thumbnail Olá,

Clube de maior torcida do país abre hoje as portas para a escolha do novo presidente para o triênio 2013/2015. Três chapas disputam o cargo.

Por Luiz Alberto Moura - Editor Chefe Goal.com Brasil

Nenhuma das 38 partidas que o Flamengo disputou no recém encerrado Campeonato Brasileiro foi tão importante quanto a que começou hoje às 8h, no Ginásio Hélio Maurício, na Gávea. Todos os rubro negros sabiam que o time que começou comandando por Joel Santana, e depois salvo da degola por Dorival Júnior, não ia a lugares mais altos na tabela do que o fraco 11º lugar, longe das tradições do clube.

Logo, as eleições que terminam às 19h de hoje são o passo mais importante que o Flamengo terá dado nos últimos anos. Espera-se que pouco mais de três mil sócios compareçam para votar. E, se os sócios com direito a voto (um dos atrasos que precisa ser corrigido), ouvirem os apelos da maior torcida do país, terminarão com três longos e dolorosos anos de administração Patrícia Amorim.

A Chapa Azul, encabeçada por Eduardo Bandeira de Mello surge como a opção mais profissional dentre as apresentadas. Sem loucuras pelo visto como anunciar vindas desse ou daquele jogador, com a de Jorge Rodrigues, a chapa promete modernizar de uma vez o arcaico sistema de gestão do clube.



O que não é mais permitido pensar é num mandato que repita as fracassadas ações da atual presidente que recebeu um time campeão brasileiro (carregado nas costas, é bem verdade, por Petkovic e Adriano), disputou duas Libertadores e conseguiu somente acumular vexames. Apenas um título estadual. Isso porque nem estamos falando da atuação no caso Ronaldinho, jogador que acaba de entrar na seleção do campeonato brasileiro pelo Atlético MG.

O mesmo Ronaldinho que acumulava problemas fora de campo e péssimas atuações dentro dele. Para ser mais irônico, o destino ainda resolveu colocar outro ex-jogador do Flamengo, Thiago Neves, como um dos destaques do campeão Fluminense. Jogador que foi para o rival após uma sucessão de trapalhadas no início do ano. Além de Vanderley Luxemburgo, demitido por pressão de Ronaldinho, e que terminou o campeonato em terceiro lugar, classificado para a Libertadores.



Sem contar as diversas contratações equivocadas, as dívidas cada vez maiores (o Avaí chegou a notificar a CBF por falta de pagamento por Cléber Santana e Renato Santos) e o absurdo feito com Zico, o maior ídolo do clube, que agora apoia a Chapa Azul.

Não parece pouco para chegarmos a uma conclusão. Anunciar as - muito questionáveis - melhorias na sede social é sim pouco para a grandeza da instituição. Os 40 milhões de torcedores merecem mais que um parquinho bem arrumado.    

Relacionados