thumbnail Olá,

Goal.com internacional relembra grandes histórias do craque, que completa 50 anos

Olá mundo- Campeonato Mundial de Jovens- 1979

Cesar Menotti tomou a ousada decisão de deixar de fora um Maradona de 17 anos na Copa do Mundo de 1978; uma decisão que provou ser correta com a conquista do título mundial. O técnico, porém, não teve problemas para dar responsabilidade ao jovem meia do Argentinos Juniors no Campeonato Mundial de Jovens do ano seguinte. Junto com Ramon Diaz, Diego foi demais para qualquer adversário no Japão e a Argentina conquistou o troféu com 20 gols marcados e apenas dois sofridos. Maradona ganhou o prêmio de melhor jogador do torneio; ele mostrou seu grande potencial com brilho em seus dribles, passes, finalizações e na bola parada. Previsivelmente, Maradona e Diaz fizeram os gols da final.

Nada mal para um menino gordo - Quatro gols contra o Boca Juniors 11/9/1980

Em uma entrevista em 1980, o goleiro do Boca Juniors, Hugo Gatti, afirmou que Diego Maradona era um 'gordito', que jogava futebol muito bem. Maradona ainda estava no Argentinos Juniors, seu primeiro clube profissional, e não gostou muito da declaração. Ele jurou marcar quatro gols no próximo encontro entre os clubes. Lembre que o Argentinos Juniors, apesar da presença de Maradona, era um clube modesto, ainda mais em comparação ao gigante Boca. Diego cumpriu sua promessa, marcando de pênalti e em um toque de categoria. Ele também converteu duas cobranças de falta incríveis. Nada mal para um menino gordo.

Quartas de final da Copa do Mundo de 1986- Ato 1- A mão de Deus



O jogo mais famoso da carreira de Maradona. Jogado logo após o conflito entre os países pelas Ilhas Malvinas. Maradona decidiu o encontro com o equivalente no futebol para o Yin e Yang. Escuridão e luz; trapaça e genialidade. Dois dos gols mais memoráveis na história das Copas. No iníco do segundo tempo, Maradona tentou um passe para Jorge Valdano, mas encontrou o inglês Steven Hodge. O meio-campista britânico levantou a bola em direção ao próprio gol e causou a dividida no ar entre Diego e o goleiro Peter Shilton. Com um toque da mão esquerda, o capitão argentino encobriu o goleiro e mandou a bola para as redes. Com seus companheiros incertos do que fazer, Maradona os chamou para a comemoração influenciando o árbitro, Ali Bin Nasser, a validar o gol. Depois do jogo, o camisa 10 argentino afirmou que o gol foi marcado 'com um pouco de maradona e um pouco da mão de Deus'. O resto é história.


Quartas de final da Copa do Mundo de 1986- Ato 2- O gol do século



Se a Inglaterra pensava que estava na mera presença de um trapaçeiro depois do primeiro gol marcado, Maradona não deixou dúvidas de sua genialidade no segundo gol. Simplesmente, as palavras não conseguem descrever. É preciso assistir muitas e muitas vezes. O gol do século.

No topo do mundo- campeão da Copa de 1986



Maradona e a Argentina estavam extremamente confiantes; depois de derrotar a Inglaterra, veio a Bélgica nas semifinais. Mais uma vez, o capitão foi decisivo; marcou duas vezes e levou a equipe ao segundo título mundial em três torneios. A Argentina deixou a Alemanha empatar depois de abrir 2 a 0 na decisão, mas um passe perfeito de Maradona encontrou Burruchaga, que assegurou a vitória nos minutos finais. Maradona ganhou a Bola de Ouro, como melhor jogador, e a adoração de 30 milhões de argentinos.

Título italiano e da Coppa Italia de 1987- Maradona se torna uma lenda do Napoli

O Napoli liderou o campeonato da rodada sete até o final da temporada e chegou ao título no penúltimo jogo com um empate em 1 a 1, em casa contra a Fiorentina, o que resultou em dias de festa ininterrupta em Nápoles. Maradona foi o artilheiro da equipe com 10 gols. Ele foi decisivo nas famosas vitórias sobre o Milan e a Juventus, equipe que o Napoli bateu dentro e fora de casa. Foi o primeiro Scudetto do clube e o Napoli coroou a temporada com a Coppa Italia, batendo o Atalanta na final. Maradona se tornou Deus aos olhos do povo de Nápoles. Foi também uma vitória para o Sul da Itália sobre os mais abastados do Norte.

