thumbnail Olá,

Documento, que também será distribuído para as direções dos clubes de futebol e federações estaduais, já tem quase 54 mil assinaturas pedindo a saída de Marin da CBF

A luta de Romário contra José Maria Marin não cessa. Na próxima segunda-feira, o deputado federal e presidente da Comissão de Turismo e Desporto irá, ao lado de Ivo Herzog - filho do jornalista Vladimir Herzog, assassinado durante a ditadura militar - entregar na CBF uma petição com mais de 50 mil assinaturas pedindo a saída de Marin do comando da Confederação Brasileira de Futebol.

Já são quase 54 mil assinaturas na petição online, que, entre outras coisas, pede que Marín seja investigado pela sua ligação com crimes políticos durante a ditadura.

Cópias do documento também deverão ser entregues aos 20 principais clubes do Brasil e a todas as federações estaduais. Chico Buarque de Hollanda e Fernando Gabeira são algumas das figuras públicas que fizeram questão de assinar a petição.

O ato, marcado para 15h de segunda, será no dia em que o golpe que instaurou a ditadura militar no Brasil, em 1964, completa 49 anos. Vladimir Herzog foi preso, torturado e morto em 1975, em São Paulo, depois de Marin, na época deputado, fazer um discurso público contra o jornalista.