quem acompanhou a estreia de Mano Menezes na Seleção Brasileira, há quase dois anos, lembra do lado esquerdo como uma das qualidades mostradas pela equipe na vitória de 2 a 0 sobre o mesmo Estados Unidos batido nesta quarta-feira.

Naquele jogo, até mesmo Robinho, escalado pela direita, entrava pelo meio para aproximar-se de Neymar, Ganso e até Alexandre Pato, que caía por ali. As combinações de passes curtos e movimentação intensa das peças ofensivas daquele lado deixava a marcação americana confusa.

Neste jogo, a presença de Ganso no meio-campo, com sua tendência natural de cair pela esquerda, ajudava ainda mais a tornar o flanco canhoto de Mano Menezes em um setor muito difícil de parar.

 

MARCELO INCENDEIA O SETOR

Não há como falar do poder do lado esquerdo brasileiro sem falar da capacidade de Marcelo no apoio ao ataque, especialmente após a performance de luxo do lateral na goleada desta quarta-feira.

No início de trabalho de Mano, com André Santos na lateral, o Brasil dependia demais da jogada individual de Neymar para criar pelo flanco. Com Marcelo, por sua movimentação incessante, o panorama é outro.

A agressividade no bom sentido é a grande qualidade do lateral do Real Madrid. Sua disposição a sair do flanco e infiltrar-se pelo meio e até dentro da área, como fez no terceiro gol brasileiro contra os americanos, é algo que sempre dá opção de passe a seus companheiros e confunde ainda mais a marcação.

 

 

O PODER DO IMPROVISO QUANDO TUDO SE FECHA

Os melhores momentos do lado esquerdo do ataque do Brasil são quando há aproximação entre as peças e jogadas trabalhadas. Mas mesmo quando a marcação encaixa e o time não consegue criar coletivamente, o lado esquerdo segue sendo uma boa aposta para o time de Mano.

Isto porque ali está a grande referência técnica da Seleção Brasileira. Quando a defesa adversária se fecha e posiciona-se de forma a brecar as jogadas trabalhadas do Brasil pelo flanco, Neymar pode quebrar toda a marcação com sua capacidade de improviso.

Essa mistura de tramas coletivas de altíssima qualidade com a presença de um jogador capaz de dar um acabamento individual às jogadas é um dos pontos que faz do lado esquerdo brasileiro um dos pontos altos da equipe verdeamarela.

 

Relacionados