thumbnail Olá,

Há quem pregue que o time catalão deve servir de exemplo para todos, mas seu estilo só pode ser executado com jogadores que tenham características específicas

"Alguns 'sábios' dizem que (o Barcelona) joga o único futebol que existe". Essa frase foi proferida por José Mourinho, atenuando um raro comentário elogioso que fez ao arquirrival, quando disse que o seu Real Madrid bateu um dos melhores times da história ao vencer o título espanhol.

"Alguns 'sábios' dizem que (o Barcelona) joga o único futebol que existe", José Mourinho
Dificilmente concordo com as declarações de Mourinho, apesar de considerá-lo como um treinador extraordinário. Esta, porém, não poderia ser mais precisa. Mais do que isso, ela cutucou uma ferida que torna-se cada vez maior entre os analistas de futebol pelo mundo.

Muitos que se impressionam com o Barça acham que o modelo de Guardiola deve ser seguido por todas as equipes. Não é bem por aí. A construção da identidade de um time precisa passar pela característica de seus jogadores.

As visões mais simplórias de futebol que alguns comentaristas reproduzem apenas pedem que os técnicos coloquem suas equipes 'para frente', citando o Barça como um exemplo de que esse é o caminho a seguir. São os mesmos que dizem que não há fórmula no futebol, sem perceber a contradição de seu argumento.

Técnicos de futebol precisam pensar em fazer com que seu time renda o máximo possível. Este é o seu compromisso, pois é isso que lhes deixa mais próximos da vitória. Às vezes, o grupo de jogadores disponível pede a montagem de um time que se feche atrás e saia rapidamente nos contra-ataques. Adiantar a marcação e tentar ser um Barcelona com peças assim só escancarará as dificuldades da equipe na execução dessa estratégia.

Um bom exemplo a ser tomado é o Milan vencedor da década passada, especialmente o campeão da Champions League de 2007. Alguém acha que aquela equipe teria o mesmo sucesso praticando o estilo de jogo clássico do Barça? Aquele era um time feito para contra-atacar, apoiando-se na capacidade imensa de Kaká de arrancar com a bola dominada em velocidade.

Técnico de futebol precisa identificar o que é melhor para aquele grupo de jogadores que tem nas mãos. O resto é demagogia de quem quer ver brilho de diamantes em uma coleção de pedras comuns.

Quem acompanha este espaço sabe que sou um admirador deste Barcelona histórico e do trabalho de Josep Guardiola. Só não vá dizer por aí que eu quero que ele se espalhe por todo mundo. Técnico de futebol precisa identificar o que é melhor para aquele grupo de jogadores que tem nas mãos. O resto é demagogia de quem quer ver brilho de diamantes em uma coleção de pedras comuns.

Relacionados