thumbnail Olá,

Meia-atacante do Chelsea foi expulso depois de agredir um gândula do Swansea

O presidente da Associação de Jogadores Profissionais da Inglaterra (PFA), Gordon Taylor, classificou o ato de Eden Hazard, do Chelsea, como 'não profissional' e 'inaceitável' depois do chute desferido contra o gândula do Swansea.

A Federação Inglesa (FA) está revendo as filmagens do incidente que terminou com a expulsão de Hazard depois dele tentar retirar a bola do garoto de 17 anos e acabar acertando as costelas dele com um chute.

Hazard não terá de enfrentar um processo criminal, já que o gândula, Charlie Morgan, e seu pai, o diretor do Swansea, Martin Morgan, decidiram não prestar queixa contra o belga de 32 milhões de libras - mas Taylor condenou a ação do jogador.

"Não se pode colocar um garoto em risco, não interessa se ele está segurando a bola. O árbitro agiu corretamente. Tem um procedimento a ser seguido: ele foi expulso e agora terá que pagar os três jogos de suspensão. Essa é a mensagem a ser passada. É inaceitável, não pode acontecer. Não é profissional, não se pode querer resolver as coisas com as próprias mãos," disse Taylor ao canal Sky Sports.

O presidente da Football League, Greg Clarke, também criticou o meia-atacante do Chelsea, mas acha que Charlie Morgan e o Swansea também devem responder à críticas.

"Acho que os dois lados tem que parar para refletir. Não existe desculpa para refir com violência a nada, não queremos ver jogadores supostamente agredindo um gândula, mas queremos ver a bola voltando à jogo no tempo certo. Teremos que olhar para ambos os lados e tenho certeza de que a FA fará isso com calma e profissionalmente. Se a bola tivesse sido devolvida, essa situação provavelmente não teria acontecido, mas não é certo os jogadores decidirem resolver essas coisas com as próprias mãos," disse Clarke.

Hazard e Morgan pediram desculpas um ao outro no vestiário do Chelsea depois da partida, e o jogador ainda divulgou um pedido de desculpas público através do site oficial do clube.

Relacionados