thumbnail Olá,

Clube lança programa de escolas de futebol, que além de talentos, procura difundir a marca entre os jovens torcedores

“Busquem os talentos”, esse é o lema que o Real Club Espanyol de Barcelona utiliza em suas escolas de futebol, que chegaram ao Brasil há pouco mais de 2 meses e já é uma das maiores redes do país, com 19 unidades licenciadas e aproximadamente 2.000 alunos cadastrados, espalhados por 5 estados brasileiros.
 
Porém, mais do que apenas ter a intenção de descobrir novos craques, o projeto tem como objetivo conquistar mercado e difundir a marca do clube centenário, que até então era pouco lembrada, se comparada aos gigantes Barcelona e Real Madrid. 

A estruturação do projeto começou quando o clube se associou ao Programa Educação Esportiva +10, gerenciado pela Squadra Esportes, uma das mais conceituadas gestoras de programas esportivos do Brasil.
 
“Nosso programa já existe há mais de 10 anos e todos os detalhes foram pensados minuciosamente. Com a chegada do Espanyol, adaptamos a metodologia que é utilizada na Europa para que ambos se fortalecessem, baseado na nossa experiência no mercado nacional.”, explica o Coordenador Geral do Programa no Brasil, Carlos Alberto Stiebler.

Antes da associação com o clube espanhol o programa era vinculado a um grande time do Rio de Janeiro, o que fez com que muitos licenciados questionassem e até temessem a mudança. Porém, menos de 3 meses após a substituição, o coordenador afirma que a opinião de todos os envolvidos é de que a associação com os europeus foi muito benéfica para os licenciados da primeira escola de futebol de um clube europeu no Brasil.

“A verdade é que se temia que a troca para uma marca ainda pouco conhecida no Brasil representasse a perda de alunos. Porém a realidade foi exatamente ao contrário, pois deixamos de ter a rejeição. Hoje um aluno torcedor do Flamengo, por exemplo, dificilmente consegue convencer seu pai, também torcedor desse clube, a participar de um projeto vinculado ao Fluminense. Com uma bandeira europeia, deixamos de ter esse problema e o número de inscrições cresceu.”, lembrou o coordenador.
 
 Por falar em conquista de mercado, esse é um dos pontos que mais tiveram êxito nesses primeiros meses do programa. De acordo com o professor da unidade Ipanema (RJ), Alex Dardengo, os alunos tem a iniciativa de buscar notícias do clube e o desempenho do mesmo nas competições através da internet.
“Quase todos agora se interessam pelas informações do clube. Pela internet eles conseguem saber de tudo o que está se passando na Espanha e estão sempre conversando sobre as contratações e dispensas. Agora é comum ouvir elogios a jogadores como Sergio Garcia, Stuani ou Capdevila. Muitos deles já estão procurando produtos licenciados e comprando camisas oficiais. Acho que vamos começar a rivalizar com o Barça por aqui também.”, brincou o professor, lembrando da acirrada disputa que existe entre os clubes catalães.
 
 Recentemente o Presidente do Espanyol, Joan Collet (foto ao lado), esteve no Rio de Janeiro e chegou a conhecer algumas unidades, o que rendeu uma nota elogiando o programa no site oficial do clube, que é conhecido na Espanha pela tradição de revelar bons jogadores, como Jordi Amat e Raúl Rodríguez, e possuir uma das melhores estruturas para as categorias de base no país campeão mundial.

O diferencial do programa é que ele é dividido em três fases diferentes. A primeira é a escola de esporte, onde qualquer criança ou adolescente interessado em praticar futebol será bem vinda na atividade recreativa. A segunda é chamada de performance, onde cada unidade irá selecionar os que se destacarem e receberão as primeiras orientações táticas e técnicas para que possam participar de um torneio nacional de mesmo nome. A terceira fase, chamada de alto rendimento, será a porta de entrada para aqueles que tiverem interesse em seguir a carreira profissional e poderão ter a oportunidade de realizar testes no Espanyol, que enviará profissionais do corpo técnico para realizar avaliações e possíveis convites para esses destaques.

 O programa conta com uma escola modelo, localizada em Brasília, que será a sede do torneio performance e que disponibiliza uma estrutura de causar inveja a muitos clubes profissionais. Além dos diversos campos de treinamento, os alunos recebem orientações táticas em auditórios que após as aulas se transformam em salas de coletiva de imprensa. Durante essa atividade eles aprendem como se portar diante dos repórteres, que farão as mais variadas perguntas, como se fossem verdadeiros astros da bola. Esta unidade também disponibiliza alojamentos, preparados para receber jovens de outras regiões, que desejam ali permanecer em busca da preparação para as avaliações promovidas em conjunto com o clube europeu.

O projeto não se limita aos gramados. Além dos campos de futebol o programa também oferece unidades especializadas em futsal, beach soccer e futebol feminino, mas sempre valorizando a marca do clube, que foi adotado como o segundo time de muitos dos alunos. Vitor Abreu, que atua como goleiro, acha interessante a chegada do Espanyol no Brasil. Ele já adotou a equipe como seu segundo time e até passou a jogar vídeo game defendendo os Pericos.

 “Como defendo o clube, achei interessante utiliza-lo nas partidas de vídeo game. Já conheço a maioria dos jogadores e sempre que posso assisto as partidas na TV ou na internet. Também gostamos de comentar as notícias na fanpage do projeto no Facebook.”comentou Vitor.

A animação entre os alunos é tanta que eles já estão programando uma visita ao Centro de Treinamento do clube em outubro. Nesta ocasião eles pretendem passar um período como visitantes do CT, onde terão a oportunidade de conhecer ainda mais profundamente o Real Espanyol e o seu estádio, Cornella-El Prat, classificado como 4 estrelas pela UEFA e tido como um dos mais modernos da Espanha.

 É o Brasil ganhando destaque como um grande celeiro de craques, mas também como um potencial mercado consumidor para os grandes clubes do Velho Continente.

Relacionados