thumbnail Olá,

Para o polonês, atacante é o único responsável pela sua carreira, apesar do acirramento dos ânimos que uma transferência poderia ocasionar

A transferência de Mario Gotze para o Bayern de Munique gerou muitas reações por parte de pessoas ligadas ao Borussia Dortmund, especialmente torcedores, e coloca uma interrogação sobre o que aconteceria se o atante Robert Lewandowski tomasse o mesmo destino, como tem sido anunciado. Na visão do meia Jakub Blaszczykowski, o atleta deve ser respeitado em sua decisão profissional, mesmo com todo o significado que o ato pode ter em função da rivalidade entre os dois clubes.

"Sim, eu o perdoaria se ele fosse para o Bayern, mas essa é uma decisão que só ele pode tomar", disse o polonês ao Bild. "Cada um é responsável por sua própria carreira, e é por isso que não discordo das decisões que os outros tomam."

Kuba também rechaçou os boatos de que o clima entre ele e Lewandowski estaria ruim, após ter sido destituído da função de capitão da seleção polonesa em favor de seu compatriota.

"Pensar que existe algum problema entre eu e Robert é uma piada. O fato de ele estar com a braçadeira é normal, ok? Senti a mudança, mas Robert é o segundo jogador com mais partidas [pela Polônia] depois de mim."

O incidente entre Blaszczykowski e o lateral Rafinha, no encontro entre Bayern e Dortmund pela Bundesliga na última semana, não passa mais na cabeça do meia polonês dos Amarelos.

"Honestamente, não estou interessado. Para mim essa história acabou. Estou com 27 anos, e nunca estive mais tranquilo em toda a minha vida."

"Não foi fácil, mas eu consegui. Ele me ligou mais tarde [pedindo desculpas], não esperava por isso. É só futebol, você precisa aceitar isso", concluiu.