thumbnail Olá,

Goal.com relembra os protagonistas brasileiros de campanhas de título na Liga dos Campeões Europeus

No último sábado, em partida iniciada às 15:45 (horário de Brasília), o mundo viu o Chelsea derrotar o Bayern de Munique em plena Allianz Arena, na disputa de pênaltis, após um empate por 1 a 1 no tempo normal e prorrogação. A vitória deu aos londrinos o título inédito da Liga dos Campeões Europeus.

Nessa conquista, o brasileiro Ramires teve participação fundamental. Apesar de não ter disputado a grande decisão por conta do 3º amarelo, que o fez cumprir suspensão automática, o meio-campista de 25 anos foi crucial para a arrancada dos "Blues" rumo à glória.

No primeiro confronto da semifinal, foi ele quem puxou um contra-ataque mortal e deu assistência para Drogba dar a vitória ao Chelsea diante do Barcelona, considerado por muitos como o melhor time do mundo. No jogo de volta, em pleno Camp Nou, o brasileiro natural de Barra do Piraí voltou a brilhar: marcou um golaço, encobrindo Valdés. Vale ainda lembrar o gol marcado na final da Copa da Inglaterra, que abriu o placar para a vitória de 2 a 1 sobre o Liverpool.

Por isso, inspirado em Ramires, o Goal.com relembra alguns dos brasileiros que protagonizaram campanhas vitoriosas na maior competição interclubes do mundo, a Liga dos Campeões Europeus.

Élber, em 2001:

O atacante brasileiro começou a ser fundamental, sobretudo, a partir do jogo de volta das quartas-de-final, disputado diante do Manchester United. A primeira partida foi vencida pelo Bayern de Munique por 1 a 0 e a outra, com um gol de Élber, por 2 a 1.

Na semifinal, duas atuações de gala contra o Real Madrid. O jogador balançou a rede nos dois confrontos (uma vez em cada), ambos vencidos pela equipe da Baviera: 1 a 0 na ida e 2 a 1 na volta.

Na final, não deixou sua marca no empate de 1 a 1 com o Valencia e não chegou a participar das penalidades, mas foi fundamental para o 4º título da UEFA do clube bávaro.

 Ibson e Borges - Santos x Corinthians

Dida, em 2003:

Assim como na decisão de 2001 vencida pelo Bayern, em 2003 também houve a definição do campeão na disputa de penalidades. Nessa edição da Liga dos Campeões Europeus, porém, não foi um atacante brasileiro que brilhou, mas sim um goleiro: Dida.

Depois de um empate por 0 a 0, o arqueiro foi responsável pela defesa de 3 dos 5 pênaltis cobrados pela Juventus, garantindo o triunfo por 3 a 2. Trezeguet, Zalayeta e Montero pararam no ex-corintiano. Ressalta-se, ainda, a cobrança de Serginho a favor do Milan-ITA. O ex-lateral-esquerdo foi o primeiro a bater pelo rossonero e converteu.

 Ibson e Borges - Santos x Corinthians

Carlos Alberto e Deco, em 2004:

Mantendo a hegemonia brasileira no Velho Continente, na temporada seguinte foi a vez de dois brasileiros comandarem o Porto, de Portugal, ao topo: Carlos Alberto e Deco.

Sob o comando do técnico José Mourinho, o luso-brasileiro praticamente carregou os portugueses à final. No caminho, passaram por Manchester United (oitavas-de-final), Lyon (quartas-de-final) e Deportivo La Coruña (semi-final), até esbarrarem com o Mônaco na decisão.

Nesse último confronto, vitória soberana por 3 a 0, com direito a um gol de Deco. O grande destaque, entretanto, acabou sendo Carlos Alberto, que atualmente está no Vasco da Gama. Ele abriu o placar para o Porto e tornou-se o jogador mais jovem a marcar um gol em uma final de Liga dos Campeões (19 anos).

 Ibson e Borges - Santos x Corinthians

Ronaldinho e Belletti, em 2006:

Roubando os holofotes mais precisamente durante a campanha até a final do que na própria decisão, Ronaldinho Gaúcho marcou a temporada de 2005/2006. O Barcelona encantou a Europa ao conquistar o título de forma invicta.

Na fase de grupos, passaram com 16 pontos (5 vitórias e 1 empate) na chave de Udinese, Werder Bremen e Panathinaikos. Nas oitavas-de-final, 2 a 1 e 1 a 1 contra o Chelsea; nas quartas, 0 a 0 e 2 a 0 diante do Benfica; nas semi, 1 a 0 e 0 a 0 no Milan.

Já na decisão, quando R10 não brilhou, Belletti garantiu que as manchetes do dia seguinte fossem sobre um jogador do Brasil. O ex-lateral-direito entrou no segundo tempo e fez o gol da virada do Barcelona aos 80 minutos, dando a vitória de 2 a 1 sobre o Arsenal para o time da Catalunha. O tento convertido catapultou o jogador ao posto de ídolo do Barça.

 Ibson e Borges - Santos x Corinthians

Kaká, em 2007:

Encarregado de puxar os velozes contra-ataques do Milan, o ano de 2007 foi do brasileiro Kaká. Deixando Celtic (oitavas-de-final), Bayern de Munique (quartas-de-final) e Manchester United (semi-final) pelo caminho, após uma suada classificação em primeiro lugar do Grupo H, com 10 pontos, o meio-campista levou o rossonero até a finalíssima.

No Estádio Olímpico de Atenas, diante do Liverpool, o Milan triunfou por 2 a 1 - com dois gols de Inzaghi -, sagrou-se campeão da Champions pela 7ª vez em sua história e Kaká tornou-se o melhor jogador do mundo, sendo eleito pela FIFA.

 Ibson e Borges - Santos x Corinthians

Relacionados