thumbnail Olá,

Flamengo amarga eliminação precoce nas duas competições do primeiro semestre e fica sem finais pela primeira vez em 10 anos. Goal.com traça uma cronologia do primeiro semestre

POR THALES MACHADO - DIRETO DO RIO DE JANEIRO

No calendário do futebol brasileiro, o primeiro semestre significa, basicamente, o campeonato estadual e a Libertadores ou a Copa do Brasil. O Flamengo teve ontem, dia 22 de abril, o seu primeiro semestre precocemente encerrado. O time só volta a jogar dia 20 de maio, ainda no primeiro semestre do calendário gregoriano, mas pelo Brasileirão, competição que se desenrola pela segunda metade do ano no calendário do futebol brasileiro.

Foi o pior início de ano do Flamengo nos últimos 10 anos. Desde 2002, quando amargou campanhas ruins no estadual, no extinto Rio São Paulo e na Libertadores, o Fla não fazia campanha tão decepcionante. Taça Guanabara, Taça Rio ou Copa do Brasil, de 2003 a 2011, o Flamengo sempre chegou ao menos em uma decisão por ano no primeiro semestre. Foram 16 decisões em 10 anos, levantando doze taças. O início da temporada de 2012 é o retrato de um começo de ano tenebroso, que o Goal.com relembra, mês a mês.

SEMPRE UMA FINAL | Desempenho do Flamengo no primeiro semestre (2003-2011)
ANO
ESTADUAL
L ou CB*
2003 Vice campeão (não chegou a nenhuma final)
Finalista (CB)
2004 Campeão Carioca e da Taça Guanabara
Finalista (CB)
2005 Finalista da Taça Rio
Elim. nas Oitavas (CB)
2006 11º lugar Campeão (CB)
2007 Campeão Carioca e da Taça Guanabara
Elim. nas Oitavas (L)
2008 Campeão Carioca e da Taça Guanabara
Elim. nas Oitavas (L)
2009 Campeão Carioca e da Taça Rio
Elim. nas Quartas (CB)
2010 Finalista da Taça Rio
Elim. nas Quartas (L)
2011 Campeão Carioca, da Taça GB e Taça Rio
Elim. nas Quartas (CB)

* (L) Libertadores ou (CB) Copa do Brasil

  JANEIRO: partidas, chegadas e confusões mil

O primeiro mês do ano foi um retrato do que aconteceria no Flamengo. O time saiu do Rio e, ainda sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, fez uma confusa pré temporada em Londrina, no interior do Paraná.

Astro do time, Ronaldinho Gaúcho vivia imbróglio em relação ao seu salário: não recebia há algum tempo e Flamengo e Traffic negociavam para saber quem pagaria o jogador. Sobrou para o clube, que viu R10 em uma pré temporada fraca, que teve como auge uma suposta confusão entre o craque e o técnico Luxa, quando o treinador acusou o meia de ter levado uma mulher à concentração. A bagunça também respingou na zaga, e o Fla perdeu Alex Silva, insatisfeito pela falta de pagamento e com a estrutura e falta de comando do Fla.

A diretoria, no Rio, também não ia nada bem. Gonzalez, Magal e Itamar foram os nomes trazidos para reforçar o elenco, todos desconhecidos da torcida. Como se não bastasse, o Fla perdeu um dos melhores jogadores do time em 2011, o meia Thiago Neves, que foi parar justamente em um rival, o Fluminense.

A derrota para o Real Potosí no primeiro jogo da pré Libertadores pôs mais pressão sobre o grupo e, principalmente, sobre Luxemburgo. A queda do treinador era iminente.

No dia 25, a diretoria anunciou uma rara notícia boa em 2012: repatriou Vágner Love, que estava no CSKA da Rússia. O atacante, junto com Kléberson que voltou do Atlético-PR, foram os únicos destaques individuais do time nos quatro primeiros meses do ano.

AO FIM DO MÊS:

5 jogos, 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota.

Artilheiro do mês: Botinelli e Jael (2 gols)

No Carioca: o time liderava o Grupo A com 4 pontos.

Na Libertadores: O time precisava vencer o Potosí por dois gols de diferença na partida de volta da Pré Libertadores

  FEVEREIRO: sai Luxa, entra Joel e nada de Guanabara

O primeiro dia de Fevereiro no Flamengo foi antagônico. O time venceu o Real Potosí por 2 a 0 no Engenhão e conseguiu a classificação para a fase de grupos da Libertadores

Após o jogo, no entanto, a diretoria anunciou a demissão de Vanderlei Luxemburgo. R10 tinha vencido a batalha contra o técnico e, na mesma semana, Patrícia Amorim anunciou o novo treinador: "Papai Joel" estava de volta ao Fla com a missão de recuperar o grupo para a Libertadores e Carioca.

