thumbnail Olá,

Atitude de Joel contra o Internacional remonta 2011, quando Ronaldinho foi substituído e vaiado. Depois do episódio, meia teve melhor sequência no Flamengo. Ele pode repetir?

POR THALES MACHADO - DIRETO DO RIO DE JANEIRO

Dia 19 de Junho de 2011. O Flamengo empata em 0 a 0 com o Botafogo pelo Brasileirão e Ronaldinho Gaúcho é substituído no fim do jogo por Vanderlei Luxemburgo. È vaiado pela torcida flamenguista. A vaia parece ter mexido com os brios do jogador que, a partir dali, passa a ter sua melhor sequência pelo Flamengo até hoje. O time acompanha o craque e os bons resultados acontecem.

Dia 27 de Maio de 2012. O Flamengo empata com o Internacional por 3 a 3 na segunda rodada do Brasileiro e, quase um ano depois, R10 é de novo substituído muito vaiado pela torcida rubro negra. O que acontecerá a partir daí? Será que as vaias da torcida serão, novamente, capaz de acordar um craque adormecido?

"Naquele momento, achei que ele não estava bem no jogo e o substitui como qualquer outro jogador. Achei que fiz o certo. Tirei o Ronaldo porque ele não tava bem, fiz o que minha consciência pediu". 


- Joel, sobre a substituição de R10


Por que NÃO acreditar?

É exagero dizer que Ronaldinho Gaúcho sentirá novamente o fim do túnel e reagirá voltando com um bom futebol. A atitude de Joel de substituí-lo no entanto, lá no fundo, teve um pouco de inspiração na atitude de Luxemburgo no Brasileirão do ano passado. Será que ser vaiado por uma torcida que R10 respeita pode sacudir o jogador? Ronaldinho não foi mais convocado pela Seleção, não ficou nem entre os três melhores da sua posição no Carioca e é apontado como o grande culpado da fase ruim do Flamengo por mais da metade dos torcedores. Nada disso despertou um escondido bom futebol.

Uma vaia em campo no reencontro com a torcida pode sim acordar o jogador. O tempo de R10 pode chegar ao fim no Fla se uma reação rápida não acontecer por parte do jogador. Se repetir 2011, Ronaldinho ganha uma sobrevida no clube da Gávea e, aos 32 anos, um sopro de felicidade a uma belíssima carreira que corre o risco de terminar de maneira lamentável.

O grande problema de realmente se acreditar em uma recuperação do jogador é simples: parece que ele não quer. Seja por falta de motivação ou por falta de salário, o jogador não parece ter a gana pelo sucesso no Flamengo. A desorganização do clube e episódios recentes, como as críticas de Joel Santana e a cada vez mais ruidosa relação entre seu irmão e empresário Assis e a diretoria do Fla, ajudam na desmotivação.

A pressão de hoje também é maior do que a de ontem. À época das vaias, R10 ainda não tinha apresentado um bom futebol em seus primeiros meses de Flamengo, mas já havia sido campeão carioca. Hoje, R10 precisa conviver com, além da pressão por boas apresentações individuais, o fato de que o desempenho do Flamengo foi vexatório no ano até aqui. Ano passado, à altura do jogo contra o Botafogo quando foi substituído por Wanderley, o Fla empatava pela 4ª vez consecutiva no Brasileiro e em um clássico, mas já havia vencido uma vez no campeonato. Hoje, na 2ª rodada, o Flamengo acumula dois empates, sendo o último contra um Internacional misto, dentro de casa, tendo aberto 3 a 1 no placar. Projeções positivas são difíceis no momento, mas não impossíveis, ainda mais em um clube que vive na tênue linha da crise e do supreendente sucesso.

Relembrando 2011 para poder acreditar

Em um clássico, é provável e compreensível que a torcida adversária, ao ver a estrela do time rival deixar o campo, o encha de vaias. A ensurdecedora daquela vez, no entanto, foi fogo amigo. Contra o Botafogo pela 5ª rodada do Brasileirão do ano passado, Luxa tirou R10 sob estas condições. Mais tarde, o treinador, atualmente no Grêmio, justificou a ação, dando a entender que foi uma tentativa de mostrar a R10 que ele poderia render mais. Deu mais do que certo.



