thumbnail Olá,

Nossa lista termina com o brilhante argentino, cujos 53 gols e 24 assistências lideraram o Barça em mais uma campanha fantástica em 2010-11

Na quarta-feira à noite, Lionel Messi produziu uma das atuações individuais mais incríveis em um campo de futebol na recente memória. Dois gols fantásticos e uma brilhante assistência fez com que um clássico cativante fosse decidido a favor do Barcelona. E mesmo assim, depois do jogo, ninguém falava sobre o atacante argentino.

Haviam outros pontos de discussão, é claro. Havia a falta de Marcelo em Fabregas, a atitude de José Mourinho, cutucando o olho do auxiliar do Barcelona, o tapa de David Villa em Mesut Özil e mais outros incidentes de dois times nervosos. Mesmo assim, o brilho de Messi havia sido a diferença entre um grande time do Real e um time do Barça lutando para se manter competitivo diante do rival. Depois de marcar um gol vital no primeiro jogo no Bernabeu, Leo venceu o jogo da volta quase sozinho. Foi uma performance digna de todos os elogios.

Simplesmente, porém, não há nada mais a dizer sobre a magia de Messi. Como Pep Guardiola já opinou: "Nós estamos ficando sem palavras para descrever Messi". De fato, performances decisivas se tornaram a norma quando se fala desde excepcional jovem; não há somente uma esperança de que elas aconteçam, é uma certeza.

"Não há palavras para descrever Messi. Você tem que vê-lo- não é algo que você pode descrever porque tem que ver para acreditar".

- Técnico do Barcelona, Pep Guardiola

O público no Camp Nou se acostumou a estrelas especiais. Diego Maradona, Johan Cruyff, Ronaldo, Rivaldo e Romário passaram pelo gramado do estádio. Mas nenhum foi tão brilhante de forma tão consistente quanto Messi.

A nova temporada recém começou e Leo já tem três gols em dois jogos, tendo apenas retornado de suas férias- e uma decepcionante campanha na Copa América com a Argentina- antes do primeiro jogo da Supercopa contra o Real. Na temporada passada, ele fez 53 gols em 55 jogos, junto com incríveis 24 assistências no caminho.

MOMENTO DA TEMPORADA

 CHAMPIONS LEAGUE SEMIFINAL
REAL MADRID 0-2 BARCELONA
Assim como fez na Supercopa da Espanha na semana passada, Messi foi a diferença entre o Barça e o Real, decidindo o confronto com dois gols no Bernabeu, indluindo um incrível segundo no qual bateu quatro defensores do Real antes de bater Casillas.
Messi ficou de fora do início da campanha em 2010-11, na derrota de 3 a 1 para o Sevilla no primeiro jogo da Supercopa, tendo servido a seleção argentina na ocaisão. De volta para o jogo no Camp Nou, o argentino destruiu o adversário com um hat-trick para assegurar que o Barça iniciasse a temporada como vem se acostumando ultimamente- levantando troféus.

Leo então precisou de apenas três minutos para deixar sua marca em La Liga, marcando o primeiro gol de sua equipe na campanha na vitória de 3 a 0 sobre o Racing Santander. Seja na Supercopa, Liga, Copa do Rei ou Champions League, Messi deixou sua marca. Dois gols contra o Panathinaikos foram acompanhados por duas assistências e o argentino quase fez o hat-trick, acertando a trave em duas ocasiões. O hat-trick viria na goleada de 5 a 0 sobre o Betis pela Copa do Rei, enquanto outro veio no histórico 8 a 0 sobre o Almería.

Esses gols fizeram parte de uma sequência incrível de Messi, na qual marcou em nove jogos consecutivos. Ele não chegou ao décimo, mas não se importou, já que nele a equipe goleou o Real Madrid por 5 a 0. Naquele jogo, Messi demostrou o quão completo ele se tornou. Ele não marcou gols nem deu arrancadas espetaculares, mas conseguiu duas grandes assistências para Villa e mostrou sua habilidade para os passes, ajudando a dar a Mourinho seu pior resultado como treinador.


Os gols continuaram a aparecer depois disso, com mais dois contra o Osasuna e dois contra o Real Sociedad, terminando um 2010 sensacional com a Bola de Ouro da Fifa.

Mas ele seria ainda mais decisivo em 2011.

Quando o Barça precisava de inspiração, lá estava Messi. Dois gols, incluindo um deles de forma sensacional para abrir o placar, fizeram com que o clube se recuperasse da derrota por 2 a 1 no primeiro jogo contra o Arsenal, nas oitavas de final da Champions League. Um hat-trick contra o Atlético de Madri selou a 16ª vitória consecutiva da equipe, quebrando um recorde do brilhante Real dos anos 60, de Di Stefano. Ele também marcou o único gol do jogo em uma vitória decisiva contra o Valencia, ultrapassando sua antiga marca de 47 gols- que fez com que empatasse com Cristiano na temporada anterior- com mais um gol vindo nas quartas de final da Champions League, diante do Shakhtar Donetsk.

O melhor, porém, estava por vir. Depois da decepção de perder a final da Copa do Rei para o Real, Messi logo apagou a dor com dois gols- incluindo um segundo incrível- na vitória do time de Guardiola por 2 a 0 em pleno Bernabeu, no primeiro jogo da semifinal da Champions League, o que praticamente selou a passagem do clube para final da competição, contra o Manchester United, em Wembley.

"Enquanto Ronaldo é às vezes egoísta, Leo mostra capacidade de decisão impecável; ele sabe quando chutar, quando passar e mesmo quando correr, conservando suas energias para rápidas e intuitivas arrancadas. Os resultados são frequentemente devastadores".

Pela segunda vez em três anos, Barça e United se enfrentaram na final. E Messi, que fez um belo gol de cabeça na vitória de 2009, venceu Edwin van der Sar desta vez com uma bomba de pé esquerdo que não deu tempo ao holandês para reagir. Acabou sendo o gol da vtória e foi um final perfeito para uma temporada de conto de fadas para o jogador.

Seus 53 gols fizeram com que ficasse empatado com Cristiano Ronaldo na campanha, mas enquanto os dois jogadores foram elogiados por sua grande forma, Messi sem dúvida foi mais decisivo. O total de assistências do argentino também mostra que ele fez mais do que o português. Enquanto Ronaldo é às vezes egoísta, a capacidade de decisão de Messi é impecável; ele sabe quando chutar, quando passar e até mesmoquando correr, conservando suas energias para rápidas e intuitivas arrancadas.
Os resultados são frequentemente devastadores. Lionel Andrés Messi é o melhor jogador no melhor time do mundo, ainda o melhor jogador do planeta e a escolha de Goal.com como o grande jogador dos últimos 12 meses.

Com poucos adjetivos restantes para descrever seu talento, talvez o título da música de Tina Turner que é colocada nos alto-falantes do Camp Nou antes dos jogos é o que precisamos. O justo vencedor do Goal.com 50, Lionel Messi, é simplesmente o melhor (Simply the Best).

Relacionados