thumbnail Olá,

O ex-jogador culé considera que está se vivendo uma 'era de ouro' no clube que dificilmente se repetirá, porém também já se projetam as novas gerações blaugranas

"Estamos vivendo uma 'era dourada' e magnífica", afirmou o diretor de futebol da base do Barcelona, Guilhermo Amor, em entrevista a 'UnoTv', do México. O ex-jogador ingressado nas categorias de base culés recordou momentos em que vivia junto a outras companheiros naquilo que denominou "uma residência magnífica", que o marcou muito no passado.

O Barcelona ganhou muito e, sobre tudo nos últimos anos, onde ganhou quase tudo, a fome de seguir ganhando tem sido motivo de discussão, e parece que tem origem em 'La Masia'. Amor explica: "O que se tenta colocar na cabeça deles é saber ganhar e saber perder, e querer ganhar. Incentivar uma mentalidade vencedora nos pequenos, porém temo que ter esse 'plus' sempre abaixo de nossa filosofia, e isso vem sendo feito e no momento muitos jogadores da equipe principal saíram da base, entre eles os melhores do Mundo, como Messi. Devemos seguir mantendo essa mentalidade, nunca podemos perder esse desejo de ganhar, temos que manter o clube no topo, porém sempre fazendo isso com humildade e valores, sabendo o que custa ser vencedor', afirmou.

Primeiro a base, depois o mercado

"Agora é certo que nestes últimos anos aumentaram muito o número de jogadores que estão na equipe principal e vemos que os que saem desde baixo estão muito bem e muitos tem possibilidades de continuar na equipe principal. Quando se precisa de um jogador para a primeira equipe, primeiro olhamos os que temos aqui, tentando olhar sempre para as nossas categorias inferiores".

Alguns jogadores como Piqué, Fábregas e Alba surgiram em 'La Masia', saíram do clube para outras equipes e agora retornaram. É um erro? "As vezes na vida precisamos tomar decisões, as vezes decisões pessoais, não é que o clube não os quisessem mais ou eles quiseram sair. Muitos buscam possibilidades de jogar mais no profissional. Cada vez que sobem jogadores da base é uma vitória. Se analisarmos, tivemos mais êxito do que derrotas, os que chegam a primeira equipe são muito poucos, o que acontece é que quando acertamos em algum que se destaca muito aparece mais, porém todos sabem que é difícil chegar ao profissional", afirmou.

O 11 histórico de 'La Masia'

O Barça de Tito Vilanova contou com 11 jogadores vindos de 'La Masia', um feito histórico com que Louis Van Gaal smrep sonhou: "Tiveram partidas em que jogaram 11, e esperando no banco tinha outros e no Barça B outros. Condições e talento para jogar eles tem, porém não é o objetivo. O Barcelona deve ter uma boa equipe e sabemos que podemos contar com grandes talentos, mas esse não o objetivo da equipe principal".

Porém além de criar jogadores estrelares, também se formam grandes treinadores: "Temos treinadores que confiam muito nos jovens, Van Gaal, confiava muito nas categorias de base, Cruyff, Pep, Rijkaar, com Tito está ocorrendo o mesmo. Sabemos que o que temos é muito bom e muitos deles demonstram que podem estar na primeira equipe. Os técnicos da equipe principal foram de 'La Masia', como Altimira e muitos outros, Eusebio, treinadores que podíamos tem mantido na base. Se trabalha também para que os treinadores tenham sua oportunidade de chegar a equipe principal ou ao Barça B. Precisamos demonstrar continuamente que trabalhamos para o bem do clube".

Só fazemos nosso trabalho

"Sentimos as cores, é dedicação, compromisso, implicação, respeito ao nosso clube e aos demais, reconhecer que existem outros que estão fazendo bem, inclusive na base, nunca podemos pensar que somos melhores que ninguém. Nós fazemos nosso trabalho, bem para alguns, mal para outros. Temos que manter nossa filosofia".

Messi tem sorte de ter o Barça e o Barça de tê-lo encontrado

O atacante argentino é um dos maiores orgulhos da base culé, o jogador vai renovar seu contrato com o Barcelona até 2018 na próxima quinta-feira: "Messi da muito ao Barça e o Barça dá muito ao Messi, é uma relação perfeita. Ele chegou muito pequeno, com 13 anos, e desde lá faz o mesmo, demonstrava interesse, era um espetáculo vê-lo jogar. A dúvida era se faria o mesmo no Camp Nou, e assim tem sido. Quatro Bolas de Ouro, o melhor do mundo, está batendo todos os recordes existentes, ele está feliz no Barcelona, e tudo que conquistou o fez por merecer e acredito que estar aqui lhe faz muito bem".

As futuras gerações

Algum dia jogadores como Xavi e Puyol já não estarão mais na equipe, o que o clube espera? "Não pensamos que porque estão fortes que vão durar muitos anos. Xavi acabou de renovar, Puyol também, a equipe de Cesc, Piqué, Busquets, são jovens, porém a equipe segue trabalhando para muitos outros jogadores subam da segunda para a primeira equipe".

"Melhorar o que temos agora é muito difícil, o grupo de jogadores é muito bom, foram campeões do mundo, da Europa, isso nunca tinha acontecido, não é fácil montar um grupo tão talentoso Porém além disso, no sentido humano também são muito bons. Manter esse ambiente no vestiário é muito bom".

Relacionados