O problema foi referido por Maradona antes da semifinal entre Argentina e Itália, na Copa do Mundo de 90, disputada em Nápoles. O capitão da Argentina deu a entender que seria difícil que os napolitanos torcessem para a Itália considerando que as pessoas do Norte lhes olhavam com desdém por 364 dias do ano.

Vida é vida- semifinal da Copa Uefa 1989




Se você já foi ao estádio San Paolo em Nápoles e se perguntou por que os jogadores se aquecem ao som do hit da banda Opus, 'Life is Life', aqui está a sua resposta. É uma homenagem ao seu amado ex-capitão, que imortalizou a canção antes da semifinal da Copa UEFA, no Olympiastadion de Munique, em 1989. Maradona fez um show de malabarismos antes do jogo que mal pode ser classificado como um aquecimento. A bola estava sob seu comando, como em uma corda. Ele dançou, driblou, equilibrou a bola na cabeça e balançou os quadris. Ele não deu arrancadas ou se alongou, mas deu ao público um presente para acompanhar o jogo de futebol. Genialidade com o entusiasmo de um menino de colégio. O Napoli emptou o jogo em 2 a 2, o que veio após a vitória de 2 a 0 no San Paolo.

Napoli conquista o continente- campeão da Copa UEFA



O primeiro título italiano do Napoli lhe colocou na Copa da Europa, mas o sorteio lhe colocou em frente ao Real Madrid no primeiro jogo. Eles perderam, mas a segunda colocação na liga italiana de 1988 significou a vaga na Copa UEFA 1988-89. No caminho para a final, o Napoli despachou a Juventus de forma emocionante, recuperando-se da derrota de 2 a 0 no primeiro jogo com o 3 a 0 no San Paolo, em um dos melhores jogos de Diego pelo Napoli. Nas semis, Careca foi decisivo para bater o Bayern de Munique, antes que o Stuttgart fosse derrotado na decisão.

O controverso segundo Scudetto- 1990

Em 1990, a luta pelo Scudetto foi equilibrada e controversa. O Napoli liderou a maior parte da temporada até que o Milan lhe ultrapassou em fevereiro. O time rossonero parecia favorito a levar o título até que perdeu em Verona na penúltima rodada em circunstâncias altamente polêmicas; um jogo que Paolo Maldini afirma ter sido mais controverso que a partida entre Coreia do Sul e Itália na Copa de 2002. O Napoli venceu seus dois últimos jogos da temporada para bater o Milan por dois pontos. De novo, Maradona foi o homem chave, marcando 16 gols, e o Napoli teve um recorde quase perfeito em casa com 16 vitórias e um empate.

Um último momento de inspiração- Argentina bate o Brasil em 1990

Tirando o triunfo do Napoli na Serie A em 1990, a década seguinte não foi de sucesso para Diego. Ele piorou, saiu do Napoli em circunstâncias especiais para o Sevilla e foi apenas uma sombra do que havia sido nos anos 80. Sua decadência e uso de drogas e obesidade quase lhe custou a vida enquanto lutava para lidar com a falta do futebol. Com a seleção nacional, foi pego no anti-doping com uma substância proibida na Copa de 1994, terminando sua carreira internacional desta forma. Mas por um tempo, um curto período, durante a Copa de 1990, Maradona mostrou o que era. A equipe da Argentina que atuou defendendo seu título na Copa da Itália não era tão talentosa quanto a de 1986 e mais uma vez dependia de Maradona. Ele fez mágica na partida contra o Brasil, nas oitavas de final, com uma arrancada espetacular e o passe preciso para Caniggia decidir o jogo. A Argentina ainda bateria Iugoslávia e Itália até ser derrotada pela Alemanha na decisão.