thumbnail Olá,

Dirigente vascaíno afirmou que o jogador quebrou a hierarquia com declarações

O diretor executivo do Vasco, René Simões, respondeu a carta que lhe foi enviada por torcedores cruzmaltinos sobre Felipe. O dirigente disse que houve uma quebra de hierarquia do jogador e que o atleta não deveria ter tratamento diferenciado por ser ídolo.

"Dentro de uma empresa, todo funcionário que quebra as regras e ética em seu comportamento tem que ser disciplinado. Por mais talentoso em sua profissão que ele seja, é preciso considerar as consequências desse comportamento contínuo dentro de um grupo – como a quebra da hierarquia, disciplina e harmonia entre todos os membros", disse René em carta.

"Um ídolo, craque dentro de campo durante os jogos, não pode se eximir de suas responsabilidades. Toda empresa é assim. Por que abrirmos exceção no futebol?", acrescentou no documento.

"Fui ao dicionário buscar o significado da palavra ídolo e encontrei algumas, mas em nenhuma delas está escrito – “Ídolo: pessoa ou indivíduo dotado de grande talento, admirado por muitos, que por sua capacidade de realizar algo próximo da perfeição possui direitos especiais e deveres diferenciados ou reduzidos", ressaltou.

O diretor também afirmou que a situação vascaína não é das melhores, mas longe de não se ter uma solução.

"A situação do Vasco está longe de ser a ideal no momento, mas também longe de ser insolúvel. Mesmo assim muitos de seus ídolos já foram buscar seus direitos na Justiça. Mesmo tendo ido à Justiça continuaram sendo ídolos".

"Alguns jogadores já tiveram seus salários reajustados em plena vigência de seus contratos, ou teriam saído para outros clubes. Certos ou errados, não deixaram de ser ídolos", disse René.


Fonte: Terra

Relacionados