Pela Libertadores, Joel Santana estreou com um empate fora de casa, diante do Lanus. No Carioca, o time não embalou. R10 jogava mal, o time acompanhava, mas, contra adversários fracos, o time chegou  as semifinais. Contra o Vasco, Deivid errou um gol incrível e, de virada, o Vasco venceu e impôs a primeira eliminação ao Fla no ano. O bi da Taça Guanabara ficou impossível.

AO FIM DO MÊS:

9 jogos, 4 vitórias, 3 empates e 2 derrotas.

Artilheiro do mês: Vágner Love (3 gols)

No Carioca: o time foi eliminado da Taça Guanabara nas semifinais e estreara com derrota na Taça Rio para o modesto Boavista.

Na Libertadores: O time fez um bom resultado no primeiro jogo da fase de grupos. Empate com o Lanús na Argentina.

  MARÇO: começo bom, fim ruim

Se houve algum momento bom do Fla no começo de 2012 foram os primeiros 15 dias de Março. O time venceu os três jogos que disputou, incluindo um Fla-Flu pelo Carioca e o Emelec pela Libertadores. Vágner Love vivia um momento fantástico.

O dia 15 de Março, no entanto, marcou o início do pesadelo da Libertadores. Vencendo por 3 a 0 o Olimpia no Engenhão até os 32 do Segundo Tempo, o time cedeu o empate para os paraguaios. No último jogo do mês, em Assunção, o time perdeu por 3 a 2 para o mesmo Olímpia e viu a vida complicar na Libertadores: precisaria vencer o Emelec fora de casa para não se complicar na última rodada. Pelo Carioca, bons resultados em jogos ruins contra times pequenos foram garantindo o Fla na semifinal da Taça Rio.

AO FIM DO MÊS:

7 jogos, 5 vitórias, 1 empate1 e 1 derrota.

Artilheiro do mês: Vágner Love (5 gols)

No Carioca: o time precisava vencer Bangu e Vasco para garantir a classificação para as semfinais da Taça Rio. O time era terceiro no momento, atrás de Macaé e Botafogo.

Na Libertadores: O Fla se complicou com o empate e a derrota para o Olimpia e precisaria de um bom resultado contra o Emelec, forada casa.

  ABRIL despedaçado

As vitórias contra o surpreendente Bangu (com dois gols de Love) e Vasco (com gol de Ronaldinho no último minuto) pela Taça Rio, levaram o Fla as semifinais como primeiro do grupo. Tal fato, no entanto, não aliviou a pressão sobre Joel Santana devido ao jogo do dia 4 de Abril, em Guayaquil. Mais um vez, pela Libertadores, o Fla foi surpreendido no fim do jogo. O time vencia o Emelec por 2 a 1 até minuto 38 da segunda etapa, quando tomou o empate. Nos acréscimos, Willians cometeu pênalti bobo e o time equatoriano virou o jogo, deixando o Fla na lanterna do grupo.

                                                                          Na volta ao Brasil, protestos da torcida contra o time, Joel e, principalmente, Ronaldinho Gaúcho. O time brasileiro p

recisaria de um milagre para alcançar a classificação para as oitavas de final. E o milagre quase veio.

O dia 12 de abril dificilmente vai ser esquecido pelos flamenguistas. O time venceu o Lanus em casa por 3 a 0, jogando bem e precisava que Olimpia e Emelec empatassem, o que ocorria até o finzinho do jogo. Com o jogo no Engenhão já terminado, os jogadores do Fla sofreram ainda no gramado: o Emelec desempatou, tomou o empate novamente e fez o gol da vitória no último minuto. Tudo isso em menos de cinco minutos. Cinco minutos mais sofridos em quatro meses e o fim do sonho do bi da Libertadores.

Uma semana e meia depois, o sonho da redenção era conquistar o Carioca. O Flamengo venceu quatro das últimas cinco edições do Estadual, e um título amenizaria os problemas do time, tirando a pressão para o Brasileiro. Para isso, no entanto, o Fla precisava, primeiro, vencer o Vasco pelas semifinais da Taça Rio. Um jogo emocionante, de cinco gols e belas atuações. Um mordido Vasco venceu por 3 a 2 e despedaçou de vez Abril e o primeiro semestre do clube de maior torcida do país.

A nação flameguista só verá seu time novamente em campo no dia 20 de Maio, diante do Sport, em Recife, pelo Brasileirão. Em casa, o Fla volta a jogar no Engenhão dia 26, contra o Internacional. Férias forçadas que a torcida não queria, mas que espera que sirvam de lição para que o rubro negro aprenda com os erros e siga em frente, de preferência, vencendo. 

AO FIM DO MÊS:

6 jogos, 4 vitórias, 0 empates e 2 derrota.

Artilheiro do mês: Deivid (5 gols)

No Carioca: o time foi eliminado da Taça Rio e acabou com o sonho do bi.

Na Libertadores: O time ficou em 3º lugar no grupo e foi eliminado.

Relacionados