thumbnail Olá,

Treinador afirma que vaias não o abalam para a sequência na Seleção Brasileira

Em entrevista ao Globoesporte.com, o técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes, afirma que as vaias, a "sombra" de Felipão e os gritos de "burro" não o prejudicam para a continuação do trabalho que visa à Copa do Mundo de 2014.

"É uma situação obviamente desconfortável. Mas é preciso conviver. Técnico que nunca foi chamado de burro não é técnico de futebol. É técnico de outra coisa", disse.

Mano confessa que nunca pensou em ser técnico e compara ser treinador de clube e seleção.

"É obvio que você não pensa. A gente não fala, mas ninguém tem sonho de ser técnico de futebol. Tem de ser jogador ou atleta de qualquer outra modalidade. Ninguém começa a vida pensando ser treinador de futebol, depois chegar à Seleção e ser campeão do mundo. Objetivamente não temos esses sonhos. Mas quando você começa um trabalho que vai culminar numa Copa, especialmente em nosso país, é óbvio que pensa terminar campeão do mundo.

"A intimidade com o jogador no clube é muito maior. O tempo de convivência e a proximidade te permitem ir além em determinadas situações, porque a aceitação daquilo será melhor e no dia seguinte você está na relação para consertar o que houve de errado. Na Seleção, por outro lado, você faz uma partida ou duas na sequência e depois vai se encontrar novamente dali 60, 90 dias. Nesse período sem convivência não é possível corrigir atritos. A atuação é diferente", completou o técnico da Seleção Brasileira.

O Brasil enfrenta o Japão nesta terça com cobertura em tempo real do Goal.com.

Relacionados