thumbnail Olá,

Peruano fica feliz com rápido entrosamento na equipe e lembra confronto passado com o Chelsea: "é a revanche"

Apesar de ter chegado com a condição de grande reforço para a disputa do Mundial de Clubes, em dezembro, o atacante Paolo Guerrero ainda busca seu espaço no Corinthians. Mesmo sem cobrar diretamente um lugar entre os titulares, ele avisa que espera chegar a esta condição em breve.

"Vim aqui para jogar. Não vim aqui para ficar sentado. Se não pensar isso, não pode jogar futebol. Vim aqui para ser titular. Estou fazendo meu trabalho. Último treinador é quem vai decidir", afirmou o jogador, conforme publicado no UOL.

Vindo do Hamburgo após quase dez anos no futebol alemão, o peruano ficou surpreso com a rápida adaptação ao estilo de jogo promovido por Tite, também focado na marcação sob pressão de todos os atletas. Além disso, ele vem sendo beneficiado pelo fato de atuar como jogador de referência.

"O processo de entrosamento no Corinthians foi muito bom, muito rápido. Muitos anos joguei na Europa de nove, como único centroavante. Já conheço essa posição", comentou

"Estou acostumado a fazer o trabalho. Os 11 jogadores têm que trabalhar defensivamente. Na Alemanha, se trabalha defensivamente. Na Espanha e Itália, não trabalham tanto. Temos que trabalhar fisicamente com as condições que jogam os times modernos. Tem que correr, marcar e jogar futebol."

Guerrero tem na memória o fato de já ter enfrentado o Chelsea, possível adversário em uma final no Japão, quando ainda atuava pelo Bayern de Munique. Na ocasião, os Blues acabaram eliminando os bávaros na fase quartas-de-final pelo placar agregado de 6 a 5.

"Não valeu de nada porque perdemos em Londres: 4 a 2. Ganhamos em Munique 3 a 2. Faltou um gol. Joguei contra vários jogadores desse time. É a revanche", alertou, em tom de encerramento.

Aprimorando a preparação para o grande compromisso do segundo semestre, o Corinthians encara o Inter no Beira-Rio neste domingo, às 19h30m, pela 36ª rodada do Brasileirão.

Relacionados