UM R10 MORDIDO
Números importantes e reveladores de Ronaldinho após ser substituído em 2010
3 gols nos dois primeiros jogos após Luxemburgo o substituir no clássico contra o Botafogo
8 gols em 11 jogos nos jogos sequentes, média 0,72 por jogo
4 vitórias consecutivas conseguiu R10 e Flamengo após o empate das vaias com o Botafogo
5 jogos pela Seleção Brasileira fez Ronaldinho após a boa fase no Flamengo, foram 4 vitórias e 1 empate
1 + 1 gol pela Seleção contra o México e um título: o Superclássico das Américas onde o meia foi o capitão.
Dali para frente tudo melhorou para time e jogador. O Flamengo venceu quatro jogos seguidos, ficou doze jogos sem perder (sendo nove vitórias e três empates), totalizando 16 rodadas invicto (o time havia empatado as três partidas anteriores) e teve o melhor momento da temporada. Entrou na briga pelo título, que não conseguiu, e pela vaga na Libertadores, que conseguiu. Ronaldinho jogou 11 das 12 partidas, deu várias assistências, jogou muito bem e marcou oito gols. Três dos gols foram nas duas primeiras partidas após a substituição. Outros três, para sempre lembrados, ocorreram na épica partida entre o Fla do Gaúcho e o Santos de Neymar. O Flamengo venceu o campeão da Libertadores por 5 a 4 na Vila Belmiro, no melhor jogo da temporada e com a melhor atuação de Ronaldinho em uma partidade desde sua saída da Europa. Tudo culminou na convocação de Ronaldinho para a Seleção Brasileira por Mano Menezes pela primeira vez após o seu retorno ao Brasil.

No jogo seguinte ao supracitado empate com o Botafogo, R10 já mostrou que estava balançado. O Fla começou perdendo para o Atlético-MG no Engenhão, mas logo empatou com um golaço do meia, em um belo chute sem chances para o goleiro do Galo. No fim, goleada de 4 a 1 para o Flamengo, que voltava a vencer no torneio. Na partida seguinte, Ronaldinho confirmou a recuperação em cima de outro time mineiro. O Fla foi até Sete Lagoas enfrentar o América e venceu por 3 a 2 de virada, com brilho e dois gols do bom e velho Ronaldinho Gaúcho.

Depois de vitórias contra São Paulo e Fluminense, e um empate com o Palmeiras, Ronaldinho conseguiu chegar com moral o suficiente para fazer frente a Neymar no jogo contra o Santos na Vila. O duelo parecia ruir para o lado rubro negro quando, ainda no primeiro tempo, o Santos abriu 3 a 0 no placar com um gol que rendeu a Neymar o título oficial da FIFA de gol mais bonito do ano. Só depois disso o Fla e R10 apareceram. O meia iniciou a reação ainda no primeiro tempo em um gol de oportunismo e falha do goleiro santista. Thiago Neves fez o segundo e, ainda no finzinho do primeiro tempo, Deivid empatou depois de escanteio cobrado pelo ex melhor do mundo.
Neymar fez o quarto, mas Ronaldinho relembrou a histórica época de Barcelona e jogou muito. O camisa 10 fez os dois gols que definiram o placar final em 5 a 4, um deles batendo uma falta rasteira, por baixo da barreira pulante, de rara categoria. Quinta vitória em seis do Fla após as famigeradas vaias. Dizer que Luxemburgo não acertou e que Ronaldinho não sentiu a responsabilidade é, no mínimo, mentira.

Tais atuações levaram R10 à Seleção Brasileira novamente e, no time de Mano, Ronaldinho também conseguiu fazer bons jogos e chegou até a marcar gol, o que não ocorria há muito tempo. Quase um ano depois, as atuações levam agora a esperança da torcida do Flamengo que tudo pode se repetir e, quem sabe, Ronaldinho Gaúcho ainda possa deixar o Flamengo como já declarou que quer, pela porta da frente.

O torcedor flamenguista já o culpa nas ruas e pede sua cabeça como forma do Fla voltar a vencer. Por mais oitimista que a fama seja, o rubro negro pensa duas vezes ao cogitar uma recuperação de R10. Pelo momento atual, o torcedor tem razão, pelo passado, está errado. Cabe a Ronaldinho resolver esta dúvida, sua carreira e o futuro do Flamengo na temporada.

Relacionados