thumbnail Olá,

Nosso colunista convidado fala sobre o trabalho do treinador são-paulino

POR ALEXANDRE ZANQUETTA- COLUNISTA CONVIDADO

Entendendo Emerson Leão. Esta semana, dois jornalistas foram não digo brilhantes, mas muito honestos e fieis às suas convicções e não adeptos aos modinhas que inescrupulosamente usam a mídia para fazerem joguinhos contra Leão. Vejam que desde a goleada contra o Independente (PA), ninguém mais abriu a boca. Isto até o próximo tropeço...

Enfim, queria ressaltar que concordo plenamente com eles. São eles Noriega e Menon.

Noriega afirmou o que nós são-paulinos sabemos bem: Muricy, apesar de vencedor, é retranqueiro e aposta sempre na regularidade e no detalhe nas partidas. Não arrisca. Aposta no conjunto, na jogada de bola parada. Hoje, aposta nisso e em Neymar. Já Tite, aposta em manter a regularidade defensiva e o time estável sem correr riscos.

São dois treinadores que são atuais vencedores dos títulos mais desejados no país, são mais valorizados que Felipão e Leão no momento.

Leão e Felipão, que são tidos como mais pragmáticos e mais retranqueiros, mais duros em seus estilos, são hoje os treinadores que mais colocam suas equipes para frente e proporcionam os melhores momentos de futebol no país. Isto eu digo em termos de equipes que disputam jogos competitivos, porque falar de Campeonato Mineiro, Gaúcho, entre outros, é perda de tempo. Tirando o Carioca e o Paulista, eu lamento demais o nível do futebol brasileiro, mas isto é outra conversa.

Leão é um treinador visivelmente em final de carreira. Ele já não é mais treinador de ponta, ele não acompanha o futebol atual como outros estudiosos como o próprio Muricy, como o próprio Tite, Dorival etc., ele não está mais tão antenado e não tem práticas e estilos modernos como há 10, 12, 15 anos.

Leão, porém, tem dois aspectos que não enferrujaram neste atual momento do futebol em que os demais dominam: Leão tem arrojo e ousadia. São 2 fatores que morreram nos dias atuais.

Os times só partem para cima quando sofrem gol. Buscam o equilíbrio e não pensam em vencer, marcar gols, pensam em estabilidade, regularidade.

Leão pensa em escalar o time pra cima. Leão pensa em vencer. Leão pensa em colocar gente para atacar antes de pensar em defender. Vide os problemas que o São Paulo vem tendo com a defesa...

O mais importante é que Leão mantém a essência do futebol e por mais que seja incômodo ver jogos abertos e emocionantes de times nossos, Leão está pensando em vencer sempre. E os números do São Paulo em 2012 comprovam isto.

Eu mesmo não concordo com algumas teimosias do Leão. Ele me incomoda em alguns pontos. Porém, ele que está ali no dia a dia, sabe e tem bem claro em mente o que quer e pensa para o time. E enquanto os demais treinam táticas mirabolantes e situações inovadoras, Leão treina fundamentos como passes, arremates, tabelas e toques.

Acho que não é o ideal para o São Paulo FC. Nós merecemos o top. Leão não é top.

Mas Leão é merecedor de aplausos e de comandar o São Paulo por sua dignidade e empenho. Leão está muito dedicado e muito confiante. Está passando um sentimento de firmeza que há tempos o São Paulo não possui. A arrogância de Leão, que passa por soberba e excessos de personalidade, neste momento estão contribuindo e muito para o Tricolor. Leão passa garra, energia, confiança, vibração e o espírito de sempre lutar, de buscar a vitória. Mexe com os atletas.

Ele, apesar de ultrapassado, mostra que no esporte, como na vida, tem mais chance de vencer quem procura a vitória. Nós, que tanto sofremos com o estilo Ricardo Gomes, com Muricy e com Adílson Baptista, agora vemos uma mudança grande com o novo treinador.

E quem pediu as mudanças? Nós, a direção, todo mundo. Então, sabíamos como era Leão, as dificuldades, as vantagens. Depois de algumas críticas, inclusive minhas, neste ano, ele mudou alguns conceitos em conversa com Juvenal Juvêncio. Espero que a fórmula continue dando certo como dera com Muricy no passado.

Quando as coisas não estão bem, ele parte pra cima. Não tem medo de perder. Tem sede de ganhar. E como isto é bom! Como é positivo este sentimento.

Enquanto pensarem em equilíbrio, pensemos em vitória. E que elas venham como estão vindo neste ano de 2012 em que entramos em campo sempre por baixo pela falta de taças que não estamos acostumados.

Patrocínio Lenovo. Só faltam detalhes de contrato, definições jurídicas para que o contrato de R$ 25 milhões anuais, mais R$ 2 milhões de assinatura com a Lenovo seja assinado até Março/2013 com possibilidade de renovação por mais 1 ano. Os valores em caso de taça no Paulista, na Copa do Brasil, Sul Americana e Brasileiro podem chegar até R$ 42 milhões em caso de que se vença tudo. Como é dificílimo que isto ocorra, temos que contar com o ovo que temos da galinha que é R$ 25 milhões mais os R$ 2 mi de assinatura. Bom negócio.

Parabéns Justus!

Relacionados