thumbnail Olá,

Treinador vê com bons olhos enpenho do atacante em ser um líder dentro de campo

Mais do que os gols, o técnico Vagner Mancini destaca algumas características que fazem de Wellington Paulista uma peça importante para o time cruzeirense. O atacante fez todos os quatro gols da equipe em 2012 (nos amistosos contra América-MG e Mamoré). Porém, o treinador explicou que Paulista vem se empenhando muito para se tornar uma referência no time.

“O Wellington é um cara que, desde que eu cheguei, ele vem melhorando jogo a jogo. Tinha algumas coisas que a gente, lá atrás, falava com ele, sobre a forma dele jogar, o posicionamento em campo, algumas coisas que ele às vezes exagerava, na busca de faltas. E hoje, felizmente, a gente vê que ele evoluiu bastante, vem fazendo gols. É um início de ano ainda, muita coisa pode ser mostrada ao longo da competição. Mas eu estou seguro que o Wellington vai ajudar bastante”, disse Vágner Mancini.

Mancini comentou algumas das características que têm feito Wellington Paulista ser um jogador ainda mais útil ao time, além, é claro, do bom aproveitamento nas finalizações.

“Ele tem uma liderança boa, é um cara que, dentro de campo, se preocupa muito com a parte tática, e eu vou citar um exemplo: no jogo de sábado, a partir do instante em que o Diego Renan saiu de campo, ele (Wellington) automaticamente já veio cobrir a função de alguém. Se não me falhe a memória, do Amaral, para que o Amaral fosse deslocado. Então, ele (Wellington) tem a atitude. E isso é óbvio que me agrada, porque não dá para você ficar de fora do campo vendo, muitas vezes, o atleta desconectado. Ele tem que estar ligado naquilo que está acontecendo, não só na parte técnica, mas na parte tática também”.

Além do excelente aproveitamento nas cobranças de pênalti (Paulista converteu as três penalidades que bateu nos amistosos), Vagner Mancini diz que o importante é o Cruzeiro estar bem preparado para os pênaltis, mas também buscar outras jogadas, para que possa não ser um time marcado por um determinado tipo de lance, e que surpreenda sempre os adversários.

“Eu acho que esse é o nosso desafio, fazer com que esses atletas possam fazer o máximo dentro de campo. Tivemos muitas dificuldades com isso no final do ano. E, de repente, o futebol é muito imprevisível nesse sentido, ele já te dar no começo do ano a chance de mostrar que muita coisa pode ser modificada. O Wellington tem sido muito feliz nas cobranças. Espero que se mantenha assim. E que a gente também saiba explorar outras coisas, para que a gente não fique marcado por uma jogada ou outra. A nossa equipe tem que ter um leque de opções que favoreça e dê chances de poder vencer as partidas”.

Fonte: Site Oficial do Cruzeiro

Relacionados