thumbnail Olá,

Rubro-Negro carioca não é o único a contestar recorde Messi; Federação de Zâmbia também entra na briga para defender 107 gols de Godfrey Chitalu

Lionel Messi e seus recordes não vem inspirando somente admiração pelo mundo. A aclamação mundial recebida pelo atacante por conta da marca de 86 gols alcançados no último domingo, contra o Bétis, batendo assim o recorde que o alemão Gerd Müller detinha desde 1972, quando marcou 85 vezes, não é compartilhada pela Federação de Zâmbia e pelo Flamengo.

O Rubro-Negro carioca alega que Zico é o verdadeiro detentor do recorde, e pretende ir à FIFA buscar reconhecimento para os números do Galinho. Segundo o coordenador de pesquisa do departamento de história do Flamengo, Bruno Lucena, existe documentação comprovando 89 gols de Zico no ano de 1979.

O único problema é que essa listagem inclui gols em amistosos, fato que a entidade máxima do futebol desconsidera para contagens oficias. Bruno argumenta, entretanto, que amistosos são válidos para quantificar invencibilidades - logo, o mesmo deveria valer para os gols.

"Eles não contabilizam os gols em amistosos, mas isso é errado. Se os amistosos valem para contabilizar um recorde nosso de partidas invictas, tem que valer também para os gols. Vamos justificar isso. Entre 1978 e 1979, ficamos mais de 50 jogos sem perder, e isso está lá no Museu do Futebol. Os gols do Zico nesta época também precisam ser contatos," defendeu o coordenador, em entrevista ao UOL.

Nas contas do Flamengo, o ídolo rubro-negro anotou 81 gols jogando pelo clube, sete pela Seleção e um em um amistoso.

Mas se depender da Federação de Futebol da Zambia, nem Messi, nem Zico serão os detentores oficiais do recorde. A entidade africana divulgou nesta quarta-feira que o atacante Godfrey Chitalu, do Kabwe Warriors, marcou impressionantes 107 gols em 1972, número que nem mesmo Messi parece poder alcançar ainda em 2012.

"Nós temos este recorde, que foi registrado no futebol da Zambia, mas infelizmente não foi registrado para o futebol mundial. O assunto aqui não tem sido a façanha de Messi, mas sim o motivo de os gols de Goldfrey não estarem sendo reconhecidos.

"Nós montamos uma comissão independente para vasculhar todos os arquivos e registrar todos estes gols. O time que nós organizamos irá calcular o número exato de gols, acrescentando jogo e campeonato em que foram marcados. Então enviaremos para a Confederação Africana de Futebol e para a FIFA para que possam ver que, enquanto estão falando do recorde de Messi e Müller, o verdadeiro recordista é um africano. É Godfrey Chitalu," disse um representante da federação.

O presidente da federação, Kalusha Bwalya, que teve Chitalu como ídolo quando esteve sob seu comando na seleção, disse não ter qualquer dúvida.

"É um fato que ele marcou 107 gols em um ano, é um fato bastante conhecido aqui. Me lembro de que ele recebeu uma homenagem na França por este feito, houve uma cerimônia," disse Bwalya a Goal.com britânica.

No centro das contestações, Lionel Messi parece não se importar nada com as polêmicas sendo levantadas no Brasil e na África. Ele, inclusive, já chegou aos 88 gols na temporada, tendo somado mais dois para a sua marca contra o Córdoba pela Copa do Rei da Espanha.

Relacionados