thumbnail Olá,

Hulk, que trocou o FC Porto pelo Zenit, afirmou que os problemas com os companheiros de equipe e com o treinador acabaram

Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, Hulk, que trocou o FC Porto pelo Zenit, afirmou que os problemas com os companheiros de equipe e com o treinador acabaram e que nunca se sentiu discriminado por parte dos torcedores, que recentemente se manifestaram contra a contratação de jogadores negros e homossexuais.

"Esses jogadores nunca falaram comigo. Conversaram entre eles e a direção do clube não gostou que o assunto se tornasse público. Mas isso já passou. Hoje, temos uma boa relação", atesta Hulk sobre o caso que marcou a sua chegada a São Petersburgo, com alguns dos jogadores mais influentes a protestarem o elevado salário do brasileiro.

O desentendimento com Luciano Spalletti, depois de ser substituído em vários jogos consecutivos, também foi superado pelo jogador.

"Foi uma exigência normal. Estava de cabeça quente por causa das substituições, entre outros motivos. O treinador é uma excelente pessoa e foi um dos principais responsáveis pela minha contratação. Também está tudo resolvido".

Hulk considera que o ambiente no Zenit prejudicou a prestação da equipa na Liga dos Campeões.

"Faltou entrosamento. O ambiente ficou um pouco conturbado porque não fui recebido como deveria. Isso prejudicou bastante. Se todas as partidas fossem como a última (vitória sobre o Milan), teríamos conseguido o apuramento para os oitavos de final. Planos para 2013? Quero fazer história no Zenit. Quero estar bem física e mentalmente para aproveitar as oportunidades e ficar perto da seleção".

Relacionados