thumbnail Olá,

Nossa lista definitiva dos melhores jogadores de 2010-11 continua com o magnífico meia espanhol, que ajudou o Barcelona a conquistar mais glórias

Bem vindo ao Goal.com 50! Nessa série especial, editores de Goal.com ao redor do mundo votam para escolher os 50 melhores jogadores de 2010-11. Nós mostramos a lista até o anúncio do vencedor, no dia 22 de agosto, com perfis de cada um que ficou entre os 50 melhores...

A última temporada representou um mundo diferente para Andrés Iniesta. Por muito tempo como o companheiro subvalorizado de Xavi, seu gol na final da Copa do Mundo lhe deu uma notoriedade internacional que ainda não havia recebido.

Um chute na prorrogação no Soccer City fez com que todos passassem a falar no 'Cavaleiro Pálido', com analistas apontando o meio-campistas como um dos jogadores da elite do futebol. Era um fato que torcedores do Barcelona já sabiam há algum tempo e, apesar da atenção extra, em 2010-11 ele teve uma das campanhas mais consistentes desde que chegou ao time principal, há quase uma década.

"Ele é o jogador completo. Ele pode atacar e defender, criar e marcar gols".

- Técnico da Espanha, Vicente del Bosque

Nove gols em 50 jogos em todas as competições igualaram sua melhor marca e ele esteve notavelmente em forma e sem lesões, quase nunca ficando de fora de partidas por causa de problemas físicos. Com o compatriota Xavi também em forma, a dupla parecia elevar o Barça a alturas que até mesmo essa equipe extraordinária do jogo moderno não havia alcançado.

Talvez o melhor exemplo da telepatia entre os dois veio na partida de outubro contra o Valencia. Perdendo por 1 a 0 no intervalo, o Barça voltou para o segundo tempo animado e uma tabela espetacular entre a dupla permitiu a Iniesta completar para o gol e ajudar na virada.
MOMENTO DA TEMPORADA

 LA LIGA
ESPANYOL 1-5 BARCELONA
Depois de seu emocionante tributo a Daniel Jarque na final da Copa do Mundo, Iniesta recebeu uma calorosa recepção dos torcedores do Espanyol quando as equipes se enfrentaram no dérbi catalão.
A temporada foi de muitas emoções; depois de passar uma mensagem linda ao ex-capitão do Espanyol, Dani Jarque, que havia falecido em 2009, os torcedores dos rivais catalães lhe deram uma recepção calorosa quando o Barça visitou o Cornella-El Part, em dezembro. Lembrando seu emocional tributo na Copa do Mundo, o público mostrou respeito ao modo como, no momento que provavelmente definirá a sua carreira, Iniesta resolveu imortalizar outra pessoa. O Barça acabou demolindo o seu adversário por 5 a 1, mas o lugar de Iniesta como um dos jogadores mais queridos do mundo foi solidificado.

Pep Guardiola uma vez foi perguntado se o meia havia nascido já jogador de futebol. Ele respondeu: "Não, ele já era um bom jogador no ventre de sua mãe". É o aspecto natural de tudo, a maneira com que ele simplesmente arrasa as defesas e rouba a bola com habilidade, que impressiona. Não há realmente ninguém como ele no jogo moderno, em termos de versatilidade de atributos.

O contínuo domínio do Barça ficou ainda mais evidente na lista de indicados para a Bola de Ouro da Fifa 2010, que teve Xavi e Iniesta junto com o companheiro Lionel Messi. Mesmo que o argentino tenha vencido, a inclusão de Iniesta representou mais reconhecimento por suas habilidades, e depois de aceitar com tranquilidade a segunda colocação, ele fez de tudo para que o Barça terminasse em primeiro tanto na liga quanto na Champions League.

Ele ajudou os catalães a superar a tensão dos quatro clássicos contra o Real Madrid no espaço de 17 dias, uma sequência que construiu a fundação para o terceiro título espanhol consecutivo e colocou o Barça em Wembley para enfrentar o Manchester United. A vitória e a performance de Iniesta e Xavi no meio-campo definiram um novo padrão que outros times no momento só podem sonhar em atingir.

"Com o compatriota Xavi também em forma, a dupla parecia elevar o Barça a alturas que até mesmo essa equipe extraordinária do jogo moderno não havia alcançado."

Aos 27 anos, Iniesta já conquistou 17 títulos por seu clube e país, e enquanto Guardiola continua a refinar seu elenco a um nível incrível de excelência, esse número só tende a crescer enquanto Iniesta chega ao auge de sua carreira.

Mas não importa o quanto esse time cresça ao longo dos próximos anos, já podemos dizer com certeza que Iniesta será o seu motor, contruindo um legado do mesmo tipo do de Xavi a cada semana que passa.

Relacionados