thumbnail Olá,

Técnico não quis adiantar a escalação, mas afirmou que deve manter trabalho de Mano Menezes

Antes de seu primeiro treinamento à frente da Seleção Brasileira em Londres, Felipão deu entrevista aos repórteres e falou sobre o time que pretende escalar para enfrentar a Inglaterra no jogo que marca seu retorno ao comando técnico do Brasil.

Pelo pouco tempo de preparação e por se tratar apenas do primeiro contato to técnico com esse novo grupo de jogadores, Scolari admitiu que terá pouca possibiliade de mudanças, e as atividades devem ser concentradas em trabalhos táticos de de bola parada. Felipão também fez um apelo à torcida brasileira, que já vinha demonstrando hostilidade para com o antigo técnico, Mano Menezes: paciência.

"Ontem [segunda-feira], fizemos a primeira reunião e nos apresentamos aos atletas em um excelente ambiente. Ficamos maravilhados com o que vimos. Hoje, vamos fazer um trabalho tático e  um pouco de bola parada, mas em março teremos sete ou dez dias juntos. Depois mais um amistoso e todo o trabalho para que chegemos à Copa das Confederações já bem decididos para o que imaginamos para o Mundial," afirmou o treinador.

O técnico também não quis adiantar qual será a escalação do time.

"Eu tenho uma ideia, mas vou começar com um trabalho tático porque alguns jogadores jogaram só uma partida até agora [em 2013]. Esse é um jogo muito forte contra uma seleção em pleno rigor físico. Temos seis substituições e provavelmente vamos fazê-las. Não posso garantir quem vai jogar. Tenho uma ideia, mas posso mudar na medida que o treino se desenvolver e quando soubermos como a Inglaterra vai jogar," explicou.

Felipão afirmou que, pelo pouco tempo, a equipe, pelo menos à princípio, deve mudar poucas coisa em relação à de Mano Menezes, e pediu tempo aos brasileiros.

"Acho que 60% dos jogadores que estão aí vinham sendo convocados. É justo que os brasileiros tenham paciência. Mas não é preciso mutio, não. Para iniciar o jogo, poderemos ter 80% daquele grupo que vinha jogando. De certa forma, é o meu prisma de ver como deve jogar a Seleção. Mas é uma continuidade do que vinha sendo feito. Eu quero e gostaria de receber críticas pela forma de jogar baseado também em tudo que já vinha acontecendo antes," encerrou.

Relacionados